Passaporte Rússia – Caminho português até a Copa

- Como nunca antes vista, Portugal chega à Rússia vindo de boa campanha e sendo a atual campeã europeia e cheia de expectativas, mas não sendo a favorita

O Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o terceiro de sete textos sobre a Seleção Portuguesa. Confira como os russos chegaram nesta edição.

Sem dúvidas, Portugal não poderia chegar melhor à Copa da Rússia. Após ser o campeão da Euro 2016, a Seleção do Sudoeste europeu ostenta o rótulo de melhor time de seu continente. Isso faz com que suas expectativas sejam, consideravelmente, aumentadas. A campanha portuguesa desde sua eliminação de 2014 foi boa, o que eleva seu patamar mundial.

PASSAPORTE RÚSSIA – CAMINHO PORTUGUÊS ATÉ A COPA

2014 – O STARTUP

Depois de uma campanha pífia no Mundial do Brasil, Portugal precisou se reestruturar. E isso aconteceu aos poucos. A saída na primeira fase causou uma insegurança do povo português e que permaneceu durante todo o ano de 2014.

Em 7 de setembro, arrasado da Copa, Portugal voltou a campo pelas Eliminatórias da Euro 2016, contra a modesta seleção da Albânia. O jogo era válido pela primeira rodada de tal competição. E deu ruim! Com um gol solitário, os albaneses saíram de solo lusitano com a menor vitória possível (1 x 0), mas com a sensação de ter mexido com o ego português. A situação melhorou quando Portugal venceu as duas partidas seguintes, mas sem muito glamour. Triunfos mínimos (1 x 0) foram vistos nos confrontos com Dinamarca, em outubro, e com Armênia, em novembro. Também no penúltimo mês do ano, a Argentina foi adversária portuguesa em um amistoso que marcava o embate entre Messi e Cristiano Ronaldo. Nisso, o país vermelho e verde se saiu melhor e venceu por outro 1 x 0.

Com gol de Raphael Guerreiro Portugal bate Argentina em amistoso (Reprodução/Sky Sports)

2015 – O ano de reabilitação

O ano pós-Copa não poderia ser melhor. Foram cinco jogos e cinco vitórias. Todas válidas pelas eliminatórias da Euro do ano seguinte. 2 x 1 na Sérvia, 3 x 2 na Armênia, 1 x 0 na Albânia e na Dinamarca e 2 x 1 novamente contra os sérvios fizeram com que Portugal se classificasse soberanamente no primeiro lugar de seu grupo I. Foram 21 pontos em oito jogos (sete vitórias e uma derrota), 11 gols feitos e cinco sofridos.

Portugueses vencem Sérvia (Reprodução/Varzesh 11)

2016 – A glória

Esse ano foi muito especial para a história do futebol português. Era momento de Eurocopa e não havia melhor momento para acabar com a má impressão deixada na Copa anterior. Com o seu melhor jogador – Cristiano Ronaldo – no auge, Portugal chegou à Eurocopa sem ser o grande candidato ao título, mas surpreendeu.

Na estreia, empatou com a Islândia em 1 x 1. A igualdade contra a Áustria, em 0 x 0, ascendeu o sinal de alerta e o 3 x 3 seguinte, frente a Hungria, mostraram que nem tudo seria só flores para Portugal. Porém, já nas oitavas contra a Croácia, veio o primeiro triunfo do time de CR7 na Euro 2016, mesmo que na prorrogação. Entretanto, a insegurança inicial voltou a pairar os lusitanos ao empatar em 1 x 1, nas quartas, com a Polônia. Esse resultado levou o jogo para os pênaltis, onde Portugal venceu por 5 x 3.

Portugal levanta taça de campeão europeu (Reprodução/Quartzo)

Na semifinal, a boa seleção do País de Gales – com Gareth Bale – foi o grande adversário. Nani e Cristiano Ronaldo assumiram a responsabilidade, marcaram um gol cada e garantiram Portugal na final da Euro com uma vitória tranquila de 2 x 0.

O jogo mais importante e difícil para Portugal ficou para o final: justamente frente a França, anfitriã do campeonato e absoluta favorita. Não bastando, o principal jogador português, Cristiano Ronaldo, ainda se machucou, logo aos 25 minutos do primeiro tempo. O que parecia ser o encerramento do sonho do título inédito, motivou ainda mais à conquista. Jogando unidos e se dando um pouco mais de cada um em campo, os portugueses conseguiram colocar o espírito de superação em prática e não apenas seguraram o jogo, mas também conseguiram vencer os donos da casa em pleno Stade de France, na prorrogação: 1 x 0, gol único de Éder. Dessa maneira, Portugal se tornou campeão da Eurocopa pela primeira vez na história.

Hora de pensar na Rússia 2018

Para finalizar o ano de 2016, as Eliminatórias batiam na porta. Quatro jogos foram realizados até dezembro. A estreia portuguesa foi com derrota –a única em toda competição –, 2 x 0 para a Suíça. Porém, a partir dali, só vitórias: 6 x 0 na Andorra e o mesmo placar contra as Ilhas Faroe. Para fechar o ano, outra goleada: 4 x 1 na Letônia.

