Sneijder sobre não ter sido como Messi e Cristiano Ronaldo: “Falta de vontade”

Em entrevista ao jornal “Mundo Deportivo”, e a Seleção Holandesa. Contudo, no ínicio da década, ganhou a tríplice coroa com a Internazionale e chegou à final da Copa do Mundo com a Laranja Mecânica.

ENTENDA O CASO

Nos últimos anos, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi dominaram as premiações individuais do futebol mundial. Os craques dividiram entre si a grande parte dos últimos 12 prêmios de melhor do mundo, com exceção do ano de 2018. Porém, em algumas ocasiões, as decisões foram contestadas por parte da opinião pública. Assim, um dos nomes que alguns dizem que foi injustiçado é o de Wesley Sneijder.

“Eu poderia ter me tornado Messi ou Ronaldo. Eu simplesmente não estava com vontade. Talvez eu tenha tomado taças de vinho no jantar. Leo e Cristiano são diferentes, eles fizeram muitos sacrifícios”, disse. 

Segundo ele, mesmo com potencial para atingir tal feito, o holandês não se arrepende de suas escolhas.

”Está bom para mim porque, mesmo assim, minha carreira foi incrível”, explicou.

NÚMEROS NA CARREIRA

A princípio, Sneijder iniciou sua carreira no Ajax , tendo permanecido por lá de 2002 a 2007. Dessa forma, pelo gigante holandês, disputou 180 partidas, com 58 gols marcados e 45 assistências. Após a incrível passagem pelos Godenzonen, foi vendido ao Real Madrid por 27 milhões de euros. Posteriormente , pelos galáticos, o craque começou a sofrer suas primeiras lesões, o que impediu melhores momentos com a camisa dos Merengues. Assim, em solo espanhol, foram 61 jogos com 11 tentos anotados e 12 passes para o gol.

Após anos abaixo do esperado com os Blancos, o Neerlandês rumou para a Itália, defendendo a camisa da Internazionale, equipe onde teve seu melhor momento. Entre 2009 a 2013, Sneijder jogou 116 partidas com 22 gols e 35 assistências. Ademais, agora com muitas lesões e perdendo o espaço no meio campo dos italiano, rumou para o Galatasaray por 7.5 milhões de euros. Com isso, pelos turcos, atuou 175 vezes marcando 45 ocasiões e contribuindo com 44 passes.

Após a saída dos Aslanlar, foi para a França, onde defendeu o Nice. Entretanto, mal jogou, tendo disputado apenas 8 jogos. Por fim, antes de encerrar sua carreira, foi para o Al-Gharafa, onde atuou 27 vezes e anotou 16 gols. Por fim, pela seleção holandesa, disputou 134 partidas e fez 31 gols. Além disso, foi o algoz da Seleção Brasileira na copa de 2010 com os dois nas quartas de final daquela copa. Em suma,  na sua carreira, conquistou 20 títulos.

Foto destaque: Reprodução/Getty Images

Erick Uchoa Nascimento
Prazer, me chamo Erick Uchoa Nascimento, tenho 18 anos e resido em São Paulo capital. Optei pelo jornalismo por ser uma forma de me manter perto do que eu mais amo, esportes, em especial, futebol e basquete. Tenho o grande sonho de um dia poder cobrir grandes eventos, como a Libertadores, UEFA champions League e quem sabe até uma Copa do Mundo ou NBA. Curso jornalismo na Universidade Nove de Julho.
Você está aqui
Futebol Na Veia > Notícias > Sneijder sobre não ter sido como Messi e Cristiano Ronaldo: “Falta de vontade”

Artigos Relacionados