Personagem midiático

O zagueiro brasileiro David Luiz, de 28 anos, joga hoje no Paris Saint Germain e é titular da Seleção brasileira treinada por Dunga. O atleta, que há tempos atrás era tido como ícone brasileiro, vive hoje uma reviravolta em sua carreira e passa a conviver com as críticas, sejam vindas de meros corneteiros de finais de semana, sejam vindas de especialistas do futebol. Independentemente do momento, o futebol de David Luiz nunca me encantou, muito pelo contrário. O zagueiro mais caro do futebol mundial, para mim, é apenas esforçado e fruto da mídia futebolística sensacionalista. 

David Luiz surgiu para o futebol no Vitória, da Bahia, após ser mandado embora da base são paulina. Pelo clube baiano, vestiu a camisa em 55 oportunidades e marcou dois gols. Em um momento de crise do time que o revelou, David Luiz chamou a atenção e passou a despertar o interesse de clubes do exterior, mas foi o Benfica quem resolveu apostar no jogador. Inicialmente contratado por empréstimo, o zagueiro não teve um início fácil, mas recuperou a confiança da diretoria do clube português que exerceu a preferência de compra e assinou com o atleta por cinco temporadas. 

David Luiz se lesionou no início da temporada de 2007-08, mais precisamente em agosto, retornando em novembro. Em janeiro, outra lesão, grave, que o tirou do restante da temporada. O zagueiro brasileiro voltou a jogar apenas em novembro de 2008. Seu primeiro gol com a camisa benfiquista ocorreu em uma partida na qual o Benfica saiu derrotado por 5 a 1, em um duelo contra o Olympiakos, da Grécia. 

Mas se o início não foi nada fácil, a temporada 2009-10 foi responsável pela consagração do zagueiro, que jogou quarenta e nove das cinquenta e uma partidas do time português. Mais do que isso, David Luiz foi eleito o melhor jogador de toda a temporada portuguesa. O time português ainda conquistou o título após jejum de cinco anos. 

A boa temporada de David Luiz chamou a atenção de grandes clubes da Europa, tais como Real Madrid, Manchester United e Manchester City. Os Citizens, inclusive, formalizaram uma proposta pelo atleta, mas a diretoria benfiquista a rejeitou. O zagueiro mostrou-se insatisfeito, não renovou seu contrato com o clube português, mas permaneceu. Durante a temporada 2010-11, as atuações do brasileiro chamaram a atenção do Chelsea, que desembolsou R$ 57 milhões e ainda cedeu o volante Nemanja Matic aos portugueses para contar com o atleta. 

Em sua saída do clube, David Luiz fez questão de demonstrar todo a sua gratidão pelo clube. 

”O Benfica entra no nosso coração e nunca mais sai. Por isso levei, levo e levarei sempre o Benfica no coração. (…) Não era, aprendi a ser e sou um eterno benfiquista; obrigado a todos do fundo do meu coração! ” – escreveu. 

A passagem do jogador pelo clube inglês alternou bons e maus momentos. David Luiz chegou ao Chelsea e parecia estar vivendo um sonho: em suas cinco primeiras partidas pelo clube inglês, foi eleito o melhor em campo em três oportunidades e recebeu o prêmio de melhor jogador do mês da Barclays Premier League. Mais do que isso, a temporada de 2011-12 foi incrível para o Chelsea, que conquistou a Liga dos Campeões após eliminar o Barcelona, tido na época como o melhor time do mundo, em pleno Camp Nou. Na final, contra o Bayern de Munique, David Luiz converteu um dos pênaltis. Para coroar o bom momento, foi elogiado pelo ídolo John Terry – que o projetou como futuro capitão e líder dos Blues – e renovou seu contrato por mais cinco temporadas. 