2017 – Afirmação da boa fase, mas sem a Copa das Confederações

Contra a Hungria, Portugal fez a estreia no ano. O placar de 3 x 0, prol lusitanos, confirmaram o que se esperava: continuação da boa fase de 2016. Depois da Hungria, os portugueses enfrentaram a Suécia e o Chipre. 3 x 2 frente os suecos e mais goleada, 4 x 0, frente ao cipriotas. Logo depois, os portugueses voltaram a enfrentar a Letônia, e cravaram mais um triunfo: 3 x 0. Tudo estava bem e a água estava correndo tranquilamente pelo leito.

Portugal bate Letônia por 3 x 0 com dois de Cristiano Ronaldo (Reprodução/MARIO CRUZ/LUSA)

Chegara a vez da Copa da Confederações, competição curta e sem muito prestígio. Dessa forma, Portugal ficou no grupo de México, Rússia e Nova Zelândia. 2 x 2 contra os latinos, 1 x 0 frente aos donos da casa e 4 x 0 contra os oceânicos fizeram com que a seleção vermelho e verde, enfrentassem o Chile nas semifinais. Em um jogo tenso e nervoso, o empate em 0 x 0 foi visto, logo prorrogação a campo. No tempo adicional a igualdade persistiu e as penalidades foram necessárias e boas para os sul-americanos, que avançaram à final ao vencer por 3 x 0 depois de um show de horrores nas cobranças de pênaltis por parte portuguesa. Quaresma, João Moutinho e Nani perderam suas batidas e eliminaram a atual campeã europeia.

Volta à rota

Passada a Copa das Confederações, sem abalar o ânimo, Portugal voltou a se concentrar na Eliminatórias da Copa. Nova goleada contra Ilhas Faroe (5 x 1), vitória simples frente a Hungria (1 x 0), triunfos de 2 x 0 diante Andorra e Suíça colocaram os portugueses na Copa da Rússia como os primeiros de seu grupo. Foram 32 gols marcados e quatro sofridos nos dez jogos das Eliminatórias. Nove vitórias e apenas uma derrota, contudo 90% de aproveitamento.

Já com a vaga na Rússia assegurada e com o elenco sendo liderado por Cristiano Ronaldo, a Seleção Portuguesa ainda fez mais dois amistosos em 2017: 3 x 0 para cima da Arábia Saudita e 1 x 1 com os Estados Unidos.

Portugal bate Arábia Saudita por 3 x 0 (Reprodução/Mais Futebol PT)

E para 2018?

Em sua melhor fase da história, a Seleção Portuguesa chega à Rússia como uma das favoritas a fazer uma boa campanha e, quiçá, levar a taça. O grupo B, com Espanha, Irã e Marrocos, deixa Portugal tranquilo rumo a classificação às oitavas, que enfrentaria Rússia, Arábia Saudita, Egito ou Uruguai, o que faz os lusitanos pisarem o acelerador do sonho ainda mais. Chegar apenas às quartas não pode ser o sonho da seleção atual campeã da Eurocopa e detentora do melhor jogador do mundo, Cristiano “Fera” Ronaldo.

Alemanha, Brasil, França, Espanha e Argentina precisam abrir os olhos e tomar muito cuidado com a sede do título inédito que Portugal e Cristiano Ronaldo carregam em suas gargantas.

Leonardo José

Sobre Leonardo José

Leonardo José já escreveu 382 posts nesse site..

Sou o Leonardo José, jovem alagoano, estudante de jornalismo e esquerdista, sim. O esporte, a filosofia e a sociologia correm em minhas veias simultaneamente. Louco pelo futebol latino. Prefiro Libertadores à Champions League. No Brasil, clássicos como CSA x CRB, Sampaio Corrêa x Moto Club e ABC x América-RN são bem mais emocionantes que Flamengo x Vasco, Cruzeiro x Atlético-MG e Corinthians x Palmeiras. Para você, leitor, não se cansar lendo minha biografia, finalizo dizendo que "todos os detalhes e os bastidores da vida precisam ser olhados com atenção".Twitter: @leo_silva997

BetWarrior


Poliesportiva


Leonardo José
Leonardo José
Sou o Leonardo José, jovem alagoano, estudante de jornalismo e esquerdista, sim. O esporte, a filosofia e a sociologia correm em minhas veias simultaneamente. Louco pelo futebol latino. Prefiro Libertadores à Champions League. No Brasil, clássicos como CSA x CRB, Sampaio Corrêa x Moto Club e ABC x América-RN são bem mais emocionantes que Flamengo x Vasco, Cruzeiro x Atlético-MG e Corinthians x Palmeiras. Para você, leitor, não se cansar lendo minha biografia, finalizo dizendo que "todos os detalhes e os bastidores da vida precisam ser olhados com atenção".Twitter: @leo_silva997

Artigos Relacionados

Topo