Passaporte Rússia – Análise dos convocados: França

- Com elenco jovem e promissor, França é apontada como uma das grandes favoritas ao título mundial

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresenta curiosidades de todas as seleções participantes da Copa do Mundo deste ano. Este é o sexto de sete textos sobre a Seleção Francesa. A França tem, no papel, uma das melhores e mais jovens seleções do mundo, mas será que, na prática, ela vai brigar pelo título do Mundial da Rússia? Neste capítulo você vai conhecer mais detalhes sobre cada jogador convocado pelo técnico Didier Deschamps.

GOLEIROS

Hugo Lloris (Tottenham-ING): aos 31 anos e com 1,88 de altura, é o atual capitão da seleção. Embora tenha sido revelado pelo clube de sua cidade natal, o Nice, em 2005, foi no Lyon que ganhou projeção no velho continente. Pelo clube da terceira maior cidade do país, conquistou a Copa da França 2011-12 e a Supercopa da França de 2012, além de ter sido eleito o melhor goleiro da Ligue 1, a primeira divisão francesa, nas temporadas 2008-09, 2009-10 e 2011-12.

As boas atuações o levaram ao Tottenham, da Inglaterra, onde está até hoje. Apesar de ainda não ter conquistado títulos pelo clube do norte de Londres, foi eleito o 39º e 40º melhor jogador do ano de 2016 pelos jornais Marca e The Guardian, respectivamente. Em abril de 2018, atingiu a marca de 250 jogos com a camisa dos Spurs.

Convocado pela França desde 2008, é, atualmente, o sétimo jogador que mais vezes vestiu a camisa dos bleus, com 98 aparições. A melhor campanha do goleiro com a camisa azul foi na Eurocopa de 2016 que seu país sediou. Sua equipe marcou 13 gols e ele sofreu 5, inclusive o único tento da grande decisão, marcado por Eder, que deu título para Portugal e o vice para os donos da casa. Com espírito de liderança, agilidade, bons reflexos e bom posicionamento embaixo do travessão, é o arqueiro titular de Deschamps, mesmo que não consiga jogar tão bem com os pés – principalmente o destro, já que é canhoto.

Steve Mandanda (Olympique de Marseille-FRA): um dos nove jogadores que atuam na França, é um dos mais experientes do elenco e o mais velho, com 33 anos. De origem congolesa, começou sua carreira no Le Havre em 2005. Dois anos depois, transferiu-se para o clube onde obteve maior sucesso e a primeira convocação para a seleção, o Olympique de Marseille.

No clube da segunda cidade mais populosa do país, conquistou a Copa da Liga Francesa 2009–10, 2010–11 e 2011–12, o Campeonato Francês 2009-10 e a Supercopa da França de 2010, além de ter sido eleito o jogador do mês da primeira divisão francesa em fevereiro e agosto de 2008 e melhor goleiro nas temporadas 2007–08, 2010–11, 2014–15 e 2015–16. As atuações em Marselha o levaram à primeira experiência em outro país, mais especificamente no Crystal Palace, da Inglaterra, mas não despontou, disputando apenas 10 partidas.

Em 2017, retornou para Marselha. No dia 15 de outubro, Mandanda se tornou o maior recordista de jogos do clube com suas 453 aparições, superando os 452 do ex-meia Roger Scotti. Agora já são 485 partidas. Na temporada 2017-18, disputou a primeira final internacional pelos Les Phocéens, a Liga Europa, mas acabou perdendo por um elástico placar de 3 x 0 no Parc Olympique Lyonnais, em Lyon, na França, para o Atlético de Madrid de seu compatriota Griezmann, que anotou um doblete naquela ocasião. Ainda na volta ao time que mais se destacou, foi eleito em 2017 o melhor jogador do mês de setembro da primeira divisão e o melhor goleiro do torneio.

Semelhantemente a seu companheiro de posição, Lloris, é convocado pela Seleção Francesa desde 2008, possuindo 28 partidas disputadas e tendo o vice da Eurocopa de 2016 como maior trunfo pelos bleus. Dono de boa condição física e 1,85 de altura, é o reserva do capitão da equipe.

