Pia Sundhage, técnica da Seleção Brasileira, é eleita a Mulher Sueca do Ano

A organização SWEA International (Associação de Mulheres Suecas para Educação), que reúne mulheres suecas que residem dentro e fora de seu país natal, nomeou a técnica Pia Sundhage como “Mulher Sueca do Ano 2020”. A premiação é destinada a uma sueca que representa e mostra a Suécia para o resto do mundo de uma maneira excepcional.

“Pia tem uma verdadeira capacidade de inspirar pessoas, criar espírito de equipe e desenvolver uma equipe como um grupo. Essas são habilidades que nós também valorizamos e lutamos na SWEA ”, afirma Suzanne Langeland Southard, presidente da SWEA International.

https://twitter.com/DiarioFFeminino/status/1254830171028365319?s=20

DESAFIOS PELA SELEÇÃO

No comando da Seleção desde julho de 2019, a sueca possui seis vitórias, quatro empates e apenas uma derrota. Além disso, possui 26 gols marcados e apenas cinco sofridos. O Brasil subiu três posições no ranking da FIFA, desde que Pia assumiu o cargo, dessa forma, alcançou o 8º lugar.

“Sinto orgulho de ser nomeada Mulher Sueca do Ano pela SWEA – significa que o futebol feminino está sendo notado! E definitivamente merece ser. Obrigado ”, diz Pia Sundhage.

Contudo, têm o desafio de levar o Brasil à conquista do ouro inédito nas Olimpíadas de Tóquio, que estava marcado para acontecer em 2020 e precisou ser adiado para 2021 por conta da pandemia do Coronavírus. Pia mantém o planejamento através de vídeo conferências com as atletas e membros da comissão técnica da Seleção, visando manter os cuidados com a saúde e físico das jogadoras. Pia diz que, ao longo dos anos, costuma “nadar contra a corrente” quando encontra o teto de vidro e outros obstáculos.

“Podemos, devemos e perseveramos! Esse é o meu lema “, salienta a técnica da Seleção.

A técnica conta com histórico positivo em Olimpíadas, visto que em 2012, em Londres, conquistou o ouro com a Seleção dos Estados Unidos de Futebol Feminino.

Foto destaque: Divulgação/Thais Magalhães/CBF

Erica Viana
Sou Erica, tenho 27 anos e a paixão pelo futebol começou pelo meu time, Corinthians. Fui conhecendo outras modalidades e criando carinho por outros esportes. Sempre que possível, vou ao estádio assistir jogos do Corinthians, com preferência pelos jogos do feminino. Sou formada em marketing e estou em formação para jornalismo, que iniciei pela identificação com a área de comunicação e por querer sentir além do "ser torcedor". Pretendo me especializar no jornalismo esportivo, para trabalho dedicado à área e futuramente, ao futebol feminino.

Artigos Relacionados