Racing

Nesta sexta-feira (29), Racing e Defensa y Justicia se enfrentaram em partida válida pela 15ª rodada da Superliga Argentina. Assim, El Halcón surpreendeu no princípio de jogo e saiu na frente com gol de Ignacio Aliseda. Mas, a vantagem foi curta, pois, logo em seguida, Cvitanich empatou, de pênalti, para El Primer Grande. Com os gols no começou do confronto, a tônica do duelo foi a busca do tento da virada que daria a vitória. Logo, na despedida do Chacho do El Cilindro, faltou qualidade no último toque na bola para ambas as equipes. O empate em 1 x 1 foi pior para La Academia que desperdiçou chance de colar nos líderes.

1º TEMPO

A partida começou bastante movimentada em Avellaneda. Assim, o Defensa y Justicia procurou mostrar porque é um bom visitante desde o princípio. Logo a 1′, Nicolás Fernández finalizou por cima do gol. Em seguida, em contra-ataque, o camisa 29 tocou para Ignacio Aliseda bater na saída de Arias e abrir o placar. Sendo assim, El Halcón seguiu no ataque com Alexis Castro. No entanto, aos 10′, Héctor Martinez fez pênalti. Cvitanich converteu e empatou. Após, o Racing começou a sair mais para o jogo e o duelo se equilibrou. Dessa forma, aos 22, o camisa 20 cabeceou uma bola perigosa para defesa de Unsain.

Na sequência, o Defensa y Justicia respondeu com Rafael Delgado, após passe de Neri Cardozo, mas a bola passou ao lado do gol. Aos 37′, o mesmo Delgado recebeu bola de Alexis Castro e finalizou, Arias defendeu. Sendo assim, o Racing voltou a assustar com Montoya pelo lado direito do campo, mas esbarrou na boa noite de Ezequiel Unsain. Já na reta final, Matías Rojas e Montoya experimentaram de fora da área para a representação mandante, mas sem sucesso. Assim, os times foram para o vestiário com a igualdade no placar.

2º TEMPO

Querendo surpreender, o Defensa y Justicia voltou com a mesma intensidade da etapa inicial. Assim, aos 5′, Alexis Castro cobrou falta e Héctor Martinez cabeceou na trave de Arias. Em seguida, Nicolás Fernández encontrou Aliseda pela direita e o camisa 32 finalizou para defesa do goleiro de La Academia. Dessa forma, o Racing só voltou a povoar a área adversária aos 19′. Rojas deu passe na área para Reniero que, pela direita, chutou para fora. Na sequência, Iván Pillud cruzou bola no ataque e Cvitanich cabeceou da pequena área, mas a bola não encontrou a direção de Ezequiel Unsain.

Dessa maneira, já na reta final de jogo, as equipes alternaram chances criadas. Aos 33′, Ignácio Aliseda tocou para Rafael Delgado que, da intermediária, experimentou chute, mas mandou forte, longe do gol. Aos 39′, nova descida do Racing, após passe de Eugenio Mena, Pillud chegou batendo, mas pegou mal na bola. Em seguida, David Barbona encontrou Luca Andrada, que de fora da área, arriscou o arremate, mas sem direção. Com isso, os clubes finalizavam, todavia não tiveram qualidade para mudar o panorama final da partida.

E AGORA?

Sendo assim, com o empate, o Racing desperdiça boa chance de empatar com os líderes Boca Juniors e Argentinos Juniors e segue na 3ª posição com 26 pontos. Dessa forma, pode ficar a cinco pontos do topo da tabela. Enquanto que o Defensa y Justicia sobe uma posição e chega ao 15º lugar com 18 pontos. Na próxima rodada, a última em 2019, La Academia visita o Lanús, no sábado (7/12), às 21h45 (horário de Brasília). Já El Halcón recebe o Godoy Cruz, no domingo (8/12), às 17h35 (horário de Brasília).

MELHORES MOMENTOS

Foto Destaque: Reprodução / Fotobaires / Diário Olé

Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados