Passaporte Rússia – Caminho francês até a Copa

- Novamente em solo europeu, França tenta voltar aos tempos de glória em Copas

O Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o terceiro de sete textos sobre a Seleção Francesa. Confira como os Les Bleus chegam para o mundial.

PASSAPORTE RÚSSIA – CAMINHO FRANCÊS ATÉ A COPA

2015 – Juntar os Cacos

Após o sétimo lugar conquistado em 2014, a França deu início a uma maratona de amistosos de olho na Eurocopa que sediaria no ano seguinte. O primeiro deles foi contra o Brasil, um velho conhecido e que não costuma se dar bem ao enfrentar os bleus em Copas, mas parece que só em Copas mesmo. Em 26 de março, no Stade de France, em Paris, após Varane abrir o placar aos 21 minutos, Oscar cuidou de igualar o marcador ainda no primeiro tempo. Na etapa complementar, veio a virada brasileira com Neymar e Luiz Gustavo. 3 x 1. No primeiro teste, a primeira decepção. No segundo embate, três dias depois, um pequeno alívio.

No Estádio Geoffroy-Guichard, em Saint-Étienne, Lacazette e Giroud decidiram o jogo nos 45 minutos iniciais e sacramentaram a vitória francesa frente à Dinamarca. 2 x 0. Pouco mais de dois meses depois, outro teste no Stade de France. Dessa vez, os belgas eram os adversários e as coisas não fluíram como esperado. Vitória por 4 x 3 dos Diabos Vermelhos na casa francesa. Os gols dos mandantes foram marcados por Valbuena, de pênalti, Fékir e Payet, esses dois últimos aos 44 e 46 minutos do segundo tempo, respectivamente, quando a Bélgica ia conquistando uma goleada humilhante em pleno estádio da final da Copa de 98. O primeiro duelo longe de seus domínios foi contra a Albânia e o resultado foi preocupante. 1 x 0 para o rival e terceira derrota francesa em quatro partidas.

Em setembro, também longe de seus domínios, veio um resultado que confortou um pouco o coração azul. Com gol de Valbuena ,em cobrança de falta aos 40′ do segundo tempo, vitória contra Portugal de Cristiano Ronaldo no Estádio de Alvalade. Uma boa retomada. No duelo seguinte, contra a Sérvia e, na França, triunfo dos bleus por 2 x 1 no Matmut Atlantic, em Bordeaux, com doblete de Matuidi. Foram as duas primeiras vitórias consecutivas dos franceses desde a Copa no Brasil.

Um mês depois, em outubro, um atropelamento contra a Armênia no Allianz Riviera, em Nice. 4 x 0 com gols de Griezmann, Cabaye e doblete de Benzema. Na partida posterior, três dias depois, nova vitória contra a Dinamarca, dessa vez no estádio rival. Os dois gols de Giroud antes dos cinco minutos de jogo garantiram a vitória dos azuis e a retomada da confiança.

Em novembro, o Stade de France recebia e reedição das quartas-de-final da última Copa com França e Alemanha, partida em que os alemães garantiram a vaga à fase seguinte. E a revanche veio com Giroud, nos acréscimos da etapa inicial, e Gignac, aos 41 do segundo tempo. 2 x 0. O duelo, no entanto, ficou marcado pelo extracampo. Nos arredores do estádio, foram ouvidas duas explosões de granada. O então presidente francês, François Hollande, que acompanhava o amistoso, foi embora ainda no primeiro tempo e seguiu para o Ministério do Interior. Após o apito final, milhares de torcedores se dirigiram ao gramado por conta do fechamento de duas saídas. Depois das investigações, a confirmação de atentados em Paris que resultaram em dezenas de mortes foi reivindicada pelo Estado Islâmico. A última partida do ano não encerrou a temporada francesa ao melhor estilo. No Estádio Wembley, Dele Alli e Wayne Rooney sacramentaram a vitória da Inglaterra e deram fim a uma sequência de cinco vitórias dos azuis.

2016 (parte 1) – Vice na Eurocopa

Sediando a Eurocopa pela primeira vez desde 1984, quando sagrou-se campeã do torneio, a França não teve dificuldades para terminar a fase de grupos em primeiro lugar. No primeiro duelo, contra a Romênia, 2 x 1, gols marcados por Giroud e Payet. No duelo seguinte, nova vitória. Dessa vez, 2 x 0 frente à Albânia, com Griezmann e Payet, este nos acréscimos da etapa complementar, garantindo o triunfo dos donos da casa. No último embate do Grupo A, o empate com a Suíça garantiu a classificação dos bleus.

