Fechando a tarde deste sábado (11), o Remo recebeu o Vila Nova pelo jogo de volta da final da Copa Verde, no estádio Baenão. Ao passo que no duelo anterior, o placar foi de empate sem gols, trazendo a decisão para Belém. Mesmo após reclamações quanto aos valores do ingresso, a torcida Azulina marcou presença e como sempre deu um show.

Com um jogo equilibrado desde o começo do primeiro tempo, o juiz não teve muito trabalho já que aparentemente não houve muitas faltas. Tanto mandantes quanto visitantes se mantiveram na defensiva com raras  oportunidades para os dois times.

Contudo, a segunda etapa foi um pouco diferente, o Leão e o Dragão voltaram com uma postura mais aguerrida afim de abrir o placar, assim sendo, conquistar o triunfo do título. No entanto, a estrela do goleiro Azulino, Vinícius, estava brilhando e não deixou as tentativas da equipe goiana resultarem em gols.

Dessa forma, o árbitro teve um pouco mais de trabalho, porque com o ritmo mais intenso, mais faltas vieram. A partida ficou mais trucada e assim foi até o final do tempo regulamentar juntamente com os oito minutos de acréscimos. Portanto, com o placar em 0 x 0, o campeão foi decidido nas penalidades máximas.

Penalidades máximas

Ao passo que as cobranças iniciaram com os visitantes, o jogador Clayton converteu e em seguida, Neto Pessoa deixou tudo igual. Na sequência, ambos adversários converteram, Rafael Donato pelo Dragão e Raimar pelo Leão, 2 x 2. Entretanto, a estrela do arqueiro do Remo estava brilhando nesta noite, assim sendo, ele conseguiu defender dois pênaltis seguintes, de André Krobel e de Johnatan Cardoso. Enquanto, Fredson e Marlon marcaram e, deram a vitória para os donos da casa.

O triunfo trouxe aos Paraenses um título inédito na Copa Verde, além de R$ 150 mil e um carro 0 km. A princípio, o valor é pouco, mas também garantiu uma vaga direta na terceira fase da Copa do Brasil, com uma cota de cerca de R$ 1,7 milhão.

Foto: Divulgação/Twitter

Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.