Alphonse Aréola (Paris Saint-Germain-FRA): De origem filipina e com 25 anos, faz parte da renovação de jogadores da França visando novos ares. Revelado pelo PSG em 2012, foi emprestado ao Lens e ao Bastia, ambos de seu país, e ao Villarreal, da Espanha, antes de assumir a titularidade pela equipe da Cidade-Luz, ao menos nos duelos pela Liga dos Campeões.

Possui uma carreira vitoriosa no PSG, muito por conta da supremacia que o clube parisiense detém no país. Ao longo de mais de 70 partidas, conquistou o Campeonato Francês 2012–13 e 2017–18, a Supercopa da França de 2016 e 2017, a Copa da Liga Francesa e a Copa da França, ambas nas temporadas 2016-17 e 2017-18. Apesar de ainda não ter disputado uma partida sequer pela seleção, é tido com certeza como o futuro titular devido às idades avançadas de seus companheiros de posição Lloris, com 31 anos, e Mandanda, com 33. O jogador de 1,91m tem como pontos fortes os reflexos, as jogadas aéreas e os confrontos de um contra um.

ZAGUEIROS

Raphaël Varane (Real Madrid-ESP): um dos pilares do elenco de Deschamps, o beque de 25 anos de origem martinicana nasceu em Lille, no norte da França, mas foi pelo Lens que iniciou sua carreira. Pelo clube, despontou o interesse de ninguém menos que o Real Madrid, da Espanha, clube que defende até hoje.

No clube da capital espanhola desde 2011, Varane é multicampeão e vive a melhor fase da carreira até aqui. Titular incontestável de Zinédine Zidane, que anunciou sua saída recentemente, faz juntamente com Sérgio Ramos uma das duplas de zaga mais respeitadas do mundo. Em sete anos com a camisa merengue, conquistou nada mais, nada menos, que o Campeonato Espanhol 2011–12 e 2016–17, a Supercopa da Espanha de 2012 e 2017, a Copa do Rei 2013-14, a Liga dos Campeões 2013–14, 2015–16, 2016–17, 2017–18, a Supercopa da UEFA de 2014, 2016 e 2017 e o Mundial de Clubes da FIFA de 2014, 2016 e 2017. Em 29 de outubro de 2017, completou 200 partidas com a camisa do Real em partida contra o Girona. Um currículo invejável e que o credencia como um dos jogadores franceses mais vitoriosos da história. E olha que ele só tem 25 anos. Com 1,91 de altura, é uma das armas francesas no jogo aéreo.

Estreou pela seleção em 2013 em partida válida pelas eliminatórias europeias ante a Geórgia e participou da Copa do Mundo 2014, realizada no Brasil. Tornou-se titular absoluto da equipe de Deschamps, até chegou a ser convocado para a Eurocopa de 2016 que seria realizada na França, mas uma lesão na coxa o cortou do torneio e acabou sendo substituído por Rami. Na Copa da Rússia, deve fazer a dupla de zaga com Umtiti. Sua altura lhe credencia como um fator importante nas jogadas aéreas tanto defensiva quanto ofensivamente, além de apresentar bom poder de marcação, desarme e força física.

https://twitter.com/equipedefrance/status/1002466710153302016

Adil Rami (Olympique de Marseille-FRA): de ascendência marroquina, o experiente beque de 32 anos é bastante rodado, com passagens por Fréjus, onde iniciou a carreira, Lille, Valencia, Milan, Sevilla e Olympique de Marseille, clube que defende atualmente. Pelo Lille, conquistou os dois únicos títulos da carreira: a Ligue 1 e a Copa da França, ambos na temporada 2010-11, além de ter sido incluído na seleção do campeonato francês.

Já no time da cidade de Marselha, conquistou o vice da Liga Europa 2017-18, perdendo a final para o Atlético de Madrid. Sua primeira partida pelos azuis ocorreu em 11 de agosto de 2010 em partida amistosa contra a Noruega. O melhor momento com a camisa da seleção foi quando substituiu Varane, cortado por lesão, no elenco que disputou a Euro 2016, conquistando o vice. Com 1,90 de altura, o beque destro possui bom cabeceio, além de poder de marcação e força física.

