Passaporte Rússia – Thomas Müller: Rumo à grandeza

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o quinto de sete textos sobre a Seleção da Alemanha.

É difícil escolher apenas um jogador para ser “O Cara” da seleção alemã. Die Mannschaft é conhecida por sua sólida defesa, com Manuel Neuer, um dos melhores goleiros do futebol mundial. Outro destaque nessa área, é Kimmich, o lateral mostra certa evolução a cada partida, sendo decisivo tanto para a Alemanha como para seu clube atual, Bayern de Munique. Podemos destacar ainda sua habilidade no ataque, visto que ele é capaz de servir seus companheiros com belos passes para finalizações e que também possui um chute calibrado, melhor do que muitos atacantes de outras seleções.

No meio campo, o motor da equipe é Toni Kroos. O meia do Real Madrid é essencial para que os alemães tenham o domínio do jogo e consistência na troca de passes. Kroos ainda é capaz de balançar as redes, seja por meio da bola parada ou chutes de fora da área.

Porém, o jogador que realmente possui destaque nesta seleção é Thomas Müller. O atacante é, sem dúvida, uma máquina de gols e nessa Copa do Mundo, pode fazer ainda mais do que já fez no último torneio, em 2014.

O INÍCIO

O futebol está no sangue de Müller. Talvez muitos não saibam, mas ele é sobrinho de Gerd Müller, um dos melhores atacantes da Alemanha e que já foi o maior artilheiro de todas as Copas. Desde os dez anos de idade atuando no Bayern de Munique, foi chamado para jogar na equipe principal sob o comando de , o que já demonstra a confiança do ídolo alemão na habilidade de Thomas Müller.

A harmonia do atleta com o clube é algo que engrandece sua carreira, visto que desde 2008 ele está no time principal, completando 10 anos de Bayern.

(Reprodução/Getty Images)

A EVOLUÇÃO

Müller tem 435 jogos e 176 gols marcados pelo time bávaro. Após sua primeira temporada já foi chamado para Die Mannschaft e jogou sua primeira Copa em 2010. Sua moral na equipe foi tanta, que herdou o número 13, que antes pertencia à Michael Ballack.

Em seu currículo, podemos constatar o sucesso do atacante. Deixou de ganhar apenas um campeonato alemão – em seu primeiro ano; já conquistou a UEFA Champions League (2012-13) e o mundial de clubes da FIFA; em 2014, conquistou o título de campeão do mundo com a Alemanha e foi de extrema importância para esse feito.

(Reprodução/Martin Meissner)

COPA DO MUNDO RÚSSIA

Klose, Ronaldo, Just Fontaine, Sándor Kocsis, Batistuta… Esses são apenas alguns dos nomes que podem ficar para trás na artilharia das Copas, dependendo dos pés de Thomas Müller.

Sua atuação em território russo poderá isolá-lo na tabela dos maiores artilheiros do torneio. Müller está na casa dos 10 gols em Copas; para termos uma base, Pelé possui 12 gols em mundiais, ou seja, não será muito difícil a ultrapassagem do alemão perante o rei do futebol.

Atualmente ele está com 28 anos e provavelmente jogará a próxima Copa, o que deixa uma brecha maior ainda para que o atacante alemão seja consagrado como uma lenda das Copas do Mundo FIFA.

(Reprodução/nickythedreamer)
Bruno Talpo
Meu nome é Bruno de Faria Talpo, tenho 19 anos e atualmente estou cursando jornalismo. A comunicação é meu foco principal, independente do tema ou da forma como é apresentada. Me interesso por música, gastronomia, esportes e videogames. Outra paixão são os animais, em especial os cachorros. Admiro o futebol no geral, desde finais de Champions League até partidas de artilheiro na quadra perto de casa.

Artigos Relacionados