Donas de um futebol aguerrido a Seleção Feminina ainda enfrenta muitos obstáculos no país do futebol. Além da falta de investimentos e reconhecimento as meninas do futebol não conquistaram nenhum título mundial importante. Se tratando do  ouro olímpico elas chegaram bem perto, porém faltou algo a mais para que esse triunfo se concretizasse. Seria  sorte? Empenho?  Investimento? Enfim… Tentaremos entender o porquê chegar tão próximo dessa medalha, mas não conquistá-la nesta semana com a Coluna Eis a Questão. 

Retrospecto da Seleção Feminina

A prática do futebol por mulheres era proibida por lei até 1979, logo depois a Seleção Feminina foi criada em 1986. Desde então a equipe participou de todos os Jogos Olímpicos e Copas do Mundo. Atualmente, no ranking de seleções femininas da FIFA (março/2020) o Brasil ocupa o 8º lugar. Sob o comando da técnica sueca Pia Sundhage desde julho de 2019 a equipe brasileira avançou  três posições neste  ranking.

Considerada a melhor equipe da América do Sul a seleção feminina conquistou sete Copas América em 1991, 1995, 1998, 2003, 2010, 2014 e 2018. Três ouros no Pan: Em Santo Domingo 2003, Rio 2007 e Toronto 2015. Em 2014 foram campeãs do  campeonato Sul-Americano no Equador. Em Copas do Mundo o melhor resultado foi em 2007 ficando com o vice-campeonato, perdendo para Alemanha por 2 x 0.

https://www.instagram.com/p/B_gIK6nHjmm/?igshid=z9kfo8vzqfmt

Olimpíadas: estreia e desempenho 

Em 1996 as jogadoras brasileiras viajaram até Atlanta para estrear nos Jogos Olímpicos. A equipe ficou em 4º lugar, na decisão pelo bronze  contra a Noruega acabaram perdendo por 2 x 0. Posteriormente nas olimpíadas de Sydney em  2000  ficaram novamente em 4º lugar, na disputa contra a Alemanha as nossas guerreiras foram derrotadas por 2 x 0.

A Estados Unidos. Nos jogos de Pequim em 2008 a história se repetiu: A disputa pelo  ouro olímpico contra a equipe norte-americana. Neste jogo o resultado foi 1 gol contra as brasileiras na prorrogação, após quatro anos em Londres a seleção feminina apresentou o pior desempenho olímpico ficando fora das semi-finais sendo eliminada pelo Japão  por 2 x 0.

2016: O sonho dourado que falhou

Os Vadão a equipe brasileira estava disposta a conquistar o primeiro ouro olímpico.  O maior evento esportivo do mundo acontecia em casa com o apoio da torcida a cada jogo, as arenas estavam lotadas com torcedores prestigiando as nossas guerreiras. Por outro lado, o time masculino deixava a desejar com dois empates nos jogos de estreia e a esperança  dessa conquista olímpica se voltava para as mulheres.

Na fase de grupos as meninas da seleção jogavam um futebol de destaque,  venceram a China 3 x 0 e a Suécia com goleada de 5 x 0. Pelas  quartas de final o jogo foi decidido nos pênaltis contra a Austrália e chegando na semifinal as brasileiras caíram diante da Suécia nos pênaltis. Sem o ouro só havia restado a disputa pelo bronze contra o Canadá, nessa partida as jogadoras estavam desgastadas e não reagiam. Resultando na derrota por 2 x 1,  infelizmente o sonho do ouro olímpico foi adiado mais uma vez.

Eis a questão: Porque as mulheres ainda não conquistaram o ouro olímpico?

Uma pergunta difícil, porém existem algumas possibilidades de respostas. Em primeiro lugar, o nosso país possui um investimento mínimo para a ala feminina dentro do futebol. As mulheres que atuam no futebol brasileiro são verdadeiras guerreiras e não desistem diante dos obstáculos que encontram na profissionalização desse esporte.

Em segundo, as estruturas são precárias os estádios estão sempre vazios, não existe visibilidade para as atletas dessa modalidade. Campeonatos mal organizados e um Brasileirão que dura apenas quatro meses. A única oportunidade de ser uma jogadora bem estruturada é treinar em outro país que valorize e invista no futebol feminino.

Por fim, as nossas atletas precisam estar mais preparadas fisicamente, sabemos que as nossas jogadoras possuem uma dificuldade para jogar uma prorrogação. Em Atenas a seleção do Brasil foi derrotada na prorrogação, em Pequim também, nas Olimpíadas do Rio o desgaste físico foi um empecilho e depois de jogar duas prorrogações as meninas perderam o bronze. Além disso, a jogadora Marta afirmou em 2019 que a seleção feminina precisa treinar mais e estar pronta para jogar 90 e mais 30 minutos.

Foto Destaque: Reprodução/Paulo Whitaker/Agência Brasil

Ivana Moreira
Recém-formada em jornalismo, acredito que essa profissão é indispensável para a sociedade. Passei pela área de assessoria de comunicação e estou em busca de novas experiências dentro do jornalismo. Desde a infância o esporte sempre fez parte da minha vida principalmente o futebol sempre assistia aos jogos e torcia! Acredito também na representatividade das mulheres dentro desse espaço tão masculino, afinal mulher também entende de futebol!

Artigos Relacionados