Diego Simeone e a era de ouro do Atlético de Madrid (Foto: Reprodução/Reuters)

Na partida dessa quarta-feira (30), diante o Getafe, no Wanda Metropolitano, Diego Pablo Simeone completará a marca expressiva de 500 jogos dirigindo o Atlético de Madrid. O treinador completou, no último dia (23), nove anos no cargo. O que lhe credencia como um dos treinadores há mais tempo dentro do mesmo clube, no futebol europeu.

IDAS E VINDAS

A chegada de Simeone como treinador, na verdade, se tratou de um reencontro. El Cholo foi atleta do clube em outras duas oportunidades. De 1994 até 1997, fez parte de um momento muito bom do clube. Aliás, foi um dos heróis do histórico doblete da temporada 1995/1996 e autor do gol que confirmou o título da liga, em uma partida diante do Albacete. Assim, o Atleti venceu a La Liga e a Copa do Rei naquele ano.

Em sua segunda passagem, ele já era mais veterano e se aproximava do fim de carreira. Passou pelo clube de Manzanares pelos anos de 2003 e 2005. O momento do Atlético era completamente outro. Os Colchoneros haviam passado alguns anos na 2ª divisão e buscavam recomeçar na elite. Já Diego não teve o mesmo protagonismo de antes e atuou muito menos.

LA LEYENDA REGRESSA 

Terminada a carreira dentro das quatro linhas, Simeone, que sempre foi conhecido por ser um atleta muito aplicado e inteligente taticamente, decide iniciar sua carreira desde a área técnica. Após passagens vitoriosas e outras nem tanto em clubes argentinos e italianos, o convite foi feito e aceito em 23 de dezembro de 2011.

De antemão, o momento do clube não era bom. Afinal, o Atleti acabara de ser eliminado da Copa do Rei por um time da Segunda B (Terceira divisão),  figurava na parte de baixo da tabela da La Liga e restava apenas um par de jogos para terminar o primeiro turno.

O primeiro ato do Cholismo foi no dia 7 de janeiro de 2012, em La Rosaleda, contra um forte Málaga. A partida terminou em um empate por 0 x 0. A partir desse jogo, o lema do Atlético passou a ser: “se tornar uma equipe cada vez mais competitiva, dia após dia”.

Com efeito, os Colchoneros subiram na tabela e brigaram até a última rodada em busca da Champions. Por outro lado, chegaram ao título da Europa League, vencendo o Athletic Bilbao, por 3 x 0 na final. Simeone recolocou o Atlético de Madrid entre as principais forças do cenário europeu.

NÚMEROS E CONQUISTAS

Em resumo, o Atlético de Madrid entrou 499 vezes no comando de Simeone. E, de fato, os números são impressionantes. Já que são 300 vitórias somadas, em contrapartida, apenas 81 derrotas. Se soma também outros 118 empates. Portanto, o aproveitamento de Diego Simeone gira algo entorno dos 68%.

Ainda mais, soma sete títulos conquistados: um Campeonato Espanhol (2013/2014), uma Copa do Rei (2012/2013), uma Supercopa da Espanha (2014). Juntamente com duas Europa League (2011/2012 – 2017/2018) e duas Supercopa da Europa (2012 – 2018).

Por outro lado, esteve muito perto de dar o título inédito da Champions para os atléticos. E foi por duas vezes. Em ambas, o mesmo e maior rival atrapalhou. Na temporada 2013/2014, em Lisboa, esteve a minutos de ser campeão. Em 2015/2016, em Milão, perdeu nos pênaltis.

Contudo, Cholo Simeone continua com a mesma ilusão. Faz do Atlético sua vida, dia a dia, partida a partida e, decerto, põe muita paixão nesse esporte. Busca de maneira incansável ser mais competitivo, combativo e eficiente. Dessa maneira, seus resultados são visíveis. Visto que é o atual líder da La Liga e está nas oitavas da UCL.

Foto destaque: Reprodução/Reuters

Ayrton Niño
Historiador pela UFPE e graduando em Jornalismo pela UniNassau.

Artigos Relacionados