Peter Schmeichel, eleito como o maior goleiro da história da Premier League, tem um currículo invejável, principalmente atuando pelo Red Devils e pela Seleção da Dinamarca. O Grande Dinamarquês não atuou apenas pelo United em sua carreira, mas foi em Manchester que ele conseguiu tamanha notoriedade e se transformou na “contratação do século” dito pelo próprio Sir Alex Ferguson. Continue a acompanhar esta história a seguir com a Coluna Reino Unido pelo Futebol:  

Leia mais:  

O goleiro ficou muito conhecido por suas defesas extraordinárias, indiscutível liderança com o elenco do clube e da seleção, a extrema segurança na saída do gol e no belíssimo aproveitamento no um conta um. Além disso, o Schmeichel já marcou 11 gols na carreira aparecendo dentro da área nos minutos finais de partidas que seu time estava perdendo. Logo, toda essa combinação e mais um pouco, transformou ele no The Grate Dane. 

INÍCIO DA TRAJETÓRIA 

Peter Boleslaw Schmeichel, nasceu em 1963 na cidade de Gladsaxe, Dinamarca, e sua carreira profissional se deu início no ano de 1981, em um time da sua cidade natal (Gladsake-Hero BK). O goleiro surgiu no rebaixamento do time para a terceira divisão e mesmo assim foi destaque do jornal local no primeiro jogo. 

Entretanto, o goleiro teve alguns empregos (considerados comuns) antes de começar sua carreira como jogador de futebol profissional. Após essa fase, Peter teve que servir o exército dinamarquês, porém ele abandonou o serviço militar, pois ocorreu um camping de treinamento do seu novo clube, Hvidovre. 

No entanto, Peter ainda tinha que cumprir algumas obrigações militares, que rapidamente foram concluídas. Ele terminou tudo, foi trabalhar com seu sogro, mas logo teve que parar por conta de seu joelho. Em seguida, o goleiro recebeu duas propostas simultâneas para continuar no futebol. Uma delas foi do antigo clube (Hvidovre) e outra do Brondby, que foi quem o contratou e levou ele a outro nível como atleta. 

 O COMEÇO DOS TRIUNFOS 

Na temporada 87-88, Peter, trocou o “pequeno” time do Hvidovre por uma das potências do futebol Dinamarquês (Brondby) e ali ele já estava vivendo com algumas celebridades da bola. Essa troca foi o divisor de águas na carreira do goleiro, pois nos 5 anos seguintes, o goleiro foi campeão de 4 títulos nacionais, foi para Eurocopa em 1988 e classificou o time para Copa da UEFA 90-91. 

A Copa da UEFA 90-91, foi algo histórico. Pois, foi o auge da história do Brondby, que chegou na semifinal do campeonato e foi eliminado pela Roma com um gol marcado no último minuto da partida por Rudi Völler, finalizando a participação do time na UEFA. 

Naquela Copa da UEFA, o time chegou na semifinal com o Schmeichel completando 7 cleansheet (jogos sem levar gol) e vale lembra que, nesse ano o Brondby só chegou à semifinal, pois na fase anterior o goleiro Peter Schmeichel pegou duas penalidades na decisão por pênaltis fora de casa e eliminou o Torpedo Moscou. Infelizmente, não foi o suficiente para o título, mas foi o “carimbo do passaporte” para o Peter Schmeichel partir para Manchester.

O NEGÓCIO DO SÉCULO 

Chegamos em 1991, onde o Manchester United investiu para contratar o goleiro dinamarquês e contratou. Porém, o clube Inglês pagou 600 mil libras para levar o jogador, o que foi um baixo valor para um atleta do nível dele. Por isso, o Sir Alex Ferguson chama essa negociação de “barganha do século” e hoje ela é considerada a grande negociação do século, pois o Peter Schmeichel se tornou uma lenda.  

A fase do Manchester United naquele momento não era nada boa, pois os Red Devils não conquistavam um título desde 1967 e voltou a conquistar em 1990, uma Copa da Inglaterra, que foi o que manteve o Alex Ferguson no comando do grupo. 

