PSG: Neymar pode ser o “dono” do time, mas não é insubstituível

- Di Maria é vice-artilheiro do PSG na temporada e responsável por 50% das jogadas que resultaram em gols da equipe parisiense
Di Maria PSG

Não é segredo para ninguém que o Paris Saint-Germain está sedento por um título da Liga dos Campeões da Europa e sagrar-se como um dos grandes clubes da Europa e do mundo. Para alcançar esse objetivo investiu bilhões em um elenco recheado de estrelas. Mas a história mostra que apenas dinheiro e estrelas em excesso não são garantias de títulos.

O elenco do PSG está recheado de estrelas que figuram entre os melhores jogadores do mundo. Dani Alves, Di Maria, Mbappé, Cavani, Verratti, além do próprio Neymar são nomes de ponta no futebol mundial. Só para contratar o atacante brasileiro o clube parisiense investiu mais de R$ 1,2 bilhão.

Entretanto, ter um elenco robusto e um orçamento bilionário não necessariamente garante a conquista do campeonato mais cobiçado do continente europeu. Quem se lembra do elenco apelidado de “galácticos” do Real Madrid? Ronaldo, Figo, Zidani, Bekcham, Casillas, Roberto Carlos, Raúl… No papel era o time mais forte já reunido. Juntos, o título da Champions não veio.

Hoje, considerado um dos três melhores jogadores do mundo, Neymar é visto como o “dono” do time do PSG. Pois praticamente todas as jogadas passam pelos pés dele. Criou-se então o mito do “Neymardependência”. Mas as coisas não são bem assim.

É verdade que Neymar é um dos três melhores jogadores do mundo. Mas isso não significa que sem ele em campo o PSG seja um time limitado. Pelo contrário. Como disse, o elenco é recheado de estrelas. Dí Maria pode suprir a ausência dele em campo, já que consegue rodar entre o meio campo e o ataque e é um jogador veloz. Vale lembrar que o argentino, apesar de ter sido sacado do time titular no jogo de ida, diante do Real Madrid, é vice-artilheiro do clube na atual temporada. 50% dos gols do time vieram de jogadas com participação dele.

Sem Neymar e com Di Maria, Mbappé pode atuar com mais liberdade, já que o jovem atacante francês tem atuado de forma mais limitada em prol do atacante brasileiro. Cavani também ganha mais liberdade. Pode receber mais bolas perto da área. Atualmente, o uruguaio é um dos melhores centroavantes do mundo.

Qualquer clube perde com a ausência de Neymar. Mas é o trabalho tático e técnico que pode definir uma partida de tal importância.

Cristiano Lima

Sobre Cristiano Lima

Cristiano Lima já escreveu 5 posts nesse site..

Cristiano Lima, 26 anos, nascido em Planaltina-DF, é jornalista e apaixonado por esportes, em especial o futebol. Residente em Brasília, trabalhou como repórter em um site de esportes da capital, cobrindo os campeonatos Candango (1º e 2º divisão), Copa Verde e Copa do Brasil. Atualmente trabalha como repórter no Congresso Nacional. Agora é, também, o novo colunista – repórter – do Futebol na Veia.Facebook: https://www.facebook.com/cristianolimareporter/Twitter: https://twitter.com/CristianolimaJn

BetWarrior


Poliesportiva


Cristiano Lima
Cristiano Lima
Cristiano Lima, 26 anos, nascido em Planaltina-DF, é jornalista e apaixonado por esportes, em especial o futebol. Residente em Brasília, trabalhou como repórter em um site de esportes da capital, cobrindo os campeonatos Candango (1º e 2º divisão), Copa Verde e Copa do Brasil. Atualmente trabalha como repórter no Congresso Nacional. Agora é, também, o novo colunista – repórter – do Futebol na Veia.Facebook: https://www.facebook.com/cristianolimareporter/Twitter: https://twitter.com/CristianolimaJn

    Artigos Relacionados

    Topo