Samuel Umtiti (Barcelona-ESP): com apenas 24 anos, o beque nascido em Camarões faz parte da revelação de jogadores franceses dos últimos anos. Revelado pelo Lyon em 2011, conquistou os títulos da Copa da França 2011-12 e a Supercopa da França de 2012. E as boas atuações o levaram ao clube que defende desde 2016, o gigante Barcelona.

No clube catalão, vive excelente fase até aqui, formando a dupla de zaga titular da equipe ao lado de Piqué. Conquistou, até aqui, o Campeonato Espanhol 2017-18, a Supercopa da Espanha de 2016, o Troféu Joan Gamper de 2016, a Copa do Rei 2016-17 e 2017-18 e a International Champions Cup de 2017. Ainda em 2016, foi eleito o 77º melhor jogador do ano pelo jornal espanhol Marca, além de ter figurado na seleção das revelações da UEFA Champions League.

Mesmo sem ter estreado pela seleção principal, foi convocado por Deschamps para a disputa da Euro 2016 após Mathieu ser cortado por lesão. Fez sua primeira partida já pelas quartas-de-final, contra a Islândia, em 3 de julho. Na Copa da Rússia, deve fazer a dupla de zaga com Varane. Embora não apresente tanta técnica, possui muita resistência, além de poder de marcação e um bom cabeceio.

Lucas Hernández (Atlético de Madrid-ESP): irmão mais velho do também jogador Theo Hernández, lateral esquerdo que defende o rival Real Madrid, possui 22 anos e ascendência espanhola, tendo nascido em Marselha. Começou a carreira na equipe B do Atlético e em 2014 já integrava os profissionais. Pelo clube da capital espanhola, conquistou a Copa Audi de 2017 e a Liga Europa 2017-18. Possui apenas quatro partidas pela seleção francesa e conta com as concorrências de Varane e Umtiti. Canhoto de 1,83 de altura, possui boa marcação e velocidade, mas peca na força física.

LATERAIS

Djibril Sidibé (Mônaco-FRA): aos 25 anos, o lateral direito nascido em Troyes começou a carreira no time da cidade em 2010. Dois anos depois, transferiu-se ao Lille, onde atuou por mais de 100 partidas e marcou 11 gols. E as boas atuações o levaram ao clube que defende até hoje, o Mônaco. No time do Principado desde 2016, conquistou a primeira divisão francesa da temporada 2016-17, além de ter figurado na equipe do torneio. Foi convocado pela primeira vez para a seleção após a Eurocopa de 2016 e hoje em dia é peça importante do esquema tático da equipe de Deschamps, tendo como pontos fortes a marcação, o desarme e a força física.

https://twitter.com/equipedefrance/status/1001805111545466883

Benjamin Mendy (Manchester City-ING): de origem senegalesa e com 23 anos, o lateral esquerdo nasceu em Longjumeau e começou a carreira em 2011, no Le Havre, disputando mais de 60 partidas pelo clube. Em 2013, assinou com o Olympique de Marseille, onde disputou mais de 100 partidas. Já em 2016, foi contratado pelo Mônaco e venceu a primeira divisão francesa, na temporada 2016-17. Ele ainda figuraria na seleção do campeonato. E as atuações pelo clube do Principado o levaram ao primeiro clube estrangeiro, o Manchester City. Com a camisa dos citizens, conquistou a Premier League 2017-18, principal título da carreira até aqui. Pelos bleus, recebeu a primeira convocação em 2017. Oferece muita potência física, tanto na defesa quanto no ataque. Além disso, contribui bastante com suas constantes subidas à linha de fundo, podendo dar assistências a seus companheiros.