CHUVA DE TÍTULOS

Consequentemente, as coisas estavam caminhando para mudar de direção e logo no primeiro ano, o Manchester United consegue conquistar a Copa da Liga Inglesa pela primeira vez na história. Em seguida, mais especificamente em 1992, o Campeonato Nacional (Division One) se tornou na Premier League e os Red Devils conseguiram conquistar o título nacional logo no primeiro ano e sair da fila de 26 anos sem essa taça. Nessa campanha, Peter Schmeichel realizou 22 clean sheets e a melhor defesa da competição. 

Logo, chegamos na temporada 93-94, que foi de tantos êxitos quanto as anteriores, porém ela começou um pouco conturbada. No começo dela, o Peter Schmeichel acabou discutindo com o treinador Alex Ferguson, pois o Red Devil cedeu um empate em uma partida que estava sendo vencida por 3 x 0. O goleiro foi afastado do time até pedir desculpas para os seus colegas e comissão técnica. Essa desavença logo foi resolvida e Manchester United além de conquistar a Premier League novamente, conseguiu vencer a FA Cup. 

Contudo, nem tudo é perfeito e a temporada 94-95 também não foi. Porém, Schmeichel, foi fundamental para ter a melhor defesa do campeonato. Foram apenas 28 gols sofridos em 48 jogos. Por outro lado, 95-96 foi uma ótima temporada, com o United conseguindo mais um double  (conquistar a Liga e a Copa nacional). O grande problema da temporada 95-96 foi que o “The Great Dane” acabou sendo acusado de racismo pelo atacante Ian Wright, isso após uma partida contra o Arsenal. Teve inquérito policial para apurar o caso, mas foi fechado meses depois por conta das faltas de evidências. 

O FIM DE UMA ERA

No entanto, chegou à temporada 96-97, onde o United conquistou o quarto título nacional em cinco temporadas. Assim, superando o rival Arsenal em número de conquistas. Porém, em 97-98 os Gunners empatam novamente em taças, pois acabou sendo campeão por 1 ponto a mais que o Manchester

Contudo, chega a temporada 98-99 para coroar o gigante. Nessa temporada, os Red Devils conseguem ser o primeiro time inglês a conquistar um Treble (conquistou copas, Campeonatos Nacionais e Continental). Na Premier League os diabos deram o troco no Arsenal, que dessa vez foi superado por 1 ponto. Na FA Cup os Gunners perderam na prorrogação da semifinal. Vale lembrar que, Schmeichel pegou um pênalti. Na final, o Manchester bate o Newcastle por 2 x 0. 

Enfim, vem o título da UEFA Champions League, onde os Red Devils não alcançava as finais desde 1968. A final foi no Camp Nou contra o Bayern München, que abriu o placar aos 6 minutos de jogo. A partir daí só deu Manchester, porém não foi o suficiente para alterar o placar. Aos 90 minutos, os diabos ganham um escanteio e Schmeichel foi para a área adversária. Nesse lance, o Manchester empata e aos 92 minutos consegue a virada. Por conseguinte, consagrando-se o goleiro Schmeichel com seu título continental, pois ele já estava certo com o Sporting-POR. 

Dessa forma, Peter Schmeichel levanta a taça de campeão da Europa e se despede do clube com 15 títulos, 398 partidas e um gol marcado. 

https://twitter.com/Pschmeichel1/status/1265255692254011392?s=19

 O FATÍDICO FIM 

Depois de reinar na Inglaterra, Schmeichel resolveu trocar de ares, com um futebol de um ritmo mais fraco, então ele decidiu jogar em Portugal. Porém, como no início de Manchester, o Sporting estava com seca de títulos, eram 18 anos sem conquistar nada e com a chegada do Grande Dinamarquês, tudo mudou e logo na primeira temporada o Sporting foi campeão.  

Após duas temporadas em Portugal, em 2001 ele resolve voltar para Inglaterra e jogar no Aston Villa por uma temporada. Vale lembrar que essa passagem foi histórica, pois o Grande Dinamarquês se tornou o primeiro goleiro a marcar gol na Premier League. 

E para finalizar de vez sua carreira, Schmeichel resolve voltar para Manchester, porém para atuar no grande rival dos reds, o City. Foi uma transferência sem custo algum, porém não rendeu títulos e Peter se aposentou invicto no Derby de Manchester em 2003. 

PRAZER, DINAMÁQUINA!

