Fábio deixa o Cruzeiro após 18 anos

A surpreendente saída do goleiro Fábio do Cruzeiro após 18 anos de serviço ao clube revelou um pouco de como é o relacionamento das Sociedades Anônimas de Futebol (SAFs) com a torcida.

A falta de entendimento entre a direção e o atleta sobre salários e tempo de contrato causou o rompimento traumático do vínculo.

Antes de mais nada, precisamos entender que Ronaldo e os investidores que assumiram o Cruzeiro não devem satisfação à torcida.

Pouco importa as vozes do grupo de torcedores protestando contra o Fênomeno na porta do CT nesta quinta-feira (6).

Portanto, a saída de Fábio do time celeste é um choque de realidade para cruzeirenses e torcedores em geral.

O Cruzeiro agora possui um dono, que gere o negócio, sim negócio de acordo com seus interesses. E não há interesse maior que o lucro.

Outrossim, jogadores, técnicos e até títulos tornaram-se secundários. O maior desejo de uma SAF é o lucro, L-U-C-R-O.

Sob o mesmo ponto de vista, está claro que a torcida não tem mais voz como antes. O torcedor é cliente.

A SAF traz novas formas de enxergar o sucesso

Sob essa nova perspectiva, a divisão de base pode ser tratada como a galinha dos ovos de ouro, fornecendo dinheiro aos montes.

Entretanto, não vou demonizar a SAF e eleger como inimigo público quem investe dinheiro no clube. Só precisamos ver as coisas como são.

Agora, o dono do clube nem sempre dará satisfações à torcida. Ele não é obrigado. Essas, ficam reservadas aos acionistas e aos órgãos de fiscalização internos.

Para usar outro exemplo, a filha do dono do Valencia, Peter Lim, respondeu torcedores do time espanhol no Instagram dizendo que o clube é da sua família e eles fazem o que bem entendem.

O Cruzeiro cria um novo marco no Brasil

Fábio e o Cruzeiro são um paradigma dentro do novo futebol brasileiro, onde milhões de vozes são ignoradas para satisfazer um homem só.

Afirmo então que apenas o tempo dirá se tamanho sacrifício valerá a pena.

Foto Destaque: Divulgação/Teclemídia

Paulo Henrique Araújo
Apaixonado por futebol desde antes do que possa lembrar. Comentarista esportivo por amor e constante aprendiz do maior esporte do mundo.

Deixe um comentário