Benjamin Pavard (Stuttgart-ALE): nascido em Maubeuge, o jovem zagueiro de 22 anos que será utilizado como lateral direito na Rússia começou no time B do Lille, em 2014, e já em 2015 despontou na equipe principal. As atuações o levaram ao alemão Stuttgart em 2016, clube que defende até hoje e onde conquistou a segunda divisão da Bundesliga na temporada 2016-17. É um dos jogadores menos utilizados por Deschamps na seleção, tendo sido convocado primeiramente para os amistosos contra o País de Gales e a Alemanha, em novembro do ano passado. Com 1,86 de altura, possui bom passe e posicionamento, além de um elevado número de interceptações e possibilidade de se sobressair no jogo aéreo.

Presnel Kimpembe (Paris Saint-Germain-FRA): de origem congolesa e com apenas 22 anos, o lateral esquerdo nasceu em Beaumont-sur-Oise. Revelado pelo PSG em 2014, possui, assim como Aréola, uma carreira vitoriosa, muito por conta da supremacia que o clube parisiense detém no país. Ao longo de mais de 70 partidas, conquistou o Campeonato Francês 2015-16 e 2017–18, a Supercopa da França de 2016 e 2017, a Copa da Liga Francesa e a Copa da França, ambas nas temporadas 2015-16, 2016-17 e 2017-18. Foi convocado pela primeira vez para a seleção em 2016. Com muita qualidade na saída de bola, é conhecido pela capacidade de passe, seja curto ou longo, além de boa força física.

MEIO-CAMPISTAS

Paul Pogba (Manchester United-ING): aos 25 anos e de origem guineense, é um dos mais badalados do elenco. Com 1,91 de altura, começou a carreira pelo próprio clube inglês, em 2011, mas pouco foi utilizado pelo então técnico da equipe, Sir Alex Ferguson. Foi então que despertou o interesse de outro gigante europeu: a Juventus de Turim.

Em solo italiano viveu grande fase, tendo vencido o tetracampeonato italiano consecutivo entre 2012–13 e 2015–16, a Supercopa da Itália de 2013 e 2015 e a Copa da Itália de 2014-15 e 2015-16. Individualmente, conquistou em 2013 e 2014, respectivamente, o Golden Boy, premiação anual entregue pelo jornal Tuttosport destinada ao melhor jogador com idade abaixo de 21 anos atuando na Europa, e o Troféu Bravo, entregue pela revista Guerin Sportivo e que segue, basicamente, os mesmos critérios do anterior, além de ter figurado no Time do Ano da UEFA em 2015. As boas atuações fizeram com que seu antigo clube, o Manchester United, o repatriasse em 2016.

Segundo a imprensa inglesa, a Juventus recebeu pouco mais de 100 milhões de libras – cerca de R$ 414 milhões, à época -. O valor fez com que Pogba se tornasse, por certo tempo, o jogador mais caro da história. Pelos Red Devils, conquistou, até aqui, a Copa da Liga Inglesa e a Liga Europa, ambos na temporada 2016-17, e é peça fundamental no esquema tático do técnico português José Mourinho.

Já pela Seleção Francesa, estreou em 2013 pelas eliminatórias europeias e em 2014 foi convocado para a disputa da Copa do Mundo que seria realizada no Brasil, na qual marcou um gol, contra a Nigéria, pelas oitavas-de-final. Embora sua equipe tenha sido eliminada na fase seguinte, foi eleito o melhor jogador jovem da competição. Na Eurocopa de 2016, foi titular dos donos da casa. Detentor de grande explosão física somada à sua altura, ainda pode desequilibrar com passes e chutes de média distância, além dos dribles. É um dos pilares do elenco de Didier Deschamps.

Corentin Tolisso (Bayern de Munique-ALE): de ascendência togolesa, tem 23 anos e nasceu em Tacare, mas iniciou sua carreira no Lyon, em 2013. Com mais de 160 jogos e quase 30 gols pela equipe francesa, despertou o interesse do gigante alemão Bayern de Munique, que o contratou em 2017 por 41,5 milhões de euros, superando os 40 milhões gastos no zagueiro espanhol Javi Martínez e se tornando a compra mais cara da história do clube.

Pelo time da Baviera, conquistou a Supercopa da Alemanha de 2017 e o Campeonato Alemão 2017-18, quase 40 partidas e anotando 10 gols. Convocado por Deschamps desde 2017, deve ser boa opção para o segundo tempo a fim de dar mais gás à equipe. Embora não tenha facilidade com marcação, compensa com passes de muita qualidade, além de um bom poder de chute de média distância com a perna direita.

