Seleção da temporada 2019/20 da Serie A TIM

- Comandada por CR7, a seleção tem variedade de equipes nos 11 escalados
Seleção da temporada 2019/20 da Serie A TIM

Mais uma temporada da Serie A TIM 2019/20 chega ao fim, mais uma vez a Juventus é campeã, e os jogadores, como sempre, foram destaques. Sendo assim, a editoria de futebol italiano do Futebol na Veia escolheu os melhores de cada posição na temporada. Baseado no esquema 3-4-3, vocês verão os motivos para esses 11 jogadores estarem na seleção. Além disso, temos a revelação da temporada, o melhor jogador, a decepção e o  time surpresa. Confira a seguir:

Goleiro: Szczesny (Juventus)

Mesmo sendo colocado muitas vezes como segunda opção para Buffon, o polonês fez uma grande Serie A 2019/20 do inicio ao fim. Foram 28 jogos disputados, sendo 11 deles sem levar gols, esses que foram somente 30. Talvez seja a temporada mais consistente de sua carreira. Fazendo os torcedores tendo pouca saudade de Gigi, que ficou focado nas Copas. A atuação mais marcante do arqueiro foi no duelo direto contra a Atalanta nas últimas rodadas.

Zagueiro 1: Skriniar (Inter de Milão)

Em briga direta com seu companheiro De Vrij, o esloveno venceu a disputa por pouco. Não fez uma temporada melhor que a anterior, mesmo assim, o destaque é muito merecido. O Nerazzuri tem uma eficiência em duelos (49%), e em lançamentos (70% certos). Sua segurança é muito evidente e os adversários sabem que é difícil de passar quando ele está em campo. Foram nove jogos sem levar gol e sua melhor atuação, certamente, foi na estreia contra o Lecce.

https://twitter.com/goal/status/1289515283137171456?s=20

Zagueiro 2: Luiz Felipe (Lazio)

O brasileiro pouco conhecido na sua terra natal tem 23 anos e é um dos maiores achados de Simone Inzaghi nessa temporada. Ofensivamente também foi bem, marcou um gol e deu uma assistência. Seu número de interceptações passa a média de 1.5 por partida, visto a eficiência que teve. A seleção canarinha já é realidade para o biancoceleste. A sua atuação com mais destaque foi contra a Juventus, em que marcou gol na vitória em cima do time campeão no primeiro turno.

Zagueiro 3: Toloi (Atalanta)

Mais um tupiniquim na lista. A equipe de Bérgamo teve grande destaque ofensivo com quase 100 gols. No entanto, a sua defesa quando precisou foi muito bem postada. Mesmo jogando em um estilo que deixa a zaga bem exposta e alta no campo, o brasileiro se postou muito bem em toda a temporada. Pelo alto venceu quase 60% dos duelos, aproveitando bem seu 1,85 de altura. Para fechar, sua melhor atuação teve duas assistências contra o Napoli, no San Paolo.

Ala direito: Cuadrado (Juventus)

Atuando seja na ala ou na lateral, o até então atacante colombiano voltou as suas origens e fez grande ano pela equipe campeã. Deixando muitas vezes, o brasileiro Danilo no banco, suas atuações foram uma grande válvula de escape para o esquema de Sarri. Foram dois gols e cinco assistências na temporada, e todo jogo um passe decisivo dado. No Derby contra o Torino fez um gol e deu um passe para outro. Coroando seu grande ano.

Volante: Pjanic  (Juventus)

O novo jogador do Barcelona se despediu muito bem na Itália. Foram três gols e seis assistências em 30 partidas no torneio, além de pelo menos dois passes decisivos por partida. Sem contar quando precisou organizar o meio campo de um modo silencioso, como gosta de trabalhar. Sua assistência e atuação contra a Inter de Milão no primeiro turno foi vital na campanha do eneacampeonato.

Pjanic é peça unanime nessa seleção da Serie A TIM 2019/20
Pjanic é peça unanime nessa seleção da Serie A TIM 2019/20 (Reprodução/oGol)

Meia: Papu Gomez (Atalanta)

Em 98 gols na temporada, o garçom da equipe e da competição não podia ficar de fora. Um dos grandes cérebros do futebol italiano fez mais uma temporada excepcional e garantiu a presença na seleção da Serie A. Dybala fez um ano de se ter inveja, mas 17 passes para gol e outros oito feitos não é para qualquer um. Muito menos acertar quase 60% dos dribles e dar pelo menos três decisivos por partida são fatores que colocam Alejandro a frente dos outros. Escolher um jogo só para falar dele é complicado, mas ser o articulador da virada contra a Udinese foi fundamental em 2019/20.

Ala esquerda: Theo Hernandez (Milan)

Um dos poucos que jogaram bem toda temporada pelos Rossoneros, entrou na seleção da Serie A mesmo com a grande disputa com Gosens, da Atalanta. Foram seis gols e três passes para outros. Além disso, era aquele que dava uma grande ajuda quando os atacantes do Milan não iam bem. Seu gol da vitória contra o Parma foi a principal amostra disso. O francês superou as expectativas quando ele chegou do Real Madrid após empréstimo para a Real Sociedad.

https://twitter.com/TheoHernandez/status/1289516384070721536?s=20

Atacante 1: Cristiano Ronaldo (Juventus)

Um homem, uma máquina, uma besta enjaulada com ódio que vence e vence. A grande definição para o Gajo conquistar mais um bicampeonato por onde passa. Se na outra temporada ele deixou margens a dúvidas. Em 2019/20, ele mostrou estar bem adaptado ao estilo de jogo e ao país. Sendo assim, com seus 32 gols é uma peça que não podia faltar nessa seleção. Pois, se a Juve levantou a taça, ele tem muito nessa conquista.

Atacante 2: Ciro Immobile (Lazio)

A chuteira de Ouro ficou na Itália pela terceira vez no século. E esse homem é o culpado. A saber, as redes foram balançadas pelo italiano 35 vezes. Além disso, quase chegou ao duplo-duplo dando nove assistências no campeonato. Infelizmente, a parada para a pandemia do coronavírus atrapalhou o time da capital a levantar o Scudetto. Mesmo assim, ele foi uma das peças-chave do time e precisava estar entre os 11 melhores da Serie A TIM.

Atacante 3: Lukaku (Inter de Milão)

Marcar gols, sofrer racismo, ser importante para uma das melhores equipes do campeonato, ademais, isso é um resumo de Romelu Lukaku na Itália. No entanto, não foi tão unanime pelos nossos redatores, pois Ilicic, e seu companheiro Lautaro, também foram nomes muito lembrados. Só que fazer 23 gols (sendo o terceiro maior artilheiro da competição) não é para qualquer um. Além disso, foi crucial nos dois derbys contra o Milan para fazer a Internazionale vencer ambos, mostrando que não é pipoqueiro.

Técnico: Gasperini (Atalanta)

Futebol ofensivo, marcação pressão, zaga longe do goleiro, vontade insaciável de fazer gols e um futebol muito vistoso de se ver jogar. Assim, foi com sobras que Gian Piero Gasperini bateu o campeão Maurizio Sarri para ser considerado o melhor comandante da Serie A mais uma vez. Enquanto ele estiver no cargo pode ter certeza que os Nerazzuris darão trabalho. Pois, quaisquer jogador que passa pelas suas mãos joga bem, basta ter vontade de ter sucesso.

Comandante da seleção da Serie A TIM
Gaspa sorri vendo seu time jogar e por estar em nossa seleção da Serie A (Reprodução/Trivela)

Melhor jogador: CR7

Para quem aparece em todos os momentos decisivos da liga, faz 31 gols e cinco assistências em 33 jogos mostra a importância do português, e como em boas condições é muito acima da média dos demais. Mesmo se a Juventus perdesse a taça, a chance dele ser o melhor do campeonato era enorme, pois algumas vezes levou o time nas costas no começo da temporada junto com Pjanic. O craque agora corre da Champions para ser o The Best mais uma vez.

Revelação: Kulusevski (Parma)

Sueco, canhoto, ponta e meia armador, um resumo bem breve do destaque jovem do Italiano. Já contratado pela Juventus por 35 milhões de euros, após forte disputa com a Internazionale, o garoto pode crescer mais ainda no futebol. Se os Ducali chegaram a sonhar com a Europa League em uma parte da temporada foi graças a Dejan. Suas arrancadas, dez gols e nove passes para gol foram fatores para seu brilho. Acertou mais de 60% dos dribles feitos e levou pelo menos duas faltas por jogo. Kulu é mais um a sair da base da Atalanta para o mundo.

Surpresa: Atalanta

Para quem acompanha o futebol italiano ver esse futebol de Gasperini e seus comandados não é novidade. Mesmo assim, chegar a terceira temporada jogando um futebol de muito alto nível e com a mesma base são surpresas. Esse ano ainda o clube briga forte pela Champions League e viu a liderança perto em algumas vezes. Algo que surpreendeu a todos que não esperavam, devido a baixa tradição em grandes momentos do time de Bérgamo. Fazendo a cidade esquecer um pouco do sofrimento passado no meio da pandemia do COVID-19.

Decepção: Fiorentina

Pedro (agora no Flamengo), Chiesa, Ribery e Boateng prometiam fazer uma edição de muito valor e conseguir a vaga na Europa League, no minimo. Entretanto, os jogadores não se saíram bem com Montellla e o desempenho com Iachini foi muito abaixo do esperado. O rebaixamento não chegou a ser realidade, mas porque havia equipes piores. Assim, a Viola era peça garantida como a decepção da temporada, tanto prometeu e não cumpriu nada daquilo.

Foto Destaque: Divulgação/FNV

Guilherme Ribeiro

Sobre Guilherme Ribeiro

Guilherme Ribeiro já escreveu 418 posts nesse site..

Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Ribeiro
Guilherme Ribeiro
Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

    Artigos Relacionados

    Topo