Pelas oitavas de final, a Irlanda surge como adversária, e eis que um craque aparece. Após começar perdendo, o atacante do Atlético de Madrid, Antoine Griezmann, marcou duas vezes e deu números finais ao duelo. 2 x 1 de virada no Parc Olympique Lyonnais, na Décines-Charpieu. Nas quartas, uma grata surpresa. Sensação do torneio, a Islândia aparece no caminho francês, mas o carisma dos nórdicos não bastou. Goleada por 5 x 2 no Stade de France, tentos anotados por Giroud, duas vezes, Pogba, Payet e Griezmann, e classificação francesa.

Nas semis, mais uma vez a estrela de Griezmann brillhou. No Estádio, Velódrome, em Marselha, 2 gols do astro contra a favorita Alemanha, que apresentou boa base do elenco campeão em 2014, e classificação à final. A partida ainda terminou com quase 70% de posse de bola aos alemães.

Na grande decisão, em um Stade de France lotado com quase 76 mil espectadores, o adversário era Portugal de Cristiano Ronaldo e seus pupilos. Mesmo com a substituição precoce do melhor do mundo, aos 25 minutos da etapa inicial, após entrada dura de Payet, os azuis não conseguiram furar o paredão português e foram à prorrogação. Dizem as más línguas que, “quem não faz, toma”, e foi exatamente isso o que aconteceu. Após várias chances desperdiçadas, veio o castigo à equipe do técnico Didier Deschamps. Em arrancada da esquerda, o atacante Éder, que havia entrado aos 34 minutos do segundo tempo, puxou pra dentro e mandou para o fundo das redes do goleiro Lloris. 1 x 0 e a geração comandada por CR7 conquista o primeiro título da história dos lusos. À França, coube o segundo lugar. O camisa 7 francês, Griezmann, foi eleito o melhor jogador e o artilheiro da competição, com seis tentos anotados.

2016 (parte 2) – O Início das Eliminatórias Europeias

Em setembro, iniciaram-se as eliminatórias. Pelo Grupo A, o primeiro oponente foi a Bielorússia no estádio rival e o resultado não agradou a ambos. 0 x 0. O duelo seguinte contra a Bulgária, no entanto, trouxe um alívio. Após começar perdendo no Stade de France, os bleus venceram com doblete de Gameiro, Payet e Griezmann. 4 x 1.

Coube aos deuses do futebol colocar duas potências frente à frente na terceira rodada. Holanda e França protagonizaram, na Amsterdam Arena, um verdadeiro duelo de olho na liderança do grupo. Melhor para os franceses que, com chute de fora da área de Pogba, bateram a Laranja Mecânica. 1 x 0. No último embate pelas Eliminatórias do ano, nova vitória. Dessa vez, a Suécia, sem Ibrahimovic, foi a vítima francesa no Stade de France. Mesmo saindo atrás no marcador, Pogba e Payet, aos 12 e 20 minutos do segundo tempo, respectivamente, sacramentaram o resultado positivo aos bleus. 2 x 1. Ainda deu tempo de jogar uma partida amistosa contra uma antiga colônia francesa, a Costa do Marfim, mas o placar manteve-se zerado do início ao fim.

2017 – Passaporte Rússia Carimbado

A França começou 2017 com o pé direito. E literalmente com o pé direito. Após passe de Sidibé da ponta direita, Giroud abriu o marcador a favor dos franceses no Josy Barthel, em Luxemburgo. Nem mesmo o gol marcado pelos mandantes, após pênalti de Matuidi, atrapalhou os planos dos bleus. Três minutos depois, novo pênalti. Dessa vez, a favor dos visitantes. Coube a Griezmann colocar sua equipe à frente novamente. Aos 32′ da etapa complementar, Giroud jogou a pá de cal. 3 x 1. O duelo seguinte, no entanto, deu fim à boa sequência dos azuis. Giroud abriu o marcador aos 37′ da etapa inicial, mas os mandantes empataram aos 43′ do primeiro tempo e viraram aos 47′ da etapa complementar após lambança do goleiro e capitão Lloris. Ao driblar um atacante sueco e sair jogando, errou o passe e possibilitou que Toivonen, antes do meio-campo, encobrisse o arqueiro, marcando um golaço. 2 x 1 para a Suécia na Friends Arena, em Solna.

