Passaporte Rússia – Caminho da Dinamarca até a Copa

- Ultima classificada europeia, a Dinamarca quer fazer bonito no mundial da Rússia

O Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções participantes da Copa do Mundo. Este é o terceiro texto sobre a seleção da Dinamarca, que vai para o seu quinto mundial. Veja como foi o caminho do “Danish Team” até chegar a Rússia.

PASSAPORTE RÚSSIA – CAMINHO DINAMARQUÊS ATÉ A COPA

Caminho Complicado

O caminho da Dinamarca para chegar a Rússia não foi nada fácil. Para começar, depois de ser eliminada na repescagem para a Eurocopa de 2016 pela Suécia, e pior, dentro de casa, a seleção dinamarquesa sofreu uma mudança drástica: a saída do seu treinador, Morten Olsen, que comandou a equipe por 15 anos.

Com isso, a federação de futebol convidou o norueguês Age Hareide, que na época era treinador do Malmo e já havia sido o comandante da seleção norueguesa por cinco anos (2003-2008), para ser o novo comandante, e tentar colocar a “Dinamáquina” no caminho das boas campanhas e consequentemente participando das principais competições.

Tomasson e Age Hareide: muita sintonia entre os dois (Reprodução/Ryan Burne)

O principal objetivo era chegar a Copa do Mundo. Sendo assim, não havia espaços para vacilos, já que no sorteio, a equipe nórdica caiu em uma chave que poderia complicar o seu caminho nas eliminatórias. Além da Dinamarca, o grupo contava com Polônia, Romênia, Montenegro, Armênia e Cazaquistão. Apenas o primeiro colocado avançava diretamente ao mundial. Os oitos melhores segundos colocados disputariam a repescagem.

Os jogos

Não foi fácil. Havia muitas dificuldades e o primeiro turno não foi nada animador. Parecia que a troca de treinador não tinha surtido o efeito esperado. Apenas uma vitória, em cima da fraca Armênia, nas três primeiras partidas. Depois derrota para Polônia e Montenegro (está em casa).

A recuperação veio com a vitória em casa diante do saco de pancadas do grupo, o Cazaquistão. Para fechar o turno, um empate sem gols contra a Romênia. Apenas sete pontos no primeiro turno. Duas vitorias, duas derrotas e um empate. E pior, vendo seu principal concorrente, a Polônia, bem a frente com 13 pontos.

Eriksen foi o grande nome nas eliminatórias (Reprodução/Morgan Traecy)

O segundo turno chegou e a Dinamarca acordou, tudo graças ao craque do time, o meio campista Christian Eriksen. O jogador do Tottenham foi o grande maestro e artilheiro do time com oito gols, e recuperando a equipe nórdica nas eliminatórias. No segundo turno a Dinamarca fez 13 pontos (quatro vitorias e um empate), sendo uma delas por 4 x 0 em cima da Polônia, que acabou classificando diretamente em primeiro. Já a Dinamarca terminou como terceiro melhor segundo colocado, indo para a repescagem.

A Repescagem

Com o sorteio, a Dinamarca acabou pegando a “chata” seleção irlandesa, que deixou para trás os galeses do astro do Real Madrid, Gareth Bale.

A Irlanda se classificou como oitavo melhor segundo colocado, e quase ficou de fora da repescagem, já que a Eslováquia fez um ponto a menos. Com isso, parecia que seria barbada, já que a equipe de Age Hareide estava em ótima fase, mas não foi bem assim.

O primeiro jogo, em Copenhague, com um Parken Stadium lotado, a Dinamarca tentou, mas parou em uma grande atuação do goleiro irlandês Darren Rudolph. Parecia tudo perdido, pois ia decidir fora de casa, em Dublin.

Seleção dinamarquesa contra a Irlanda (Divulgação/Dinamarca)

Com um Aviva Stadium não menos lotado que na partida em Copenhague, a susto foi logo no começo, com a Irlanda abrindo o placar. Depois do gol, começou a brilhar a estrela de Eriksen, que comandou dos dinamarqueses com seus três gols, e com um placar surpreendente de 5 x 1 fora de casa, deu a Dinamarca a última vaga europeia para a Copa do Mundo, algo que não acontecia desde 2010.

Preparação

Sabendo das dificuldades que pode encontrar na primeira fase da Copa, já que o grupo conta com França, Peru e Austrália, os comandados de Age Hareide fizeram dois amistosos em 2018. Ambos em casa, o “Danish Team” venceram o primeiro duelo contra o Panamá por 1 x 0. Já na segunda partida, um decepcionante empate sem gols contra o Chile, que não vai ao mundial.

A preparação final, após a convocação dos 23 selecionáveis acontece em junho, contra Suécia em Estocolmo e o México em Copenhague, nos dias 2 e 8, respectivamente, às vésperas do Mundial.

Leandro Porto

Sobre Leandro Porto

Leandro Porto já escreveu 45 posts nesse site..

Meu nome é Leandro Martins Porto, tenho 29, paulistano e sou estudante de jornalismo. Além disso, sou formado em educação física e sempre estou nesse meio esportivo e suas áreas como treinamento e mídia. Gosto muito de esportes e de pesquisar sobre eles. Um dos grandes fatores para ser um bom jornalista é a curiosidade em saber sobre determinado tema, e é isso que tento desenvolver em mim. Claro que adoro futebol, mas outros esportes também como: Basquete, F1, Handball, entre outros Participo de uma web rádio em Taboão da Serra desde 2016, voltada ao esporte, chamada Rádio Esportesnet. Trabalho como comentaristas e repórter em alguns jogos locais de futebol e futsal e também em jogos do campeonato Paulista e Brasileiro. Em 2018 comecei a trabalhar no Esporte Interativo, na parte de operações de estúdio, com os programas de São Paulo.

BetWarrior


Poliesportiva


Leandro Porto
Leandro Porto
Meu nome é Leandro Martins Porto, tenho 29, paulistano e sou estudante de jornalismo. Além disso, sou formado em educação física e sempre estou nesse meio esportivo e suas áreas como treinamento e mídia. Gosto muito de esportes e de pesquisar sobre eles. Um dos grandes fatores para ser um bom jornalista é a curiosidade em saber sobre determinado tema, e é isso que tento desenvolver em mim. Claro que adoro futebol, mas outros esportes também como: Basquete, F1, Handball, entre outros Participo de uma web rádio em Taboão da Serra desde 2016, voltada ao esporte, chamada Rádio Esportesnet. Trabalho como comentaristas e repórter em alguns jogos locais de futebol e futsal e também em jogos do campeonato Paulista e Brasileiro. Em 2018 comecei a trabalhar no Esporte Interativo, na parte de operações de estúdio, com os programas de São Paulo.

    Artigos Relacionados

    Topo