Carlos Augusto

Nesta quinta-feira (3), o lateral-direito Carlos Augusto divulgou uma carta se despedindo do Corinthians. Isso porque o jogador foi vendido ao clube italiano da 2° divisão, o Monza. Aliás, o jovem atleta, de 21 anos, iniciou sua carreira no Alvinegro aos 12 anos e desde então tem 41 jogos com um gol. Entretanto, o atleta deixou claro, o desejo de retornar ao clube no futuro.

O Timão vendeu 40% dos direitos econômicos do atleta por 4 milhões de euros, ou seja, R$ 25,7 milhões. Carlos Augusto assinou contrato com o time italiano pelo período de quatro temporadas.

Carta de despedida de Carlos Augusto:

Eu lembro de cada detalhe da minha chegada ao Corinthians. E olha que faz tempo. Era agosto de 2011, há mais de 9 anos. Se fosse um clube normal, já seria natural ter tanto envolvimento e carinho. Foram anos e anos, muitas histórias, muitas conquistas. Mas é o Corinthians. E todos sabem que o Corinthians não é um clube normal. É um gigante que tem vida própria e faz parte da vida de milhões. Minha história no Timão teve que ser interrompida agora, mas desejo do fundo do meu coração que um dia eu volte. E fico extremamente feliz por ter me entregado ao máximo, ter feito tudo da maneira correta. Saio satisfeito em saber que tudo que o Corinthians fez por mim foi retribuído.”

O lateral-direito falou sobre a negociação entre os clubes. Salientou que tudo foi feito as claras. Além disso, Carlos Augusto agradeceu a todos do Corinthians e ainda parabenizou os ex-companheiros pela vitória no Campeonato Brasileiro contra o Goiás.

“Deixar o clube, em uma negociação transparente que eu sei que rendeu frutos ao Corinthians, é de um orgulho também gigante para mim. Agradeço cada funcionário que me ajudou, cada companheiro de clube que me orientou e cada torcedor que vibrou com minhas conquistas no Corinthians. Agora, aqui da Europa, me torno oficialmente mais um torcedor no banco de loucos. E comecei bem. Parabéns pela vitória ontem em cima do Goiás, rapaziada. Sigam firmes, estarei sempre na torcida! E VAI CORINTHIANS! Com muito amor, respeito e gratidão, Carlos Augusto”.

Foto Destaque: Rodrigo Coca/Corinthians

Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

Artigos Relacionados