N'Golo Kanté (Chelsea-ING): um dos volantes da equipe e de origem maliana, nasceu em Paris e tem 27 anos. Iniciou a carreira no Boulogne em 2011, disputando 40 partidas e anotando quatro gols. Durante a temporada 2012/13, jogou na terceira divisão francesa e só perdeu um jogo pelo clube. Em 2013, assinou com o Caen e rapidamente tornou-se peça chave do time, a ponto de ser nomeado para a Equipe da Temporada da Ligue 2.

As boas atuações o levaram ao Leicester, da Inglaterra, por um valor de 5,6 milhões de libras. Pelo clube, viveu, até então, a melhor fase da carreira, sendo considerado como um dos fatores-chave para o sucesso da equipe em 2015-16, com um número elevado de roubada de bolas e interceptações. Nessa mesma temporada, contribuiu para a conquista do inédito título do Campeonato Inglês na galeria dos The Foxes e sendo considerado o maior jogador francês da história do clube. Individualmente, esteve na equipe do ano da Premier League e foi eleito o 16º e 45º melhor jogador do ano de 2016 pelos jornais The Guardian e Marca, respectivamente. Ainda deu tempo de ser nomeado o sexto melhor jogador do mundo nessa temporada. As boas atuações o levaram a outro clube da Terra da Rainha, mas de maior expressão: o Chelsea.

Pela equipe de Londres, continuou sendo o “motorzinho”, com desarmes e passes precisos e conquistou a Premier League 2016-17 – a segunda de sua carreira – e a Copa da Inglaterra 2017-18. Ele ainda foi eleito o melhor jogador atuando no futebol inglês pela PFA e pela FWA, além de ter sido considerado o melhor jogador francês de 2017. Estreou pela França em 2016 na Eurocopa contra a Romênia e foi o autor da assistência para o gol de Payet na vitória por 2 x 1. Com apenas 1,69 de altura, compensa com bons desarmes e passes, além de forte marcação e força física.

Blaise Matuidi (Juventus-ITA): nascido em Toulouse, tem 31 anos e ascendência angolana. Outro volante da equipe, foi revelado pelo Troyes em 2004, atuando em quase 70 partidas e marcando quatro gols. Em 2007, transferiu-se para o Saint-Étienne e foi muito bem, disputando mais de 150 partidas, mas anotando apenas três tentos.

Eis que em 2011 surge a missão de substituir Claude Makélélé, que havia se aposentado, no PSG, e o volante a cumpriu com perfeição. Assim como Aréola e Kimpembe, possui uma carreira vitoriosa na equipe da Cidade-Luz, muito por conta da supremacia que os parisienses detém no país. Ao longo de quase 300 partidas e mais de 30 gols marcados, foi multicampeão, tendo conquistado cinco vezes a Ligue 1 entre 2012–13 e 2017–18, a Supercopa da França de 2013 a 2017, a Copa da Liga Francesa de 2013–14 a 2016–17, a Copa da França de 2014-15 a 2017-18 e a International Champions Cup de 2015 e 2016. Ainda deu tempo de ser eleito o melhor jogador francês do ano de 2015 e o 84º melhor jogador do ano de 2016, segundo o jornal The Guardian. Tal currículo o coloca no ranking de jogadores mais vitoriosos que já jogaram pelo clube.

Em 2017, foi contratado pela Juventus e conquistou, até aqui, o Campeonato Italiano e a Copa da Itália, ambos na temporada 2017-18. Pela França, é convocado desde 2010 e participou da Copa de 2014, realizada no Brasil, e da Eurocopa de 2016, sendo vice-campeão com sua seleção. Canhoto, possui as características básicas de quem atua como cabeça de área, como bom desarme, além de resistência e força física.

