Serginho

Após longa espera devido a pandemia do novo coronavirus, a bola rolou pela Copa Libertadores. Dessa forma, as 32 equipes sul-americanas disputaram entre si na fase de grupos da competição. Ao passo que 16 agremiações garantiram uma vaga nas oitavas de final, entre elas, o único representante do futebol boliviano, Jorge Wilstermann.

Aproveitando esse período de preparação dos times para disputa, conseguimos uma entrevista exclusiva com o atacante Serginho, de 35 anos, que atua pela equipe boliviana desde o ano de  2017. Contudo, o experiente brasileiro fala da alegria em fazer parte do elenco Aviador e exalta as conquistas até o momento. Além disso, ele destaca a importância de representar a Bolívia na competição.

Fazer parte deste elenco é um motivo de muita alegria, de muita honra. Porque já são três anos e meio conquistando muitas coisas aqui. O clube era um há quatro anos e hoje é um patamar totalmente diferente daquilo que era quando a gente chegou aqui. Estamos indo para a nossa segunda classificação nas oitavas de final na Libertadores, conquistando títulos, fazendo feitos históricos, jogando contra equipes de nível internacional e fazendo grandes jogos. Então isso é muito importante, e eu me ponho muito feliz com isso tudo que a gente vem vivendo. Principalmente representando o futebol boliviano em toda Sul-América”.

Grupo equilibrado

Integrante do Grupo C, no entanto, um dos grupos mais equilibrados da competição. De acordo com os resultados, o Jorge Wilstermann só dependia dele para se classificar. Entretanto, teve pela frente jogos complexos e entre as equipes uma trouxe maior dificuldade. Segundo Serginho, o Athletico Paranaense foi a mais complicada por conta da qualidade. E ainda revelou o quão é difícil jogar na Arena da Baixada.

“Nosso grupo foi  mais equilibrado e já era esperado. Logo depois da segunda rodada em uma entrevista com meios de comunicação daqui, eu acabei falando que nosso grupo ia se repartir muitos pontos até o final e a gente ia ter que buscar pontos fora de casa para poder se classificar; e foi assim. Acho que a equipe que a gente teve muito mais dificuldade foi o Athletico Paranaense, porque é uma equipe que toca muito a bola, que se movimenta muito, que tem muita profundidade, tem muita posse de bola, variação tática e isso nos complicou muito. Principalmente no jogo em casa e fora também, porque é muito difícil jogar na arena, sem dúvidas, foi a equipe que mais tivemos dificuldades.”

Um passo para voltar ao normal

Por outro lado, é de conhecimento da maioria a parada da Apertura local por causa do Covid-19. Além disso, os problemas políticos e até mesmo financeiros tem assolado o futebol do país e assim sendo, impossibilitando competições nacionais. Questionado sobre o momento delicado do país, bem como a incerteza quanto a possibilidade do retorno da competição. O camisa 10 destaca que é essencial  um posicionamento da Federação Boliviana de FutebolFBF para tudo voltar aos trilhos.

“Estamos treinando normal, graças a Deus, pelo menos na nossa equipe estamos conseguindo trabalhar diariamente. Temos esse problema do torneio não ter reiniciado novamente, não ter uma previsão. A gente está conseguindo realizar jogos treinos, mas mesmo assim nos custa é difícil ter uma incerteza ainda quanto ao torneio local, ou seja, gente não sabe se vai retornar ou não. Tem muita coisa, agora também teve as eleições que graças a Deus, transcorreu tudo muito bem, com segurança e muita paz, diferente do ano passado que a gente teve um ano muito conturbado. Então estamos podendo ter um ano tranquilo para a gente trabalhar. Acho que o que falta agora é mesmo a federação aqui se acertar com os clubes para poder voltar o campeonato o quanto antes para dar uma sequência melhor no futebol boliviano e no país para as coisas começarem a caminhar normalmente”, conta Serginho.

“Acreditar que é possível”, afirma Serginho

Inegavelmente, o Jorge Wilstermann surpreendeu os adversários com toda garra demonstrada em campo. Tanto que garantiu a tão desejada vaga nas oitavas de final da Libertadores. Em seis partidas da fase de grupos, o Aviador registrou três triunfos, duas derrotas e um empate, chegando a liderança do grupo C com 10 pontos.

Portanto, na opinião de Serginho, o time tem que confiar na possibilidade de conquistar o título histórico, sim. De tal forma que o brasileiro enfatizou que tudo é possível e só quem não pode idealizar a conquista são as equipes eliminadas.

“A gente sempre dependeu da gente durante toda a competição. O ano passado foi complicado porque para classificar não dependíamos só da gente, e acabamos ficando fora. Mas quando a gente depende só de nós, só do nosso esforço, conseguimos fazer o resultado mesmo fora de casa. E é claro que tem que sonhar, tem que pensar que a gente pode chegar, que a gente a possibilidade de chegar longe na competição. Porque a gente está dentro dela, só não pode sonhar com essa possibilidade de título quem já foi eliminado. Então como a gente tá dentro, vamos buscar, lutar com as nossas armas, com nossa humildade de sempre e lutar para fazer uma campanha histórica mais uma vez”.

Projeção para o próximo jogo: Libertad x Jorge Wilstermann

Os jogos das oitavas de final da Copa Libertadores foram definidos através de um sorteio realizado na sexta-feira (23), na sede da Conmebol, em Assunção, no Paraguai. Ao passo que o Aviador visitará o Libertad, na próxima quarta-feira (25), no estádio General Pablo Rojas. Aliás, que também conhecido como La Olla Azulgrana, no Paraguai.

Serginho, no entanto, reconhece que o jogo não será nada fácil. Isso porque a equipe paraguaia tem experiência e muitos atletas renomados com boa bagagem internacional. Além disso, o camisa 10 ressaltou que é preciso ter cautela e ser inteligente no primeiro duelo. Posto que o jogo de ida e a decisão acontecerá na casa do time boliviano.

“Contra o Libertad, tenho certeza que vai ser um jogo muito equilibrado e difícil para ambas as equipes. O Libertad é muito experiente e com jogadores renomados no futebol sul-americano e mundial, tem suas qualidades. E a gente vai ter que saber aproveitar, saber jogar bem, saber fazer um jogo inteligente. Porque temos a possibilidade de definir o nosso jogo em casa, então a gente tem que ser o mais inteligente possível no primeiro jogo”, finaliza Serginho.

Sobretudo, vale lembrar que não há o critério do gol qualificado nesses duelos. De tal forma que, o empate no placar agregado das duas partidas encaminhará a decisão pela vagas nas quartas de final as penalidades.

Foto Destaque: Jorge Gutiérrez

Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

Artigos Relacionados