Passaporte Rússia – Caminho islandês até a Copa

- A Islândia conseguiu ser campeã de sua chave contra adversários difíceis pelo caminho.
Passaporte Rússia - Caminho islandês até a Copa

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o terceiro de sete textos sobre a Seleção da Islândia. Confira como os garotos islandeses chegaram ao mundial.

Regularidade. Essa foi a palavra que resumiu bem a campanha da Islândia no grupo equilibrado e difícil em que disputou as Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo da Rússia em 2018. Dentre os cinco adversários islandeses, estão seleções que já disputaram mundiais, até mesmo tradicionais no maior torneio de futebol entre seleções do planeta, como Croácia, Ucrânia e Turquia. A Finlândia e o Kosovo completaram o grupo I da competição. Num grupo com times desse porte, ser regular foi o foco principal para conseguir ser a líder do grupo com 22 pontos, um a menos que a Croácia, que acabou indo para a repescagem.

PASSAPORTE RÚSSIA – O CAMINHO DA ISLÂNDIA ATÉ A COPA

2016

05/09 – Eliminatórias – Ucrânia 1 x 1 Islândia

06/10 – Eliminatórias – Islândia 3 x 2 Finlândia

09/10 – Eliminatórias – Islândia 2 x 0 Turquia

12/11 – Eliminatórias – Croácia 2 x 0 Islândia

15/11 – Amistoso – Malta 0 x 2 Islândia

O 2016 foi mágico para os garotos islandeses. Além de encantarem o mundo indo até as quartas de final da Uefa Euro, começaram bem o caminho para o mundial na Rússia. Os adversários eram difíceis de ser batidos. Porém, o começo das Eliminatórias não poderiam ser melhor para os Islandeses. Em quatro partidas disputadas pelo selecionado nacional, foram três vitórias, uma derrota e um empate, logo na estreia contra a Ucrânia, resultado que podemos considerar extremamente positivo, por se tratar de um jogo fora de seus domínios e de um adversário candidato a vaga na Rússia.

Também é importante ressaltar de 2016, o primeiro resultado adverso contra, o talvez, time a ser batido no grupo, a Croácia, que na copa passada havia eliminado o time azul na repescagem para o Brasil em 2014. O 2 x 0 em Zagreb, foi o mesmo daquele fatídico dia, mas que de nada abalou a confiança do time para a continuação da competição. O ano dos sonhos terminou com a vitória sobre a fraca seleção de Malta fora de casa.

Jogo de portões fechados, por conta de uma punição imposta pela Fifa, contra os croatas. (Divulgação/Globo Esporte)

2017

10/01 – Amistoso – China 0 x 2 Islândia

15/01 – Amistoso – Islândia 0 x 1 Chile

09/02 – Amistoso – México 1 x 0 Islândia

24/03 – Eliminatórias – Kosovo 1 x 2 Islândia

28/03 – Amistoso – Irlanda 0 x 1 Islândia

11/06 – Eliminatórias – Islândia 1 x 0 Croácia

02/09 – Eliminatórias – Finlândia 1 x 0 Islândia

05/09 – Eliminatórias – Islândia 2 x 0 Ucrânia

06/10 – Eliminatórias – Turquia 0 x 3 Islândia

09/10 – Eliminatórias – Islândia 2 x 0 Kosovo

08/11 – Amistoso – Islãndia 1 x 2 Rep. Tcheca

14/11 – Amistoso – Catar 1 x 1 Islândia

Agenda cheia em 2017. O ano islandês foi frenético entre jogos de Eliminatórias e amistosos jogados por todo o mundo. O primeiro semestre foi com saldo positivo de quatro vitórias e duas derrotas, essas em amistosos contra os países latinos MéxicoChile. Mas o que importava era o qualificatório para o mundial e nesse ponto o time não deixou se abater contra o Kosovo novamente e o troco contra a Croácia, dessa vez em Reykjavik.

O segundo semestre foi um pouco mais instável, com três vitórias, duas derrotas e um empate durante os seis jogos que disputou. O revés contra a Finlândia é considerado uma zebra, mesmo jogando no país do adversário, o outro foi em um amistoso contra a equipe Tcheca, resultado normal, sem apreensões. Dentre as vitórias o maior destaque, talvez do ano, foi o passeio contra a Turquia, em Eskişehir, cidade no centro-oeste turco. Três pontos determinantes para carimbar o passaporte para a Rússia, que foi consumado diante do Kosovo, dentro de casa, para a festa dos vikings.

2018

14/01 – Amistoso – Indonésia 1 x 4 Islândia

23/03 – Amistoso – México 3 x 0 Islândia

27/03 – Amistoso – Islândia 1 x 3 Peru

O ano da Copa começou negativo para os garotos da Islândia. Isso porque iniciou com duas derrotas e uma vitória até aqui. O primeiro jogo foi contra a fraca Indonésia, para começar bem a temporada. Mas os principais testes pré-copa vinham a seguir e não foi dos melhores. Os reveses contra México e Peru acenderam a luz amarela para os debutantes do Mundial, que esperam alavancar as estatísticas da temporada, jogando no grupo D da Copa do Mundo.

Ruan Silva

Sobre Ruan Silva

Ruan Silva já escreveu 955 posts nesse site..

Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

BetWarrior


Poliesportiva


Ruan Silva
Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva da Silva, tenho 24 anos, moro na cidade de Altamira no Pará. Sou graduado na área de Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e no momento pós-graduando na área de Linguagem e Ensino, ambos pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Sou deficiente físico, tenho dificuldades na questão da locomoção, que dificulta um pouquinho as coisas, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, principalmente pelo futebol, corintiano e simpatizante de diversos clubes na Europa que não cabem todos aqui e apaixonado também pelo jornalismo esportivo tendo como ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning, Vitor Sérgio Rodrigues e outros mais. Uma curiosidade minha é que consegui na graduação em um ambiente voltado aos estudos de ensino e aprendizagem, incluir o futebol no principal trabalho dos quatro anos de curso, o TCC. Escrevi sobre Nelson Rodrigues e a Copa de 1950, temas raramente trabalhados numa graduação como essa. Enfim! Sonho em um dia trabalhar efetivamente na área que tanto amo e acredito que posso fazer um bom papel no meio.

    Artigos Relacionados

    Topo