Ao longo de toda Copinha em cada rodada o público escolhia qual era o gol mais bonito, que no fim do campeonato o grande vencedor iria ganhar o Prêmio Dener. Esse prêmio é em homenagem às umas das grandes promessas que tivemos nos anos 90, Dener revelado pela Portuguesa em 1991 e era autor de grandes gols ao longo da sua curta carreira como jogador que foi interrompida tragicamente em um acidente automobilístico em 1994 quando tinha apenas 23 anos.

Djalma Vassão/Estadão Conteúdo

5º Antony (São Paulo, contra Guarani)

Na semifinal entre São Paulo e Guarani foi marcado pela goleada de 5 x 2 com dois gols de Antony, Fabinho, Paulinho e Vitinho. Destaque para uns dos gols do camisa sete que recebe na frente da grande área a marcação demora para chegar, ele tem tempo ajeitar e bater no pé da trave com muita categoria.

4º Tiago Reis (Vasco, Contra Volta Redonda-RJ)

No duelo entre cariocas nas quartas de final a equipe vascaína o primeiro gol da partida saiu após uma jogada de João Pedro que foi carregando a bola da beira do campo até o meio onde se movimentou e apareceu entre os zagueiros e tocou rasteiro no canto direito.

3º Reginaldo (Trindade-GO, contra Jaguariúna-SP)

Na primeira rodada do campeonato já foi marcado por um golaço, após um escanteio onde o jogador do Jaguariúna-SP tirou mal sobrando para Reginaldo livre de marcação acertando de primeira um chute que indefensável.

2º Rafinha (Corinthians, contra Visão Celeste-RN)

Em um jogo onde o Timão simplesmente goleou a equipe do Rio Grande do Norte por 8 x 0 na área Barueri nas oitavas de final, o quinto gol da partida saiu em uma cobrança de falta onde Rafinha sem pegar muita distancia com categoria acertou um chute no ângulo.

1º João Paulo (Jacobina-BA, contra Aquidauanense-MS)

Na última rodada da fase de grupos o time baiano aplicou uma goelada em cima do Aquidauanense-MS por 4 x 1, João Paulo foi autor de um golaço, com a equipe do Jacobina tabelando entre a defesa adversária a envolvendo e deixando João Paulo livre batendo com muita categoria deixando o goleiro sem reação.

Felipe Dantas
Tenho 24 anos, fiz jornalismo esportivo no SENAC, sou um apaixonado por vários esportes mas vivo o futebol como se fosse parte de mim, fanático pelo São Paulo, Roma e Seleção Brasileira. Em várias lembranças marcantes o futebol está envolvido.

Artigos Relacionados