Shootout: a maneira inusitada de decidir os empates na MLS

O ano de 1994 foi decisivo para o futebol nos Estados Unidos. Logo após o sucesso da Copa do Mundo no país, a MLS (Major League Soccer) foi anunciada e dois anos depois inaugurada. O território voltou a ter uma liga profissional depois de 12 anos. Os esportes no solo norte-americano costumam não ter empate (NBA e MBL), os organizadores a fim de popularizar o futebol, encontraram uma maneira inusitada e retirada do hóquei no gelo. Assim, nasceu o “shootout” no futebol. Uma disputa similar aos pênaltis, mas com suas características próprias.

O que foi o “shootout” na MLS?

Quando as equipes ficavam na igualdade, havia a disputa. O cobrador ficava à 32 metros do gol, e tinha cinco segundos para concluir para as redes. Não havia limite de toques na bola, e caso o goleiro fizesse falta (tocar com a bola na mão fora da área ou contato faltoso), teria uma cobrança de pênalti (só que esse é de verdade, bola na marca da “cal” e à 11 metros do gol). Eram cinco tentativas de cada time e se empatasse de novo, cobranças alternadas. O clube que saísse vencedor ficaria com um ponto, enquanto o perdedor com nenhum. Esse modelo seguiu entre 1996 e 1999, depois foi extinto a fim de seguir as regras da FIFA.

Shootout na Copa do Mundo de 2026

Sim, essa possibilidade foi levantada pelo ex-jogador Marco Van Basten e na época diretor técnico da FIFA. Em janeiro de 2017, em entrevista ao jornal alemão “Sport Bild“, o holandês mostrou fé no “shootout“, afirmando que seria mais atrativo ao público:

Isso é espetacular para os espectadores e interessante para o jogador. Nos pênaltis tudo acaba em um segundo, no shootout tem mais opções: ele pode driblar, chutar, esperar e ver como o goleiro responde – mais como um jogo típico “.

O que até hoje é motivo de piadas para a MLS, poderia se mostrar uma revolução no futebol e que o esporte nos Estados Unidos estava a frente do seu tempo. Mas em outubro de 2018, Van Basten saiu da entidade máxima do futebol e suas ideias foram esquecidas.

Foto Destaque: Reprodução/Futebol Só 7

Carlos Vinícius Amorim
Carlos Vinícius Amorim, 21 anos, atualmente cursando jornalismo pelo amor ao futebol, que se iniciou lá em 2005, com apenas seis anos de idade, já imaginam qual o clube né. Sempre se informando e informando aos outros, buscando referências e fontes. Como o jornalismo manda.

Artigos Relacionados