Cruzeiro

Em assembleia realizada na noite desta sexta-feira (17), o Cruzeiro teve aprovada por conselheiros e associados uma alteração no estatuto do clube que permite a venda de até 90% das ações da Sociedade Anônima do Futebol para investidores.

Ao todo, 564 pessoas estiverem presente no Parque Esportivo do Barro Preto, dentre as três mil aptas a votar. Assim, com 544 votos favoráveis, 18 contra, um nulo e um branco a mudança foi aprovada com 95,8%, considerando o peso estabelecido de cada votante.

Logo após a votação, o presidente Sérgio Santos Rodrigues comemorou a votação, mas manteve cautela sobre os próximos passos. “Bom, primeiro agradecer o apoio de todo mundo…Isso mostra o que a gente já falava antes, a animação que a gente estava, da campanha que foi feita, dos votantes representarem o desejo da torcida. Daquilo que a gente precisa para poder mudar os rumos do clube. Então, é uma vitória muito expressiva. Queria agradecer todo mundo que apoiou, todo mundo que pediu foto, que compareceu. Vamos trabalhar agora. Com certeza virão notícias boas em breve“, disse

Estão vindo as propostas, vamos analisar. Sempre confiamos nas nossas assessorias, a Alvarez & Marsal e a XP. Eles estão com algumas coisas com algumas coisas em mente. Agora vamos discutir isso juntos e fazer o que for melhor para o Cruzeiro“, concluiu.

SAF como solução

A princípio, estava previsto que o Cruzeiro poderia vender apenas 49% das ações da SAF. Agora, com o novo texto o clube terá mais margem de negociação com possíveis investidores que queiram injetar dinheiro. A expectativa é que o time volte com um futebol mais competitivo em 2022. Com uma dívida de aproximadamente R$ 1 bilhão, o clube viu a arrecadação despencar após o rebaixamento para a segunda divisão em 2019. A saber, com um baixo rendimento na temporada, a Raposa vai disputar pelo terceiro ano consecutivo a Série B do Campeonato Brasileiro.

Assim, a mudança do modelo associativo sem fins lucrativos para clube empresa apareceu como a melhor alternativa para a reestruturação do clube. Isto porque, com a Sociedade Anônima do Futebol o Cruzeiro terá seis anos para quitar 60% das dívidas. Caso isso se confirme, terá mais quatro anos para sanar o restante.

Foto destaque: Divulgação/Cruzeiro

Izabela Avelar
Jovem jornalista mineira, apaixonada por esportes e o turbilhão de sensações que as competições esportivas proporcionam.