Ricardo Belli, técnico do Palmeiras Feminino, as Palestrinas

Ricardo Belli, treinador do time feminino do Palmeiras desde julho de 2019, enfrentará sua maior responsabilidade no comando do Verdão. Após liderar a equipe até as semifinais do Campeonato Paulista e do Campeonato Brasileiro em 2020, a expectativa é ainda maior para 2021.

Dessa forma, em entrevista ao canal Análise Verdão, Ricardo explicou a mudança no posicionamento de Camilinha. Assim, na última temporada, a jogadora passou a ser lateral-esquerda em vez de meio-campista.

“A gente jogou com a Camilinha na lateral, mas não sou só eu. A Pia também usa a Camilinha na lateral. Na Ferroviária, antes dela jogar pelo Orlando, era lateral-esquerda. Não fui eu quem inventou ela na lateral. Todas as jogadoras de linha do Palmeiras têm, no mínimo, três posições. É uma das coisas que a gente prioriza”, explicou o treinador.

Além disso, Ricardo Belli ainda citou outros exemplos de jogadoras que exercem mais de uma função. Assim, explicou que faz parte do planejamento do clube trazer atletas que ofereçam essas alternativas ao comandante.

“A Thais, por exemplo, virou zagueira no Palmeiras. Pode ser lateral e começou como volante. Não me apego à posição e sim à função. Teve um jogo contra o Santos que a Agustina estava na lateral direita, porque a gente precisava reforçar a marcação por ali”.

Dessa maneira, a estreia do Palmeiras no Campeonato Brasileiro Feminino está prevista para o dia 18 de abril, contra a Ferroviária, às 20h (horário de Brasília), sem local definido. A partida deve marcar a primeira transmissão da competição pelo Sportv.

Foto destaque: Divulgação/SE Palmeiras

Lauren Berger
Lauren Berger
Lauren Berger, gaúcha e apaixonada por futebol. Cresci vendo grandes nomes do Brasil em campo e um sentimento especial cresceu em mim. Vi Ronaldinho Gaúcho, Fernandão, Cristiano Ronaldo, Iniesta e foi amor à primeira partida. Estudo na Universidade Luterana do Brasil-RS.