Mais uma temporada chegou ao fim e Pogba novamente é o centro das atenções no mercado da bola. Se na temporada passada o Barcelona esteve próximo de contratar o suposto substituo de Xavi, quem saiu na frente pela contratação do jogador desta vez foi o Real Madrid. 
 
Há rumores de que Toni Kroos pode deixar o clube merengue e migrar para o futebol inglês ou italiano e, desta forma, os espanhóis recorreriam ao francês para reforçar o setor de meio de campo. Entretanto, segundo noticiado pelo programa esportivo espanhol, El Partido de las 12, a Juventus pediu a quantia de R$ 1,1 bilhão para liberar Paul Pogba. 
 
O pedido da Velha Senhora suscita a discussão acerca do real potencial de Pogba. 
 
Atuando pela Juventus, o francês veste a camisa 10 e é um dos protagonistas da equipe pentacampeã italiana. Ao longo do último campeonato italiano, Pogba balançou apenas oito vezes, algo abaixo do esperado para um jogador de tanto status. Mesmo assim, após a conquista do pentacampeonato da Juve, Pogba cravou em alto e bom som: serei o melhor meia do futebol mundial. 
 
Para além disso, vestindo a camisa da Seleção francesa, o desempenho do jovem jogador também deixa a desejar. Na última Copa, os destaque dos Les Bleus foram Valbuena e Benzema. Na Eurocopa deste ano, em pleno solo francês, na primeira partida, contra a Romênia, Pogba, mais uma vez, deixou a desejar e o protagonismo foi assumido por Payet, do West Ham. Nesta quarta, 15, contra a Albânia, Pogba foi preterido por Didier Deschamps e deu lugar ao jovem Martial, do Manchester United. A grande estrela da Seleção entrou no segundo tempo, mas pouco fez. 
 
Tecnicamente, Pogba é um bom jogador e lembra um jogador das antigas: tem postura, passadas largas e bate muito bem na bola. Mas talvez falte ao camisa 10 da Juventus foco em seu futebol. Pogba deve deixar a marra de lado e exibir seu futebol, pois hoje, seu cabelo chama mais atenção que o seu futebol. 
André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

Artigos Relacionados