A Seleção Qatariana recebe a Seleção Chinesa em amistoso no próximo dia 7 de setembro, às 13h, no Estádio Internacional Khalifa, em Doha, no Qatar. São duas seleções consideradas fracas internacionalmente, com os qatari ficando na 98ª posição do ranking da FIFA e os chineses um pouco mais a frente, na 75ª colocação.

Qatar

O técnico do espanhol Félix Sanchez nomeou um time de 25 jogadores para as partidas contra a China (7 de setembro) e Palestina (11 de setembro). Sanchez está trabalhando na equipe que disputará a Copa Asiática de 2019, que acontecerá nos Emirados Árabes Unidos, em janeiro. Na Copa da Ásia, o Qatar está no Grupo E com Líbano, Arábia Saudita e a Coreia do Norte. A ideia do treinador é jogar vários amistosos para garantir as melhores preparações possíveis antes do evento de futebol mais prestigioso da Ásia para seleções nacionais. Ainda visando a forte preparação, enfrentarão o Equador, dia 12 de outubro, seguido do confronto contra o Uzbequistão, em 16 de outubro. O Qatar jogou duas vezes em 2018: venceu o Iraque, fora de casa, por 3 x 2 e empatou com Síria por 2 x 2.

https://twitter.com/QFA/status/1037777572090798080?s=19

O elenco qatari é bastante jovem, foi reformulado e tem como base jogadores dos maiores times do Qatar e que estão fazendo ótimas temporadas em seus clubes desde o último campeonato. O time é formado, basicamente, por jogadores de Al-Sadd, Al-Duhail e Al-Gharafa, todos participaram/participam da Liga dos Campeões da Ásia, sendo que os dois primeiros estão nas quartas de final do torneio e venceram o jogo de ida. Al Rayyan, com dois convocados, é outro time que participou da Champions Asiática.

https://twitter.com/QFA/status/1037764184547713030?s=19

Veja os atletas convocados:

Goleiros: Meshaal Barsham (Al-Sadd), Mohammed Bakri (Al Markhiya) e Yousuf Hassan (Al-Gharafa);

Defensores: Pedro Miguel “Ró-Ró” (Al-Sadd), Abdelkarim Hassan (Al-Sadd), Sultan Al-Brake (Al-Duhail), Almoez Ali (Al-Duhail), Mahdi Ali (Al-Gharafa), Abdulkarim Al-Ali (Al-Sailiya), Mohammed Alaa (Al Rayyan) e Ahmed Fatehi (Al Arabi);

Meio-campistas: Salem Al Hajri (Al-Sadd), Tarek Salman (Atlético Astorga-ESP), Hashim Ali (Al-Sadd), Bassam Al Rawi (Al-Duhail), Assim Madibo (Al-Duhail), Abdullah Al-Ahrak (Al-Duhail), Abdelrahman Moustafa (Al-Ahli), Abdulaziz Hatem (Al-Gharafa), Hamad Al-Obeidi (Al Rayyan), Ahmed Fatehi (Al Arabi) e Ahmad Moein Doozandeh (Qatar);

Atacantes: Boualem Khoukhi (Al-Sadd), Hassan Al Heidos (Al-Sadd), Akram Afif (KAS Eupen-BEL) e Ahmad Alaa (Al-Gharafa).

https://twitter.com/QFA/status/1037030158039961602?s=19

Provável escalação: Meshaal Barsham; Ró-Ró, Almoez Ali, Abdelkarim Hassan e Assim Madibo; Bassam Al Rawi, Tarek Salman, Ahmad Moein Doozandeh e Abdulaziz Hatem; Hassan Al Haidos e Akram Afif. Técnico: Félix Sánchez.

