Perotti sobre identificação com a Chape: “DNA muito parecido”

Na manhã desta terça-feira (3), o atacante Perotti, destaque da Chapecoense, concedeu entrevista coletiva no CT Água Amarela. O centroavante completou recentemente 100 jogos pelo clube.

Primeiramente, o atacante falou sobre o momento da Chape, citando a derrota para o Cruzeiro, por 2 x 0.

“A gente nunca quer perder e é difícil perder, mas dentro do futebol isso vai acontecer. Precisamos virar a página, seguir trabalhando e treinando, porque aqui não tem terra arrasada e estamos fazendo um bom campeonato”, disse.

Além disso, citou a identificação com o clube que o formou. A saber, Perotti está na Chapecoense desde 2014, quando tinha apenas 16 anos.

“Eu vejo que foi um crescimento, tanto meu quanto da Chapecoense. Desde que estive nas categorias de base eu tinha um sonho de jogar no profissional e nesse tempo eu consegui evoluir tecnicamente e taticamente. Muitas pessoas aqui dentro me ajudaram nessa evolução e eu vejo que é uma caminhada dupla, tanto minha quanto da Chape. Sempre procurei dar o meu melhor e eu acredito que o meu DNA é muito parecido com o do clube, de entrega, dedicação e muito trabalho”, finalizou.

Perotti fez sua estreia no profissional em 2016. Desde então, conta com 102 jogos e 30 gols marcados. Nesse sentido, marcou seis tentos em 2022, sendo o goleador máximo da equipe na temporada.

Perotti sobre identificação com a Chape: "DNA muito parecido"
Perotti durante seu 100º jogo pela Chapecoense. Foto: Divulgação/Julia Galvão/ACF

Temporada da Chape

Na atual temporada, a Chapecoense tem vivido altos e baixos. Foi eliminada precocemente no Catarinense e na Copa do Brasil, o que gerou protestos da torcida. No entanto, a equipe melhorou desde a chegada de Gilson Kleina.

Sendo assim, desde que o treinador estreou, contra o Ituano, na 1ª rodada da Série B, foram duas vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Agora, a equipe catarinense terá um confronto regional. Nesse sentido, visita o Brusque, na quinta-feira (5), às 21h30 (horário de Brasília).

Foto Destaque: Divulgação/Julia Galvão/ACF

Gabriel Vicco
Oi, eu sou o Gabriel Vicco e sou apaixonado por futebol e sempre o tive o sonho de trabalhar com isso. Escolhi o jornalismo por gostar de escrever e me comunicar de várias maneiras. Tenho uma página no Instagram com alguns amigos, o Debate (@debate.fcs), onde postamos notícias, análises e coberturas do Brasileirão Feminino. Atualmente, tenho a certeza de que a profissão que mais almejo é o jornalismo esportivo, por isso busco por experiências e pela minha evolução nesse ramo.