Steven N'Zonzi (Sevilla-ESP): aos 29 anos, nasceu em La Garenne-Colombes. Com quase dois metros de altura e de ascendência congolesa, começou no Amiens em 2007. Pelo clube do norte da França, disputou 40 partidas até ser contratado pelo Blackburn Rovers, da Inglaterra, em 2009. No clube da Terra da Rainha, disputou quase 100 partidas e anotou 5 gols. As atuações despertaram o interesse do Stoke City, e The Potters o contrataram em 2012. Autor de 7 tentos em 120 jogos, aceitou um novo desafio na carreira ao transferir-se à Espanha para jogar no Sevilla.

Pelos Hispalenses, conquistou, até aqui, o único título da carreira: a Liga Europa 2015-16. Não possui tanta história na seleção nacional, tendo sido convocado pela primeira vez apenas ano passado. Volante destro de 1,96 de altura, pode ser utilizado no jogo aéreo tanto ofensiva quanto defensivamente, além de possuir bom desarme e marcação, características básicas de quem atua em sua posição. Deve ser reserva do badalado meio-campo francês.

ATACANTES

Antoine Griezmann (Atlético de Madrid-ESP): sem dúvidas a grande estrela do recheado elenco de grandes jogadores. Nascido em Mâcon, tem 27 anos e a grande responsabilidade de conduzir a Seleção Francesa ao bicampeonato mundial na Rússia.

Revelado pelo Real Sociedad em 2009, disputou mais de 200 jogos e anotou mais de 50 gols pelo time do País Basco, além de ter conquistado o título da segunda divisão espanhola na temporada 2009-10. As boas exibições chamaram a atenção do Attlético de Madrid, que o contratou em 2014.

Pelo time da capital espanhola, o camisa 7 vive, até aqui, o melhor momento da carreira. Contratado por um valor de 30 milhões de euros, conquistou Supercopa da Espanha de 2014 contra o maior rival, o Real Madrid, e a Liga Europa 2017-18, quando marcou dois dos três gols de sua equipe contra o Olympique de Marseille no Parc Olympique Lyonnais, em Lyon, na França. Individualmente, foi eleito o melhor jogador da La Liga 2015-16 e terceiro melhor jogador do mundo pela FIFA em 2016. Nesse mesmo ano, foi nomeado 4º e 3º melhor jogador por The Guardian e Marca, respectivamente, além de ter figurado no Time do Ano da UEFA.

Recebeu a primeira oportunidade na Seleção Francesa em março de 2014, em partida amistosa contra a Holanda. Ainda nesse ano, participou da Copa do Mundo realizada no Brasil, mas não marcou gols. Após o torneio, passou a figurar entre os titulares de Deschamps, sendo peça importante na criação das jogadas. Pela Eurocopa de 2016, realizada na França, foi eleito o melhor jogador e o artilheiro, com seis tentos anotados, inclusive os dois contra a Alemanha, pela semifinal. Ele conduziu sua equipe até a grande final, quando perdeu para Portugal de Cristiano Ronaldo em um Stade de France lotado com quase 76 mil espectadores. Pelas eliminatórias, anotou três gols e deu três assistências.

Com a camisa 7 dos bleus, Griezmann possui 20 gols e 12 assistências distribuídos em 53 partidas. Pelos números, dá pra ter uma noção da esperança que os franceses depositam no seu craque. Para mais detalhes, confira o texto dedicado exclusivamente ao Le Petit Diable, como é conhecido. Canhoto detentor de boa velocidade e finalização, ainda pode desequilibrar em favor de sua equipe com dribles e velocidade, além de ser o cobrador oficial de pênaltis.

https://twitter.com/FrenchTeam/status/1002657359108419584

Thomas Lemar (Mônaco-FRA): ele é francês ao mesmo tempo que não é. Lemar nasceu em Guadalupe, terra de um ídolo dos bleus, Lilian Thuram, mais especificamente em Baie-Mahault. Com apenas 22 anos, começou sua carreira no time B do Caen em 2011 e já em 2013 estava na equipe principal. As boas atuações pelo clube da Normandia despertaram o interesse do Mônaco e o clube o contratou em 2016.

Com a camisa dos Les Rouge et Blanc, disputou mais de 100 partidas e anotou mais de 20 gols, além de ter conquistado a Ligue 1 em 2016-17. Ainda em 2016, foi eleito o melhor jogador do mês de novembro da primeira divisão francesa e o 32º melhor jogador sub-21 pela FourFourTwo.

