Rúben Amorim à serviço do Sporting (Foto: Reprodução / Pedro Rocha / Global Imagens)

Em cinco partidas no retorno da Liga NOS, o Sporting já soma quatro vitórias consecutivas e ainda está invicto nesse recorte da temporada. Logo, um dos responsáveis pelo melhor momento dos Leões no ano atende por Rúben Amorim. Assim, o técnico, que assumiu o clube no começo de março, realizou apenas seis jogos e ainda não perdeu. Dessa forma, o desempenho atual já começa a fazer sonhar com vaga na Champions League, para além de confirmar mais uma participação na Liga Europa.

Leia mais:

Assim, desde que assumiu o comando, na última rodada antes da paralisação pela Covid-19, enfrentou Aves, Vitória de Guimarães, Paços de Ferreira, Tondela, Belenenses SAD e Gil Vicente. Logo, em contraste com os principais rivais Porto e Benfica, com o último em significativa queda técnica. Dessa forma, na entrevista coletiva ao final da vitória contra o Galo, o treinador Rúben Amorim falou sobre as razões para o seu sucesso inicial:

Tenho tido bons jogadores, sorte nos momentos certos e gente que acredita em mim. Tento retribuir da mesma maneira, mas não tenho nada a ensinar. Sou o primeiro a tirar de outros treinadores, como o Vitor Oliveira. Há grandes treinadores portugueses e aprendo muito com eles.

Tivemos tempo para preparar, nisso a pandemia ajudou-nos um pouco. Mas é o nosso trabalho, este grupo tem uma coisa muito boa, pois sofremos em todos os jogos e é um prazer enorme sofrer com eles. Vou até ficar mais velho com este sofrimento…” – respondeu Rúben Amorim.

CONTROLE DO VESTIÁRIO

Logo, um dos pilares é a boa relação com os jogadores. Pois, o treinador é uma pessoa muito próxima de seus comandados. Assim, sendo alguém de bom humor, que participa das brincadeiras dos atletas, até entrando nas apostas, Rúben Amorim também consegue ser responsável e sério nos momentos certos. É assim que ele mantém controlado o vestiário do Sporting, de forma natural e tendo o respeito dos demais.

Dessa forma, um comportamento já evidenciado enquanto técnico do Braga. Apesar do curto tempo que ficou à serviço dos Arsenalistas, o treinador somou 10 vitórias em 13 jogos. Logo, Rúben Amorim é um exemplo de empatia com o grupo de jogadores tendo uma forma de trabalhar que surpreendeu os dirigentes do Sporting. Atualmente, é alguém querida nos corredores de Alvalade e da Academia Sporting.

LIDERANÇA NATURAL

Com perfil empático, Rúben Amorim se consagra na passagem pelo Sporting como um líder nato. Isso porque, consegue se fazer impor por exemplo e comportamento através de sua metodologia de trabalho e pensamento de jogo. Além disso, possui uma mentalidade vencedora fruto de “estágios” com grandes treinadores, que coloca em prática na gestão de elenco, exemplo foi o caso do afastamento do zagueiro Mathieu.

METODOLOGIA DE TREINO

Por fim, um dos grandes diferenciais de Rúben Amorim é seu método inovador de treinamento, que atraem e cativam os jogadores. Assim, metódico e detalhista, o treinador fica atento a cada ação dos atletas e está sempre pronto para eventuais correções, de forma simples e direta. Logo, foi dessa forma que implantou seu estilo de jogo com três zagueiros, quatro homens de meio campo e três jogadores na frente. Além disso, as orientações táticas seguem uma estrutura em fases, onde gradualmente vão sendo absorvidos pelo grupo.

Assim, cada sessão de treino é dedicada para aprimoramento de um fundamento específico e o treinador não se preocupa com o tempo que leve. Além disso, faz uso de vídeos e das novas tecnologias ao lados dos auxiliares Carlos Fernandes e Adélio Cândido. Um bom exemplo é a eficácia nas bolas paradas, com 50% dos gols marcadas desde então, algo trabalhado pelo treinador. Dessa forma, até o momento, a Era Rúben Amorim é sinônimo de eficiência e sucesso.

Foto destaque: Reprodução / Pedro Rocha / Global Imagens

Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados