Robinho brilha no Mineirão e deixa o Corinthians fora do G6

Cruzeiro vence Corinthians por 3×2 de virada, neste domingo (11), pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro, e tira os paulistas da pré-Libertadores. A equipe alvinegra esteve duas vezes a frente no marcador, resultado que os colocaria no G6, mas não soube administrar a vantagem e sofreu a virada. Antes da bola rolar, os jogadores das duas equipes e repórteres de diversas emissoras fizeram uma roda no meio do campo, fazendo uma homenagem às vítimas da tragédia aérea da Chapecoense.

O Cruzeiro começou a partida com uma postura ofensiva, mantendo-se no campo adversário e buscando chances. Os donos da casa criam a primeira oportunidade em um contra-ataque, quando Robinho recebeu lançamento e chutou à direita de Walter. A Raposa chegou a abrir o placar com Arrascaeta de cabeça, mas o meia uruguaio estava poucos centímetros impedido aos 5. O Corinthians, por outro lado, foi mais eficiente, e em sua única chance do primeiro tempo não perdoou os donos da casa. Em cobrança de escanteio, Uendel cruzou e Rodriguinho desviou para o meia Guilherme, livre no segundo pau, balançar as redes no Mineirão aos 7. Com a vantagem no marcador, os alvinegros melhoraram levemente no jogo, mas sem preocupar muito os mineiros. Rafael Sóbis assustou Walter aos 18, quando achou espaço e seu chute bateu no travessão. Cinco minutos depois, não houve travessão nem impedimento de Arrascaeta que impedissem o gol da Raposa. Sóbis dominou na área, ajeitou para Robinho, com um leve e inteligente passe, deixar o camisa 10 do Cruzeiro livre na área para acertar um bom chute e empatar a partida. O setor ofensivo dos visitantes não conseguia criar jogadas. Guilherme, mesmo tendo marcado o gol alvinegro, Marlone, Romero e Rodriguinho pareciam sem criatividade e distantes em campo. A defesa do Corinthians também se mostrava frágil e desorganizada. Além do volante Cristian não oferecer boa proteção, muitas vezes a marcação chegava atrasada. O meia do Cruzeiro teve boa atuação nos 45 minutos (aliás, 46) iniciais, chamando o jogo e cadenciando as jogadas.

Falha de Manoel no gol do Corinthians

No escanteio que originou o gol da equipe paulista, o zagueiro cruzeirense, sem nenhum perigo a sua meta, desviou a bola de cabeça para a linha de fundo. O goleiro Rafael também já estava no lance. Seja por falha de comunicação ou precipitação do defensor, o escanteio provocado por Manoel foi desnecessário.

Bandeira do escanteio quase causa gol do Cruzeiro!

Aos 30 minutos, um lance muito peculiar em Belo Horizonte. O zagueiro Vilson cortou o cruzamento de Alisson, e a bola rolava em direção a linha de fundo. Entretanto, ela acertou caprichosamente a bandeira do escanteio e continuou em campo. O atacante cruzeirense pegou a sobra e driblou Balbuena, mas a bola saiu em tiro de meta. Uma pena, pois Alisson havia mandado para a área e Robinho tinha marcado.

O Corinthians voltou melhor dos vestiários com maior volume de jogo e trocando passes, “estacionando” no campo do Cruzeiro. Arrascaeta criou o primeiro bom lance da segunda etapa aos 8, tirando Fagner da marcação e chutando forte, mas a bola passou ao lado da meta. Em apenas quatro minutos, três gols no Mineirão. Fagner tabelou com Rodriguinho aos 9 e, da linha de fundo, cruzou para Marlone, na pequena área, cabecear para o fundo das redes. Aos 11, o empate cruzeirense. Robinho cruza para o lateral Ezequiel, livre na direita, chutar de primeira no canto de Walter. Aos 13, Robinho consagra sua grande partida e marca o dele. O meia da Raposa recebeu na área, cortou Guilherme Arana com facilidade e finalizou com frieza, virando o placar em Belo Horizonte. A reação mineira deixou o Corinthians sem nenhuma reação, e a toda a melhora apresentada nos primeiros minutos do segundo tempo havia desaparecido. Os donos da casa apenas trocavam passes, mantendo a posse de bola e controlando o jogo sem grandes esforços. Aos 46, Léo Jabá, uma das promessas alvinegras, desperdiçou uma grana última oportunidade do jogo. O cruzamento de Fagner atravessou toda a área, e o jovem atacante poderia tentar uma finalização ao invés de dominar a bola e ser desarmado. Com isso, o placar final foi de 3×2 no Mineirão.

Arana, por favor, não faça mais isso

Aos 42 minutos do segundo tempo, com o jogo praticamente definido, o jovem lateral corintiano acertou o meia Rafinha pelas costas, sem nenhuma necessidade. Sabemos que Arana tem apenas 19 anos, e que talvez o jogador tenha sido tomado pela imprudência, mas esse lance não pode se repetir. Ele poderia ter sido expulso, até seria uma boa lição, mas o arbitro optou pelo cartão amarelo. Seja onde o alvinegro seguir sua carreira, no Corinthians ou na Europa (Manchester United e principalmente Inter de Milão se mostram interessado no lateral), por favor Arana, coloque a cabeça no lugar e nunca mais faça isso.

Melhor da partida: Robinho foi “o cara” do jogo. O jogador cruzeirense foi o dono do meio de campo, controlando o ritmo da partida, armando as principais jogadas e mantendo um bom nível da Raposa. O camisa 8 foi responsável direto pelos três gols da equipe mineira, dando duas assistências e anotando um gol.

Com o resultado, o Cruzeiro, que já não disputava mais nada nesta altura da competição, terminou o ano na 12ª colocação, com 51 pontos, conquistando uma vaga para a Copa Sul-Americana. O Corinthians não conseguiu ingressar no G6 nesta última rodada, finalizando o Campeonato Brasileiro em 7º lugar, com 55 pontos, dois a menos que o Atlético Paranaense. Os alvinegros também jogarão a Copa Sul-Americana.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Papa
Guilherme Papa
Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

Artigos Relacionados

Topo