Diego Pituca pode ser negociado com o Japão

A diretoria do Santos recusou uma proposta do Kashima Antlers, do Japão, pelo volante Diego Pituca. O clube japonês ofereceu cerca de 1,2 milhões de dólares, algo em torno de R$ 6,5 milhões. Os diretores santistas acharam a oferta baixa e fizeram uma contraoferta ao clube, mas ainda não obtiveram resposta.

O clube da Baixada Santista detém 50% dos direitos econômicos do volante, dividindo o jogador com o Botafogo-SP, clube que projetou Pituca para o cenário nacional. O entendimento da comissão técnica é de que o volante é peça chave no esquema de Cuca e, por isso, não deve ser negociado.

https://twitter.com/gabbsbrino/status/1328430549610995712

O conselho deliberativo do clube se reúne na noite desta terça-feira (17) para discutir, entre outros assuntos, as ofertas para alguns jogadores. Não será pautada a situação de Diego Pituca. Dessa forma, os conselheiros do clube devem analisar e votar sobre as propostas recebidas pelo zagueiro Lucas Veríssimo (Benfica e Al-Nasser), pelo atacante Copete (Cruzeiro) e pelo meia Anderson Ceará (CRB). As duas últimas são por empréstimo. Já a situação de Veríssimo seria a venda do principal volante do clube.

Desempenho de Pituca na temporada

O atleta, de 28 anos, foi o jogador que mais atuou com a camisa do Peixe em 2020. Ao todo, soma 41 partidas em campo, todas como titular e sendo substituído em apenas nove oportunidades. Diagnosticado com a Covid-19, Pituca não jogou pelo Santos pela primeira vez no ano. Assim, quebrou uma marca de 21 jogos seguidos dentro de campo. A última partida que o jogador havia sido substituído foi em agosto, na derrota contra o Palmeiras por 2 x 1. Desde então foram mais de 1.890 minutos em campo.

O jogador chegou em 2017 para atuar pelo sub-23 do Peixe, mas logo o alçaram ao profissional do clube. Desde então já atuou em 142 partidas e marcou seis gols. Em 2020 foram 41 jogos e um gol anotado. O contrato do volante vai até 30 de abril de 2023.

Foto destaque: Divulgação/Santos FC

Yan Arvani
Formado em Jornalismo pela UNIP, em seus 22 anos de vida sempre esteve ligado ao futebol, seja assistindo com o vô todos os jogos que passam na TV (como faz até hoje) ou indo aos estádios, o futebol corre em sua veia. Apaixonado pelo rádio e pela escrita, está sempre em busca de conhecer ainda mais sobre esse esporte fascinante.

Artigos Relacionados