Santa Cruz: O que fazer nos momentos de crise?

O Santa Cruz perdeu para 3 a 0 para a Ponte Preta, na última rodada do Brasileirão. Com sete derrotas nos últimos oito jogos, o comandante da equipe, Milton Mendes, 51 anos, ameaçou entregar o cargo nesta quinta-feira, após o jogo no Arruda. Ele não conta mais com o apoio de parte do elenco e viu, inclusive, torcedores que estavam nas sociais pedirem a sua saída durante a partida. Alguns líderes do elenco, no entanto foram até a coletiva após a partida para pedirem a permanência do técnico. No entanto, ao ser questionado sobre a responsabilidade pela queda da equipe na tabela, o atacante Bruno Moraes, que entrou no segundo tempo, expôs o clima ruim:

“Pergunta para o Milton, que é mais fácil”, disparou.

Existem ainda divergências entre funcionários antigos do clube e o treinador, no que foi confirmado pela diretoria do clube: “Alguns fatos existiram, mas coisas internas que são normais do futebol. Nada que extrapole. Alguns são mal interpretados e outros inverídicos”, disse o diretor de futebol Jomar Rocha, após a repercussão dos casos.

A pressão é grande pela troca no banco de reservas, mesmo após os títulos da Copa do Nordeste e do Pernambucano. O Santa Cruz assegura a manutenção de Milton Mendes.

No entanto, o que fazer em momentos de crise ?

Na distrital de Aveiro, em Portugal, o Alvarenga mudou de treinador 3 vezes. No inicio eram “gajos” mais conhecidos, tops, mas meteram-se com uns craques brasileiros metidos por um empresário e então o último treinador a assumir a equipe “acarinhou/adotou” esses brasileiros. O que aconteceu? Não perdeu nenhum jogo, subiu de divisão e sagrou-se campeão contra o tradicional Beira Mar há 2 dias. O que ele fez de diferente? Conversou, expôs os problemas, resolveu-os tratar de forma igual, mudou a postura e a distância que existia entre treinador e atleta. No caso de Milton Mendes ele poderia muito bem se aliar a quem é aliado, descobrir (se já não o sabe) quem são os seus “inimigos” dentro do elenco e unir-vos em atividades coletivas, que propiciem a boa relação e conjuntura; caso obtenha alguma receita, trazer dois ou três reforços poderiam ajudar a “mudar o clima” do grupo, que não é ruim, principalmente para o Brasileirão. Atividades com portões fechados também são uma boa para fechar o grupo em sí.

O mestre Sun Tzu, no clássico “A arte da guerra” diz:

“Se você conhece o inimigo e a si mesmo, não tema o resultado de cem batalhas. Se se conhece, mas não ao inimigo, para cada vitória sofrerá uma derrota. Se não conhece nem o inimigo nem a si, perderá todas as lutas.”

Resta a Milton Mendes, que tem respaldo da diretoria do Santinha, unir-vos.

Marcelo Faviere

Sobre Marcelo Faviere

Marcelo Faviere já escreveu 6 posts nesse site..

Estudante de jornalismo e formado pela Universidade do Futebol no curso de "Introdução aos Aspectos Táticos do Futebol", Marcelo Faviere sempre gostou de jogos de estratégia, no qual montava desde equipes de futebol a civilizações. Sempre debatia com os professores da escolinha de futebol que jogara na infância, o por quê da equipe ter perdido ou ganho uma partida, montava equipes com as figurinhas dos jogadores que trocava na escola. Como sempre gostou de falar, herdou uma vontade de traduzir seus pensamentos sobre o esporte, na escrita, em uma tentativa de exaltar o quão complexo e difícil é falar de futebol, que é muito mais do que assistir a um gol.

BetWarrior


Poliesportiva


Marcelo Faviere
Marcelo Faviere
Estudante de jornalismo e formado pela Universidade do Futebol no curso de "Introdução aos Aspectos Táticos do Futebol", Marcelo Faviere sempre gostou de jogos de estratégia, no qual montava desde equipes de futebol a civilizações. Sempre debatia com os professores da escolinha de futebol que jogara na infância, o por quê da equipe ter perdido ou ganho uma partida, montava equipes com as figurinhas dos jogadores que trocava na escola. Como sempre gostou de falar, herdou uma vontade de traduzir seus pensamentos sobre o esporte, na escrita, em uma tentativa de exaltar o quão complexo e difícil é falar de futebol, que é muito mais do que assistir a um gol.

    Artigos Relacionados

    Topo