Está chegando o momento tão esperado. Neste sábado (16), às 13h (Brasília), Peru e Dinamarca estreiam na Copa do Mundo da Rússia, em Saransk. A ansiedade se justifica pelo jejum das dois países. A última vez que os peruanos foram à um mundial foi na distante Copa de 1982, enquanto os dinamarqueses estão ausentes desde 2010. Considerando que a França é a favorita para ter o primeiro lugar do grupo C, o duelo entre Peru e Dinamarca pode ser decisivo para definir a segunda vaga do grupo para as oitavas.

A partida promete ser de muitos gols, pois ambas as equipes são conhecidas pelo futebol ofensivo e técnico. As estratégias devem inclusive ser semelhantes. É que as duas seleções priorizam a posse de bola e a habilidade de seus jogadores. Será uma dura disputa no meio de campo pelo domínio da “gorduchinha”.

Peru

No Peru, o trio Cueva (São Paulo), suspenso do futebol pelo famoso caso de doping. Em função disso, o treinador Ricardo Gareca manteve o goleador na reserva no penúltimo treino do Peru antes da estreia. A presença de Guerrero é vista como fundamental para manter a eficiência do ataque andino – que foi o terceiro melhor nas últimas eliminatórias sul-americanas -. O camisa 9 é o principal jogador e o maior artilheiro da história da seleção com 33 gols. Os peruanos estão invictos há 15 jogos. Mesmo treinando entre os reservas, a esperança é que o craque do time comece entre os titulares.

Seleção Peruana treina com Guerrero entre os reservas, mas camisa 9 deve ser titular (Reprodução/Yuri Cortez/AFP)

Provável escalação: Gallese; Trauco, A. Rodríguez, Ramos e Advincula; Tapia, Yotún, E. Flores, Cueva e Farfán; Guerrero. Técnico: Ricardo Gareca.

Dinamarca

Apesar de valorizar o futebol ofensivo, é a defesa da Dinamarca o que mais chamou a atenção nas eliminatórias europeias. O time sofreu apenas oito gols e chega na Copa somando quatro jogos sem levar gols, além da invencibilidade de 13 jogos. O craque do time é o camisa 10 Christian Eriksen, do Tottenham, meia habilidoso que honra a tradição dinamarquesa do futebol refinado – iniciada por Michael Laudrup nos anos 90. Deverá ser dele a iniciativa das jogadas ofensivas.

Seleção da Dinamarca treina para enfrentar o Peru (Reprodução/Filippo Monteforte/AFP)

Provável escalação: Schmeichel; Stryger Larsen, Christensen, Kjaer e Dalsgaard; Kvist, Delaney, Eriksen, Sisto e Y.Poulsen; N.Jorgensen. Técnico: Åge Hareide.

Curiosidade

Enquanto os dinamarqueses tem uma média de 1,85 cm, a terceira maior da Copa, onde se sobressai o gigante zagueiro Jannik Vestergaard, do Borussia Mönchengladbach, com dois metros de altura, Los Inkas representam bem o físico de seu povo e possuem um dos elencos mais baixos que foram à Russia, com média de 1,78 cm, com destaque para o trio Cueva, Trauco e Raúl Ruidíaz, ambos com 1,69 m.

Retrospecto

As equipes só se enfrentaram uma vez em toda a história e foi em 1997, durante um amistoso em campo neutro, vencido pelos dinamarqueses por 2 x 1. 21 anos depois as equipes voltam a se enfrentar, mas, desta vez, com a importância mais que duplicada.

Renato Melhem
Renato Melhem é comentarista esportivo da TV Cidade e da rádio Nova Difusora AM de Osasco. Escreve também no Blog O NOSSO FUTEBOL - www.onossofutebol.com Formado em Arquitetura e Urbanismo é Conselheiro do CAU/SP.
http://www.onossofutebol.com

Artigos Relacionados