eurocopa

Em suma, na próxima sexta-feira (11), a bola rola para a Eurocopa 2021. Com as maiores seleções do continente, esta disputa promete ser acirrada, pois, há algum tempo, não existem tantos candidatos a levantar o troféu. Portanto, as gerações belgas e inglesas surgem como possíveis surpresas, além das já esperadas seleções francesa, portuguesa e alemã.

As surpresas da Eurocopa

Primeiro, a Bélgica, já tão falada desde a Euro 2016, chega mais uma vez com seus nomes mais famosos e agora, mais maduros para decidirem. Se na Copa do Mundo de 2018, os belgas pararam nas semifinais, a promessa agora é que o time de Lukaku, De Bruyne e Hazard, chegue mais longe. Já os ingleses, com muitos jogadores jovens, começam a trilhar um caminho que se espera algum título importante. Os nomes de Mount e Foden, finalistas de Champions, além de Rashford, Sancho e Harry Kane, mostram o ótimo trabalho feito pela base da seleção.

As principais seleções

Portanto, entrando no campo da favoritas, o Grupo F reúne as três seleções mais fortes: Alemanha, França e Portugal. Neste grupo, simplesmente temos os últimos dois campeões de Copa do Mundo, além dos Lusitanos, que venceram a Euro 2016. Decerto, os alemães estão em um final de ciclo vencedor, e esta competição deverá marcar a despedida de nomes importantes, como o atacante Muller e o zagueiro Hummels. O treinador Joachim Low será o primeiro a sair – após a Euro, “Hansi” Flick assumirá.

Portugal chega com a sua melhor seleção formada em toda sua história. Comandados por Cristiano, ainda em grande forma, os portugueses hoje contam com o melhor zagueiro do mundo, Rúben Dias, além de nomes grandiosos, como Bruno Fernandes e João Félix. Entretanto, a favorita para vencer é a atual campeã do mundo, França. Os Azuis simplesmente têm uma constelação para entrar em campo. Dechamps conta com Kanté, Pogba, Mbappé e Griezmann, além da volta de Benzema, após cinco anos afastado por problemas extra-campo.

A favorita da Eurocopa

Decerto, pela continuidade do trabalho e o muito tempo de jogo coletivo, além das peças individuais que decidem, colocam a França como a seleção favorita a levar o troféu que não conseguiu em 2016.

Foto destaque: Reprodução/ UEFA

Robert Ferreira
Robert Ferreira
Sou o Robert! Fiz jornalismo para vivenciar histórias, estar dentro dos fatos e o principal, ter acesso a verdade, sempre! O esporte sempre esteve na minha vida, e unir a escrita com o futebol seria é o ideal de vida. Escrevi para redação do jornal universitário além de atuar fortemente nas redes sociais com posicionamentos sobre cultura negra. Sujeito calmo com o objetivo de ganhar o mundo!

Deixe uma resposta