No duelo de volta contra a Holanda, um verdadeiro massacre. Após tabela rápida com Giroud, Griezmann abriu o placar aos 14 minutos da etapa inicial. Com a expulsão de Strootman, aos 16′ da etapa complementar, as coisas ficaram mais fáceis ainda. Pegando de primeira com a perna esquerda, Lemar ampliou para os mandantes. O mesmo Lemar marcou, aos 43, após passe de Griezmann e a promessa Mbappé fechou o caixão holandês nos acréscimos. 4 x 0 no Stade de France. Na partida seguinte, apesar dos quase 80% de posse de bola e das mais de 30 finalizações, Luxemburgo arrancou um empate zerado no Estádio Municipal de Toulouse.

Novamente a Bulgária e novamente outra vitória. Dessa vez, Matuidi aproveitou passe de Griezmann e anotou o único gol da partida. 1 x 0 no Estádio Nacional Vasil Levski. A classificação francesa veio na última rodada. Até então com 20 pontos contra 19 da segunda colocada do grupo, a Suécia, e 16 da terceira colocada, a Holanda, bastava uma simples vitória para garantir de vez o primeiro lugar. E ela veio ainda na etapa inicial. Após passe de Matuidi, Griezmann abriu o marcador aos 27 minutos. Seis minutos depois, o atacante do Atlético de Madrid deu passe para o gol de Giroud, que terminaria como artilheiro da França nas Eliminatórias, com quatro tentos anotados. Nem mesmo o gol anotado pelos visitantes, aos 44 minutos, assustou os bleus. 2 x 1 e Passaporte Rússia carimbado com sucesso.

Em novembro, ainda deu tempo para mais uma partida. Dessa vez, o amistoso contra a Alemanha no Rhein Energie Stadion, em Colônia, mais parecia um duelo de Copa do Mundo. Lacazette brilhou ao marcar os dois gols da seleção treinada por Didier Deschamps. Já os atuais campeões do mundo contaram com gols de Werner e Stindl. O placar, no entanto, poderia ter sido ainda mais movimentado. Do lado germânico, Werner criou boas chances e Kroos acertou a trave em cobrança de falta. Já os franceses obrigaram o goleiro Kevin Trapp a fazer três boas intervenções.

2018 – Allez Les Bleus

Em contagem regressiva para o Mundial, a França realizou dois amistosos até aqui, ambos no mês de março. No Stade de France, o duelo contra a Colômbia parecia um bom teste, mas o resultado não foi o esperado. Após rebote do goleiro Ospina, Giroud mandou para o fundo das redes. Ainda no primeiro tempo, toque de calcanhar de Griezmann para Mbappé deixar o zagueiro adversário no chão e dar o passe para Lemar marcar. No entanto, os mandantes não administraram a vantagem e cederam a virada. 3 x 2 para a equipe de James Rodríguez e Falcao García. Já o embate seguinte foi pra dar água na boca em qualquer francês. Contra a Rússia no Estádio Krestovsky, em Zenit, os 3 x 1 deram uma nova esperança aos bleus. Os gols foram anotados por Mbappé, duas vezes, e Pogba, em cobrança de falta.

Antes da Copa do Mundo, a Seleção Francesa ainda tem três amistosos para realizar: dia 28 de maio, contra a Irlanda, dia 01 de junho, contra a Itália, e dia 09 de junho, contra os EUA.

Samuel Lima

Sobre Samuel Lima

Samuel Lima já escreveu 39 posts nesse site..

"O garoto que gostava de ficar na banheira quando jogava bola na 4ª série cresceu. A partir da 6ª série, passou a elaborar as jogadas, a ter uma melhor visão de jogo, uma melhor visão de mundo. A vida de jogar bola parou há algum tempo, mas a visão de jogo permanece. E é essa mesma visão que ajudará esse jovem de 21 anos a elaborar as ideias relacionadas a esse esporte que está muito além das quatro linhas convencionais de um campo de futebol. Da minha querida Inácio Monteiro para o mundo da bola, com prazer, Samuel!"

BetWarrior


Poliesportiva


Samuel Lima
Samuel Lima
"O garoto que gostava de ficar na banheira quando jogava bola na 4ª série cresceu. A partir da 6ª série, passou a elaborar as jogadas, a ter uma melhor visão de jogo, uma melhor visão de mundo. A vida de jogar bola parou há algum tempo, mas a visão de jogo permanece. E é essa mesma visão que ajudará esse jovem de 21 anos a elaborar as ideias relacionadas a esse esporte que está muito além das quatro linhas convencionais de um campo de futebol. Da minha querida Inácio Monteiro para o mundo da bola, com prazer, Samuel!"

    Artigos Relacionados

    Topo