RIver Plate

Foi no dia 26 de junho de 2011 em pleno Monumental de Nuñez, que o tradicional Club Atlético River Plate amargurou sem dúvidas o pior acontecimento de sua história, o rebaixamento para a Série B do Campeonato Argentino. Assim como já é de praxe em praticamente todas as ‘tragédias' que acontecem nos grandes clubes, este vexame ‘Millonario‘ está diretamente atrelado a uma péssima administração da década passada, sendo que nem a posse de comando do ídolo Daniel Passarella na presidência do clube, foi capaz de evitar a queda de divisão.

Além disso, nomes como Carrizo, Maidana, Lamela, Caruso e Pavone também não conseguiram ajudar o ‘River‘ durante a temporada. Principalmente no jogo decisivo diante do Belgrano que acabou selando o rebaixamento após o empate por 1 x 1. Destaque negativo para um dos principais jogadores daquele plantel, o atacante Pavone, que acabou desperdiçando um pênalti no final da partida …

Melhores momentos do emocionante jogo que selou o rebaixamento. River Plate 1 x 1 Belgrano. 

A VOLTA DO GIGANTE

Acreditando em dias melhores, o River ‘acordou' e se reformulou. Conseguiu sair de cabeça erguida da segunda divisão, conquistando sem dificuldades o título que lhe concedeu o acesso à elite argentina. Um dos principais destaques foi o veterano David Trezeguet, que chegou às margens do Rio de Prata para defender o River logo após a confirmação do rebaixamento. O jogador e torcedor ‘Millonario‘ assumido, chegou a declarar que jogaria por amor ao clube e sua fanática torcida.

trezeguet river plate x nacional b (Foto: EFE)

O francês Trezeguet ‘explodindo' após marcar o gol do acesso na vitória de 2 x 0 sobre o Almirante Brown. Foto – EFE

ERGA ESSA CABEÇA, METE O PÉ E VAI NA FÉ

Posteriormente ao acesso e título da Serie B, o plantel continuou sendo reformulado. Porém ainda faltava muita coisa para voltar a ser o River Plate de ‘verdade'. Pois bem, foi com a volta do ídolo Marcelo Gallardo, dessa vez como técnico,  que o clube encontrou sua redenção em 2014. Conquistando um épico Campeonato Argentino na penúltima rodada após uma goleada de 5 x o sobre o Quilmes. Ressurgia ali o maior campeão argentino …

Além de saborear o título nacional, o clube encerrou um jejum de 17 anos sem conquistar um título internacional ao vencer a Copa Sul-Americana de forma invicta. Batendo o arquirrival Boca Juniors na semifinal e o Atlético Nacional da Colômbia na grande final.

Atenção voltada para o confronto contra o ‘Boca',  que certamente para a torcida ‘Millonaria‘ valeu muito mais que a conquista da competição. Onde após um empate sem gols em La Bombonera no jogo de ida, o River carimbou sua classificação para a grande final com a vitória magra de 1 x o com gol de Pisculichi. Tendo como grande herói o goleiro Barovero, responsável por defender o pênalti de Gigliotti aos quatro minutos do primeiro tempo.

Mais conquistas estavam por vir …

LIBERTADORES 2015

Após ter se classificado com a pior campanha da primeira fase da competição, o River enfrentou o melhor time da fase de grupos, novamente seu arquirrival Boca Juniors. Era prometido então, mais um cenário de guerra para a história do confronto. Foi exatamente o que aconteceu …

De antemão, o regulamento definiu que o duelo das oitavas de final, seria decidido em La Bombonera. Logo, ‘Los Millonarios‘ trataram de fazer o dever de casa e com o gol solitário de Carlos Sanchez após cobrança de pênalti, garantiram a vantagem para o jogo de volta.

O clima hostil se confirmou na partida decisiva no bairro de La Boca, pois logo ao final do primeiro tempo que terminou empatado por 0 x 0, os Hinchas do Boca atingiram os jogadores visitantes com gás de pimenta. Episódio este que marcou a paralisação do jogo e consequentemente a exclusão do Boca Juniors da competição.

O tricampeonato veio com a goleada de 3 x 0 sobre o Tigres do México, no Monumental de Nuñez.

LIBERTADORES 2018

O River teve uma das melhores campanhas de toda competição. Deixando para trás adversários tradicionais e poderosos, como Flamengo, Racing, Grêmio e mais uma vez seu maior rival Boca Juniors. Mas dessa vez o cenário seria outro, pois o encontro contra seu arquirrival foi logo em uma final de campeonato. Sendo que o primeiro jogo em La Bombonera acabou empatado por 2 x 2.

A melhor campanha em relação ao seu adversário, deu aos ‘Millonarios‘ a chance de decidir a ‘Final do Século' em seus domínios. Mas por conta do vandalismo de seus Hinchas, o jogo teve que ser adiado e transferido para Madrid na Espanha. O que tornou esta decisão ainda mais especial.

O duelo foi digno de espetáculo e acabou sendo decidido apenas na prorrogação, com vitória do River Plate pelo placar de 3 x 1. Definitivamente levando ‘Los Millonarios‘ à redenção eterna.

AS CONQUISTAS NÃO PARAM

Além das grandes conquistas lembradas acima, o Club Atlético River Plate foi responsável por levantar outros inúmeros canecos desde a volta para a elite do futebol argentino. Como resultado:

  • Copa Sul-Americana 2014.
  • Recopa Sul-Americana 2015 e 2016.
  • Copa Suruga 2015.
  • SuperCopa Argentina 2016, 2017 e 2018.

Por fim, o único título que o clube acabou não conseguindo conquistar nessa década, foi o Mundial Interclubes. Batendo na trave duas vezes: 2015 diante do Barcelona de Messi e 2018 diante do desconhecido Al Ain dos Emirados Árabes.

Imagem Destacada: Alejandro Pagni / AFP

Lucas Bertuzzi
Tenho 25 anos e estou no 7º semestre do curso de Jornalismo na faculdade São Judas Tadeu. Minha facilidade ao falar em público e principalmente minha paixão pelo esporte, em especial o futebol. Me fizeram ingressar na comunicação social, com um só intuito: ser repórter esportivo.

Artigos Relacionados