Emerson Sheik com a camisa do São Paulo (Foto: Reprodução/GE)

Antes de mais nada Emerson Sheik é ídolo do Corinthians. Ainda mais pela história à frente do time e um dos jogadores mais importantes da história do clube. Foi campeão da libertadores em 2012 com dois gols pra cima do Boca Juniors. A princípio sempre foi um dos mais “zoeiras” do time. E tudo isso se estendeu até encerrar a sua carreira em 2018.

Enquanto os torcedores do São Paulo não são fãs do atleta e nem querem lembrar do Sheik defendendo o time. O ex-atacante foi revelado pelo Tricolor no final da década de 1990. Ainda mais na última sexta-feira (22) em entrevista à TV Bandeirantes, Sheik falou do time do Morumbi. Bem como após ver uma reportagem que fez um resumo da sua carreira e mostrava sua passagem por lá:

“Fiquei extremamente feliz de terem colocado o São Paulo. Queria falar do São Paulo, onde foi o início da minha carreira. Eu zoei muito o São Paulo, fiz todas as brincadeiras possíveis, porque acredito que o futebol perdeu essa magia. Hoje atletas, comissão técnica e até diretoria é punida. Compartilho das brincadeiras porque cresci vendo Romário, Edmundo, Renato Gaúcho brincarem. Vivi isso como torcedor”, relatou.

Conforme publicou o Gazeta Esportiva, o ex-jogador se declarou ao primeiro clube:

“Foi o São Paulo que abriu as portas para o meu sonho de ser jogador. Ali eu fiz toda a minha base. Ali cresci como ser humano e pessoa. E aprendi a ser gente“, lembrou.

EMERSON SHEIK GRATO AO SÃO PAULO

Ainda assim, Emerson Sheik lembrou a importância do São Paulo em sua história e como é aposentado, não tem mais razão para fazer piadas com o clube:

“Já não sou mais atleta, não tenho mais que zoar o São Paulo. Fazia isso porque era uma brincadeira minha. Gostava de fazer isso. E o São Paulo faz, sim parte da minha história. Eu ganhei títulos no São Paulo também, tá? Teve um Torneio da Flórida, talvez, um torneio dos Estados Unidos. Então, tenho título pelo São Paulo também. É um título de um torneio curto (risos)”, completou Sheik.

Definitivamente, quem não sente falta de ver o Emerson heik em campo. Além do São Paulo em 1990, como também vestiu as camisas do Flamengo, Fluminense, Consadole Sapporo, Urawa Red Diamonds, Al-Sadd e Al Ain. Encerrou sua carreira no Corinthians, onde também trabalhou como dirigente e saiu do cargo em 2019.

Foto Destaque: Reprodução/GE

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Artigos Relacionados