Em 1992, com o banimento da Iugoslávia, a Dinamarca conseguiu vaga na Eurocopa e mesmo chegando de altos e baixos das eliminatórias, continuava sendo uma grande equipe. Nem o fortíssimo grupo composto por Suécia, Inglaterra e França foi suficiente para parar essa seleção. 

Peter Schmeichel, foi essencial para conseguir segurar o empate contra a Inglaterra. Acabou perdendo o segundo jogo para a Suécia, mas garantiu a classificação na vitória sobre a França por 2 x 1. 

Após a fase de grupo, a Dinamarca enfrentou a fortíssima Holanda na semifinal, um grande jogo. A partida foi muito disputada, mas no tempo normal ficou 1 x 1. Na prorrogação, nada foi definido, então tudo foi resolvido nos pênaltis, onde Schmeichel brilhou defendendo a cobrança de Van Basten e garantindo vaga na final. 

Entretanto, a grande final foi com atual campeã mundial, Alemanha. O resultado diferente da vitória da Alemanha iria ser considerado uma zebra histórica e foi o que aconteceu. No primeiro tempo o Grande Dinamarquês pegou uma bola cara-a-cara e depois acompanhou sua equipe abrindo o placar. 

Na segunda etapa, o jogo estava muito equilibrado e ninguém criava tanto. Até que apareceu a melhor oportunidade da partida para seleção alemã e Schmeichel faz milagre, resultando em uma bola no travessão. Enfim, para fechar com chave de ouro, Kim Vilfort, amplia o placar e consagra a seleção dinamarquesa campeã da Europa, isso 6 anos após de estrear em uma Copa do Mundo. 

Contudo, Peter Schmeichel,  se aposentou da seleção dinamarquesa sendo jogador que mais foi convocado (129 vezes) e com um título continental para contar história. O Grande Dinamarquês foi visto pela última vez em 2001 atuando pela Dinamarca, nunca mais após esse jogo contra a Eslovênia.

TÍTULOS E PRÊMIOS INDIVIDUAIS

TÍTULOS

  • Campeonato Dinamarquês : 1987, 1988, 1990, e 1991
  • Copa da Dinamarca: 1989
  • Supercopa da UEFA: 1991
  • Copa da Inglaterra: 1993–94, 1995–96, 1998–99
  • Premier League: 1992–93, 1993–94, 1995–96, 1996–97, 1998–99
  • Copa da Liga Inglesa: 1992
  • Supercopa da Inglaterra: 1993, 1994, 1996, 1997
  • Liga dos Campeões da UEFA: 1998–99
  • Campeonato Português: 1999–00
  • Supertaça Cândido de Oliveira: 2000
  • Copa Intertoto da UEFA: 2001
  • Campeonato Europeu de Futebol: 1992

PRÊMIOS INDIVIDUAIS

  • Det Gyldne Bur (Goleiro Dinamarquês do Ano): 1987, 1988, 1990, 1992
  • Futebolista Dinamarquês do Ano: 1990, 1993, 1999
  • Equipe do torneio da Eurocopa: 1992
  • Goleiro do Ano da UEFA: 1992, 1993, 1998
  • Melhor Goleiro do Mundo pela IFFHS: 1992, 1993
  • Equipe do Ano PFA da Premier League: 1992–93
  • Jogador do Ano da Premier League: 1995–96
  • Melhor Goleiro do Ano da UEFA: 1997–98
  • Hall da Fama do Futebol Inglês: 2003
  • Equipe do Século PFA (1907–2007)
    • Equipe do Século PFA (1997–2007)
  • FIFA 100
  • Hall da Fama do Futebol Dinamarquês
  • Football League 100 Legends

VEJA PETER SCHMEICHEL EM AÇÃO

Foto Destaque: Reprodução/ FNV

Murilo Benevides
Murilo Benevides
O jornalismo chegou na minha vida de uma forma muito inocente. Com 13 anos eu falava sobre futebol no Facebook apenas por prazer e desde então a certeza pelo jornalismo só foi aumentando. O amor por esportes, em especial futebol e basquete ajudou muito na decisão. Hoje em dia eu tenho como referência o Osvaldo Pascoal e o Antony Curti, que são duas personalidades diferentes no mundo do jornalismo esportivo, porém são grandes referências. Graças a essas referências eu tenho como objetivo ser comentarista e correspondente no jornalismo esportivo!

Artigos Relacionados