Qual o impacto da paralisação nos esportes?

- Atletas têm visões diferentes do impacto que a pausa forçada está provocando
O impacto da paralisação no esporte nos esportes

Quando os esportes vão voltar ao redor do mundo? Quanto o adiamento das Olimpíadas de Tóquio afetou os atletas? A temporada dos campeonatos europeus vai ser retomada? Dar férias para os jogadores, ou mantê-los fazendo exercícios para permanecerem em forma? Muitas perguntas, poucas respostas. Especialistas, técnicos, atletas, todos foram pegos de surpresa. De repente, uma nova rotina precisou ser criada: dentro de casa.

Os clubes europeus de futebol seguiram todos a mesma linha: planilha de treinamentos semanais para os jogadores. Nada muito pesado, mas a intenção é que quando a temporada voltar, eles estejam com algo em torno de 50%, 60% do condicionamento físico. Ninguém tem dúvida que, se as competições realmente forem retomadas, não vai haver tanto tempo assim de preparação, afinal o calendário já está todo atrasado.

https://twitter.com/tatimantovani/status/1239942106552176640

TEMPORADA PERDIDA?

Os atletas olímpicos passam por dificuldades bem diferentes. Os nadadores, por exemplo, ficam praticamente impossibilitados de fazer a parte mais importante do treino: nadar. Afinal, quantos deles possuem uma piscina dentro de casa? Etiene Medeiros, recordista mundial dos 50 metros costas em piscina curta, é enfática: a temporada já está perdida, não há o que fazer.

E os judocas: como manter o ritmo de luta treinando sozinhos? Nesses casos, é possível prever que, quando o isolamento acabar, eles vão precisar de um bom tempo para voltar ao alto nível. E muitos deles ainda precisam passar por eventos qualificatórios, para só depois pensar na olimpíada propriamente dita.

Paulo Paula relata sua rotina de exercícios (Foto: Betway)

Mas nem tudo é motivo para desespero. Um exemplo é o maratonista Paulo Paula, que não vê a paralisação como algo ruim. Pré-convocado para os jogos de Tóquio, ele vai usar esse inesperado período sem competições para descansar o corpo. Aos 40 anos de idade e com duas Olimpíadas na bagagem, não consegue nem lembrar a última vez que pôde fazer isso.

GRANDE PRESSÃO

A grande pressão está sobre as Confederações. Como a UEFA, por exemplo, vai definir em que data a Champions League pode voltar, se praticamente todas as fronteiras dos países europeus estão fechadas? E a Premier League? Como falar em um possível cancelamento da temporada se o Liverpool tinha 25 pontos de vantagem para o 2º colocado e já era tido como favorito em 99,9% das casas de apostas esportivas online?

Das grandes ligas europeias, a Bundesliga é a única que já dá sinais de movimentação. O campeonato conta com todos os seus clubes de volta aos treinamentos, mas com jogadores ainda mantendo o distanciamento de pelo menos dois metros um do outro. A data oficial para o retorno segue a mesma: 4 de maio.

Mas por toda a Europa ainda existe muita gente que duvida disso. Quanto mais o tempo passa, mais apertado fica o calendário, e mais pressionadas ficam as entidades que definem o planejamento do esporte mundial. É uma situação nunca vivida antes! Por isso, decisões nunca antes vistas estão a caminho.

Foto destaque: Reprodução/Betway

BetWarrior


Poliesportiva


Lauren Berger
Lauren Berger
Lauren Berger, gaúcha e apaixonada por futebol. Cresci vendo grandes nomes do Brasil em campo e um sentimento especial cresceu em mim. Vi Ronaldinho Gaúcho, Fernandão, Cristiano Ronaldo, Iniesta e foi amor à primeira partida. Estudo na Universidade Luterana do Brasil-RS.

    Artigos Relacionados

    Topo