Torcida da Ponte espera dias melhores com retorno de Lucca. (Foto destaque: Divulgação/ Jorge Adorno/Reuters)

Primeiramente, após oito reforços anunciados, a Ponte Preta busca no mercado as últimas peças para fechar o ciclo de contratações. Contudo, a prioridade é o setor ofensivo e o principal sonho da diretoria atende pelo nome de Lucca, atacante de 31 anos e atualmente no Fluminense.

De maneira que, com contrato até abril nas Laranjeiras, o atleta também avalia chances para a sequência da carreira. Nesse sentido: voltar ao Majestoso, onde teve uma passagem positiva em 2017, ou pensar na questão salarial que surge como empecilho para o avanço das negociações.

Por exemplo, o coordenador Luis Fabiano e o presidente Marco Antônio Eberlin têm investido diretamente nas conversas. No entanto, é preciso conseguir uma redução para encaixar Lucca na realidade financeira do clube.

Ponte Preta tem Lucca como sonho para o ataque

Todavia, o atacante é o maior artilheiro da Ponte em uma temporada nos últimos anos. Do mesmo modo, em 2017, fez 24 gols pela Macaca em 61 jogos, entre Paulistão, Copa do Brasil, Sul-Americana e Brasileirão, com média de um gol a cada 2,5 jogos. Porém, na oportunidade, o futebolista atuou com a camisa alvinegra emprestado pelo Corinthians.

Assim sendo, dos oito reforços da Ponte para 2022 até aqui, apenas um foi para o ataque: o centroavante Pedro Júnior, ex-Vila Nova. Contudo, Moisés, Niltinho, Pedrinho e João Veras, restantes da última Série B, são as outras opções de Gilson Kleina para o setor ofensivo.

Portanto, na última segunda-feira (3), o time se reapresentou com caras novas. Ainda assim, além de Pedro Júnior, a Veterana fechou com os zagueiros Dedé e Léo Santos, os laterais Norberto (direito) e Guilherme Santos (esquerdo). Além disso, os volantes Moisés Ribeiro, Matheus Jesus e Wesley.

Como resultado, o clube tem pela frente o Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Brasileirão. Em outras palavras, o primeiro deles é o Paulistão com jogo que acontece no dia 26 de janeiro, diante do Palmeiras, no Allianz Parque, em São Paulo.

 

Foto destaque: Divulgação/ Jorge Adorno/Reuters

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs