Lewandowski doa milhão de euros para combater o novo Coronavírus

A FIFA anunciou na semana passada que não acontecerá a cerimônia de premiação para o Prêmio The Best, de melhor jogador do mundo. Contudo, ainda não se posicionou sobre a entrega do título. Assim, a coluna Rasgando o Verbo desta segunda-feira (20), traz um parâmetro de como seria a lista se fosse pego como parâmetro o futebol jogado até a paralisação das ligas.

O critério usado para a lista foi atuações, consistências, números e importante para seu clube na temporada. Alguns nomes poderiam estar presentes, mas tiveram algumas ressalvas. Assim, Haaland faz uma temporada fantástica, e apesar de ser o atual artilheiro da Champions League, passou a maior parte da temporada jogando um futebol de um nível menor, como o austríaco.

Alguns jogadores do Liverpool também merecem destaque, são os casos de Salah e Firmino, que mostraram um bom futebol, mas tiveram altos de baixos na temporada. Além disso, Henderson, Alisson, Van Dijk fizeram ótimas temporadas, mas em um time com pouco brilho, aquele famoso “jogar para o resultado”, pois apesar do título, os Reds não foram brilhantes. E claro, o recorte é OPINATIVO e foi feito com atuações até a paralisação, a lista pode e deve mudar após a volta das competições.

Lista do Prêmio The Best – Futebol na Veia

10º Jadon Sancho

É inevitável dizer que o inglês não teve a melhor temporada de sua curta carreira até aqui. Durante grande parte da temporada foi o principal jogador do Borussia Dortmund, que passou de fase em um grupo difícil na Champions League. Além disso, foi fundamental na campanha do clube na Bundesliga, da qual é postulante ao título, e no total em 35 jogos, fez 17 gols e deu incríveis, 15 assistências.

9° Ciro Immobile

O jogador italiano teve uma temporada dos sonhos, sendo o principal nome de uma equipe que com poucos recursos, conseguiu fazer frente à Juventus. Como resultado, Ciro Immobile teve marcas impressionantes fazendo 30 gols e dando cinco assistências em 33 jogos. Assim, fez a Lazio brigar pelo título da Série A que voltou a ser bem disputada e ter um nível de competitividade este ano. Porém, como a equipe não esteve na Champions League, o centroavante perdeu alguns pontinhos na lista, mas pelo que fez em sua liga nacional, conquistou uma vaga no top 10 do Prêmio The Best.

8º Cristiano Ronaldo 

Estamos acostumados com grandes temporadas do Gajo e com ele estando sempre no top 3. Contudo, o jogador teve alguns altos e baixos na temporada, e isso pesou na decisão. O atleta “acordou” no final do ano passado, e teve marcas importantes como 11 jogos seguidos marcando gol na Série A e tem 32 jogos, 25 gols e três assistências. Contudo, tem números muito aquém na competição que ele mais se destacou: a Champions League. Como resultado, em sete partidas, foram apenas dois gols e pouca produtividade na liga continental.

https://twitter.com/Cristiano/status/1232351249409945604?s=20

7º Neymar

Muitos brasileiros questionavam na última semana se Neymar merecia ser ou não melhor do mundo, e a resposta é clara, não! Da lista o craque foi o que menos atuou, com 22 partidas, muito por ter se machucado e poucos lembram, mas ele não jogou no início da temporada por estar punido tanto na Ligue 1, quanto na Champions League. Contudo, enquanto esteve em campo fez por merecer estar na lista, são 18 gols e 10 assistências. Além disso, levou nas costas a classificação do PSG para as quartas de final da competição continental.

6º Lionel Messi

Outro que sempre brigou pelo topo do Prêmio The Best, nesta lista estaria um pouco aquém do que se imaginava. Apesar dos números ainda serem fantásticos com 31 jogos, 24 gols anotados e 16 assistências e foi o maestro de um Barcelona muito enfraquecido. Além disso, o próprio já assumiu que o Barcelona não vinha bem na temporada, ele sofreu com algumas pequenas lesões, e em algumas partidas foi mais “burocrático” do que costuma ser, mas mesmo assim fez atuações de nível Messi e se faz presente na lista. É o melhor jogador da atualidade, mas não foi o melhor da temporada.

5º Josip Ilicic 

O jogador teve uma temporada dos sonhos, não só ele como seu time, a Atalanta. Assim, Ilicic foi o grande pilar técnico do clube de Bergamo, com grandes atuações tanto na Série A Tim, como na Champions League, que vale lembrar, que os italianos estão nas quartas de final. Como resultado, o esloveno fez 32 jogos e anotou 21 gols e deu cinco assistências.

4º Kevin de Bruyne

Que temporada do belga! Aliás, mais uma. O jogador é o maestro de um Manchester City que apesar da inconstância na Premier League, encaminhou a vaga para as quartas de final da Champions League em cima do Real Madrid. Como resultado, jamais se destacou com números de gols, foram apenas nove, contudo, somou incríveis 20 assistências – o maior garçom do futebol europeu – e foi o pilar técnico do clube inglês.

3º Sadio Mané 

O Liverpool viveu uma temporada mais “burocrática”, com pouco brilho e mais eficiência para conseguir se distanciar na liderança da Premier League. Contudo, em todo o período, Mané foi brilhante, com atuações fantásticas, cheio de genialidade e faro de gol. Com Firmino e Salah tendo inconsistências na temporada, o camisa 10 foi constante o tempo todo, assim, anotou 18 gols e deu nove assistências em 38 partidas.

2º Kylian Mbappé

Chegando no pódio o menino prodígio do futebol francês com números e atuações extraordinárias. Como resultado na temporada, Mbappé tem 33 jogos, 30 gols e 17 assistências, em um nível muito alto. Além disso, no geral, foi mais consistente que o seu companheiro de clube Neymar, chamou a responsabilidade na Ligue 1 quando o brasileiro não esteve, e até o jogo da volta da Champions League diante do Borussia, levou o PSG nas costas. O camisa 7 ainda foi eleito o melhor jogador do futebol francês.

1º Robert Lewandowski

E o ganhador do Prêmio The Best é o polonês do arrasador Bayern de Munique. Normalmente Lewandowski sempre se destacou por fazer muitos gols, mas nesta temporada ele foi mais participativo, deu dinamismo aos Baváros e foi algo surreal. Como resultado, foram 33 jogos com 39 partidas (sem contar o jogo da volta da Bundesliga diante o Union Berlin) e cinco assistências. Sim, Lewa tem mais gols do que jogos – e com folga – no time alemão.

Quando saiu da área deu bons passes, e foi colaborativo para o time do Bayern que tem a melhor campanha da história da Liga dos Campeões. Além disso, Lewandowski é artilheiro isolado do Campeonato Alemão e também da Champions League e teve atuações em ambos os campeonatos digna de um melhor do mundo.

Foto Destaque: Matthias Hangst/Bongarts/Getty Images

Alexsander Vieira
https://bit.ly/3nAiB4l

Artigos Relacionados