Os capítulos seguintes da jornada envolvendo David Luiz e Chelsea, entretanto, não foram nada empolgantes: o zagueiro brasileiro perdeu a posição para o companheiro de posição Cahill, passou a conviver com críticas do treinador José Mourinho que por vezes o afastou da equipe, sob justificativa de que o zagueiro falhava muito técnica e taticamente. Restou ao zagueiro amargar o banco de reservas. 

Mesmo com o futebol abaixo da média, no dia 23 de maio de 2014, o PSG pagou a exorbitante quantia de R$ 185,6 milhões para contar com o zagueiro. David Luiz tornou-se o zagueiro mais caro da história do futebol mundial, superando o valor pago pelo próprio PSG – R$ 132,8 milhões – para contar com Thiago Silva , seu companheiro de zaga. A mídia internacional aclamava a dupla de zagueiros, tratando-os como a melhor e mais compacta zaga. 

Pela Seleção brasileira, David Luiz começou no sub-20 na disputa do campeonato mundial. O zagueiro começou como titular nas duas primeiras partidas, mas contra a Coreia do Sul, demonstrando toda a sua técnica, foi suspenso do restante da competição por acertar uma cotovelada covarde no adversário. No time principal, esteve em campo na Copa das Confederações de 2013 e notabilizou-se por ter tirado uma bola em cima da linha na final, contra Espanha. O zagueiro também foi convocado para a Copa do Mundo de 2014 e esteve em campo no fatídico 7 a 1. A atuação de David Luiz foi tão abaixo da média que repercutiu internacionalmente. O jornalista Tim Vickery, da BBC, limitou-se a escreveu que “O desempenho de David Luiz contra a Alemanha foi a pior coisa que eu já vi de um jogador de alto nível numa partida importante”. A revista francesa France Football, taxou a dupla Thiago Silva e David Luiz como ”os náufragos do PSG”. Como se não bastasse toda a humilhação do acachapante 7 a 1, para terminar sua brilhante participação no mundial, contra a Holanda, falhou grotescamente nos dois primeiros gols holandeses. 

E David Luiz parece estar colecionando momentos bizarros vestindo a camisa da seleção brasileira. Jogando na mesma posição que nomes importantes como Luís Pereira, Ricardo Rocha, Aldair e Juan, o zagueiro, cujo perfil se assemelha ao de um personagem infantil – cabelos esvoaçantes e cara de bonzinho – , demonstra, jogo a jogo, toda a falta de técnica, mascarada por imposição física e mídia. Contra a Argentina, na última partida da seleção em 2015, em dois lances seguidos, David Luiz vendeu seu produto: vacilou, viu Dybala ganhar espaço e para não perder a bola, soltou o cotovelo no rosto do argentino; no minuto seguinte, em uma de suas arrancadas desengonçadas ao ataque, com muita técnica e habilidade, adiantou a bola e solou Biglia. Foi expulso logo na sequência. 

Na volta à Seleção, contra o Uruguai, David Luiz foi um dos piores em campo. Tomou um banho da dupla Cavani e Suárez. No primeiro gol da Celeste, dormiu no ponto, viu Suárez disparar e diminuir o placar. No segundo tempo, após inúmeras lambanças, recebeu cartão amarelo ao parar o ataque uruguaio, recuou mal de cabeça e viu Suárez sair cara a cara com Alisson, que livrou o Brasil de um novo vexame. 

O zagueiro brasileiro recebeu o segundo cartão na partida contra o Uruguai e está fora do duelo contra o Paraguai, no Defensores Del Chaco, na terça-feira. Em seu lugar, Gil terá a chance de provar que é infinitamente melhor que o zagueiro do Paris Saint Germain. David Luiz, que nem perfil de zagueiro tem, passou a chamar a atenção de modo negativo e agora a crítica já é disseminada. Me arrisco a dizer que ainda é titular da Seleção pelo simples fato de ser um personagem midiático, que encanta pela raça, pelos cabelos, mas frustra e decepciona pelo futebol jogado. 

BetWarrior


Poliesportiva


André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

    Artigos Relacionados

    Topo