Shenzhen FC: o primeiro campeão da Superliga Chinesa

- Zhu Ghuanghu foi eleito o melhor técnico da China, após uma campanha de superação
O Shenzhen FC foi o primeiro campeão da Superliga Chinesa, em 2004

Após uma grande perda de interesse do público chinês pelo futebol, a Superliga Chinesa substituiu a Liga Jia-A como a principal competição do país em 2004. Naquela oportunidade, o Shenzhen foi o campeão, e desde então faz parte do grupo seleto de sete clubes que venceram a CSL. Portanto, vamos Escalar a Muralha nesse momento único da história deste clube.

O INÍCIO DO SHENZHEN FC

Com a permissão de que empresas privadas fossem proprietárias de clubes, os ex-jogadores chineses Rong Zhixing e Zeng Xuelin fundaram o Shenzhen Football Club em janeiro de 1994. Na província de Shenzhen, Guangdong, logo em seu primeiro ano conquistou a Liga Yi Chinesa (3ª divisão). No ano seguinte, em 1995, 12 vitórias, seis empates e quatro derrotas resultaram na conquista da Liga Chinesa Jia B, equivalente a 2ª divisão.

Assim, consequentemente, após um início surpreendente, passou a disputar a Liga Jia-A Chinesa. Mas a primeira experiência no maior cenário do futebol local não foi positivo, sendo rebaixado na 11ª colocação. Em janeiro de 1997, a Ping An Insurance assumiu o clube e o renomeou para “Shenzhen Ping'an”. Com essa nova propriedade, o clube imediatamente recuperou a promoção para o primeiro escalão, depois de chegar em segundo lugar em sua divisão.

A CHEGADA DO GRUPO ‘JIANLIBAO' E O INÍCIO DA CSL

Antes da campanha de 2003, o Grupo Jianlibao assumiu o clube, já o renomeando como Shenzhen Jialibao ((深圳健力宝). Naquela temporada, a equipe ficou na 4ª colocação. Dessa maneira, trouxe então grandes contratações chinesas como Yang Chen, que retornou ao seu país após várias temporadas na Alemanha, além de Zheng Bin e Zheng Zhi. Foram reforços determinantes para a então conquista épica, o título da Superliga Chinesa de 2004.

A Associação Chinesa de Futebol se viu com necessidade de realizar uma mudança no futebol chinês para retomar a atração do público. Sendo assim, a Superliga Chinesa, a CSL, foi criada com um grande entusiamo pela mídia ao se tornar a grande competição local. Entretanto, ainda hoje há controvérsia de que aquela edição, como outras mais tarde, foi manchada por conta de apostas com equipes forçando para perderem partidas… Além disso, árbitros também foram/são suspeitos de ajudarem concedendo pênaltis e cartões duvidosos.

A CAMPANHA

Ao todo, foram 42 pontos conquistados pelo Shenzhen em 22 jogos, sendo 11 vitórias (42% em casa e 24% de aproveitamento fora), nove empates e duas derrotas. Nos quais a equipe marcou 30 gols, média de 2,75 por jogo, e sofreu 13, disparada como a melhor defesa. Por outro lado, o Shandong Luneng terminou na 2ª colocação com 36 pontos, há duas rodadas de diferença.

A equipe ficou marcada pela história de ”superação” dos jogadores do Phoenix.  Isso porque o treinador Zhu Ghuanghu teve de lidar com os problemas financeiros de todo o seu elenco, que ficou sem receber seus salários por vários meses. Entretanto, motivados pelo técnico, conseguiram se consagrar os campeões da competição, como já citado acima, com a melhor defesa da competição com apenas 13 gols sofridos. Pasmen, a segunda defesa menos vazada, foi a equipe do Qingdao Zhongneng, com 28 gols sofridos.

Com um elenco nada ‘recheado' (eram apenas 17 jogadores), não havia nenhum protagonista na equipe. Mas o atacante Djima Oyawole foi o responsável por 8 dos 30 gols, os demais dividiram os 22 restantes. Mais tarde, Ghuanghu viria ser eleito o melhor técnico chinês do ano, merecido, por sua conquista e por toda a motivação no vestiário.

A SEQUÊNCIA E O ATUAL MOMENTO DO SHENZHEN

Após a conquista da Superliga, o Shenzhen se tornou uma equipe de ”meio de tabela” como é falado no Brasil. Depois de ficar em 12º, 11º, 14º, 12º, 11º e 12º respectivamente, foi rebaixado em 2011 ao ficar na 16ª colocação. E conseguiu o acesso de volta a elite do futebol chinês apenas sete anos depois, em 2018, ao ‘conquistar' o vice-campeonato. Entretanto, já na temporada passada (2019) voltou a ser rebaixado, terminando a competição com 21 pontos em 15º lugar.

Devido a paralisação por conta da pandemia do coronavírus, por sinal originada na China, os campeonatos ainda não iniciaram. Dessa forma, a última partida da equipe foi em 1º de dezembro de 2019, na goleada sofrida para o Shanghai SIPG por 6 x 0. Contudo, para o ano de 2020, o técnico italiano Roberto Donadoni tem a missão de levar o Shenzhen de volta à elite*. Para isso, até o momento chegou apenas o atacante camaronês John Mary, que estava no Meizhou Hakka e Dalun Zheng, que estava no Tianjin Tianhai.

*O Shenzen poderá se beneficiar, conseguindo a permanência na elite, com o Tiajin Tianhai decretando falência, assim abrindo uma vaga na Superliga Chinesa.

BetWarrior


Poliesportiva


Thiago Lopes
Thiago Lopes
Thiago Lopes, 20 anos. Estudante de jornalismo - 6º semestre.

Artigos Relacionados

Topo