China

Com uma média de idade de 29 anos, o elenco chinês tem certa experiência. Entretanto, nenhum joga fora da China para poder ter mais experiência In loco e depois se aperfeiçoar internacionalmente. Porém, com o alto investimento de empresas em clubes chineses e o incentivo do governo ao esporte, muito atletas estrangeiros de alto escalão foram para o país ajudar a difundir o futebol e isso vem dando certo. Com sete convocados, o Guangzhou Evergrande é maioria na seleção nacional e, além de ser o atual heptacampeão chinês, foi duas vezes campeão da Liga dos Campeões da Ásia (2013 e 2015). Atualmente, estão por lá nomes brasileiros como Alexandre Pato, Hulk, Oscar, Paulinho, Talisca, Diego Tardelli, Hernanes, Alex Teixeira, Renato Augusto, os argentinos Lavezzi e Mascherano, o belga Carrasco, dentre muitos outros.

Marcello Lippi, treinador da Seleção Chinesa (Divulgação/Associação Chinesa de Futebol)

Sobre a explicação pela escolha do elenco, Lippi disse:

“Eu chamei um monte de jogadores jovens, principalmente porque quero aumentar a experiência internacional. Agora, com a Copa da Ásia se aproximando, é preciso voltar antigos jogadores para enriquecer a força da equipe. No momento, os mais experientes são muito bons, são rostos conhecidos em eventos importantes, como a Copa da Ásia, a sua força e experiência vai ajudar a equipe a conquistar melhores resultados”.

A equipe chinesa vem de duas vitória seguidas, batendo o Mianmar por 1 x 0 e a Tailândia por 2 x 0. A base do time é formada por jogadores de Guangzhou Evergrande (7), Beijing Guoan (5), Shanghai SIPG (3) e Tianjin Quanjian (3), com os três primeiros times liderando a Superliga Chinesa e o quarto sendo o único chinês nas quartas de final da Champions Asiática.

Seleção Chinesa chega a Doha, no Qatar (Divulgação/Associação Chinesa de Futebol)

Veja os atletas convocados:

Goleiros: Zeng Cheng (Guangzhou Evergrande), Yan Junling (Shanghai SIPG) e Zhang Lu (Tianjin Quanjian);

Defensores: Yu Hai (Shanghai SIPG), Feng Xiaoting (Guangzhou Evergrande), Zhang Linpeng (Guangzhou Evergrande), Li Xuepeng (Guangzhou Evergrande), Zhang Chengdong (Hebei China Fortune), Zheng Zheng (Shandong Luneng), Yu Yang (Beijing Guoan) e Wang Tong (Shandong Luneng);

Meio-campistas: Zheng Zhi (Guangzhou Evergrande), Zhao Xuri (Tianjin Quanjian), Yu Hanchao (Guangzhou Evergrande), Wu Xi (Jiangsu Suning), Zhang Xizhe (Beijing Guoan), Chi Zhongguo (Beijing Guoan), Piao Cheng (Beijing Guoan) e Mirahmetjan Muzepper (Tianjin TEDA);

Atacantes: Gao Lin (Guangzhou Evergrande), Wu Lei (Shanghai SIPG), Yang Xu (Tianjin Quanjian) e Wei Shihao (Beijing Guoan).

Seleção Chinesa treina para amistoso contra Qatar (Divulgação/Associação Chinesa de Futebol)

Provável escalação: Yan Junling; L. Zhang, Yu Yang, Chengdong e Yu Hai; Zheng Zhi, Wu Xi e Zhao Xuri; Wu Lei, Yang Xu e Gao Lin. Técnico: Marcello Lippi.

Retrospecto

Para quem pensa que este confronto é novidade se engana. O duelo já aconteceu 18 vezes, sendo cinco vitórias do Qatar, o mesmo tanto de empates e oito vitórias chinesas. Jogando em casa, vantagem para os qataris, com duas vitórias, três igualdades e uma derrota. Porém, nos últimos três embates entre eles os chineses levaram vantagem, sendo duas vitórias e um empate. Para completar, o último duelo aconteceu em Doha e a China venceu por 2 x 1.

Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, criado em Taboão da Serra, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
https://bit.ly/EricFilardi

Artigos Relacionados