Estreou pela França em 2016 no empate sem gols em amistoso contra a Costa do Marfim. Pelas eliminatórias, brilhou na partida contra a Holanda, no Stade de France, ao marcar dois gols na goleada por 4 x 0 dos azuis. Canhoto de 1,70 de altura, possui a velocidade e o chute de média distância como pontes fortes. Foi assim que surpreendeu os neerlandeses ao anotar um doblete. Além disso, pode desequilibrar com dribles, assistências e cruzamentos.

Olivier Giroud (Chelsea-ING): com 32 gols marcados em 72 jogos, é o quarto maior artilheiro da história da seleção, deixando nomes como Zidane, Fontaine e Benzema pra trás. Com a 9 nas costas e 1,92 de altura, tem a missão de ser o homem-gol da equipe. Nascido em Chambéry e aos 31 anos, iniciou a carreira em 2005, no Grenoble. Após um empréstimo ao Istres, assinou com o Tours em 2008. Com quase 70 partidas disputadas e mais de 30 tentos anotados, chamou a atenção do Montpellier, time de maior expressão no cenário nacional se comparado aos seus três clubes anteriores.

Pela equipe do sul da França, disputou mais de 80 partidas e anotou quase 30 gols, além de ter conquistado a Ligue 1 na temporada 2011-12 e ser, ainda, o artilheiro dessa edição. As boas exibições foram suficientes para que Arsène Wenger, então técnico do Arsenal, pedisse sua contratação, o que aconteceu em 2012. No clube do norte de Londres, viveu a melhor fase da carreira marcando 105 gols em 253 partidas e conquistando a Copa da Inglaterra 2013-14, 2014-15 e 2016-17 e a Supercopa da Inglaterra de 2014, 2015 e 2017. Em 1º de janeiro de 2017, surpreendeu o mundo da bola ao anotar um golaço de calcanhar contra o Crystal Palace em partida válida pela Premier League. O reconhecimento veio com o Prêmio Puskás de gol mais bonito do ano.

Já em 2018, após seis boas temporadas pelos Gunners, assinou com o rival Chelsea. Nos Blues, disputou 18 jogos, marcou 5 gols e conquistou a Copa da Inglaterra 2017-18. Estreou pela França em 2011 e, de lá pra cá, virou um dos principais goleadores da história dos bleus. Como já foi dito anteriormente, Giroud ocupa a quarta colocação nesse quesito, ficando atrás apenas de Henry, Platini e Trezeguet, com 51, 41 e 34 gols, respectivamente, e à frente de nomes como Zidane, Fontaine e Benzema, com seus respectivos 31, 30 e 27 tentos anotados. Com boa finalização e força física, pode atuar como pivô para os que surgem como elemento surpresa, além de ter um bom cabeceio.

Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain-FRA): dá pra acreditar que esse garoto de 19 anos vai vestir a camisa 10 que um dia já foi de Zidane e Platini? É um peso enorme, mas parece que o jovem atacante nascido em Bondy, região nordeste de Paris, e de ascendência camaronesa vai tirar de letra.

Em seu primeiro jogo pelo clube que o formou, o Mônaco, já quebrou um recorde de mais de 20 anos. Com a idade de 16 anos e 347 dias, se tornou o jogador mais jovem a participar de uma partida oficial com a equipe profissional dos Les Rouge et Blanc. Mbappé quebrou um recorde que durava desde 1994 e que pertencia a ninguém menos que Thierry Henry, maior artilheiro da história da Seleção Francesa e que debutou aos 17 anos de 14 dias pelo time. Ele ainda bateu outra marca que pertencia ao seu compatriota campeão do mundo quando marcou seu primeiro gol com a idade de 17 anos e 62 dias, tornando-se o jogador mais jovem a fazer gol com a camisa vermelha e branca.

Ainda no Principado, disputou 60 jogos e anotou 27 gols, uma média de quase um gol a cada duas partidas. Ele ainda ajudou a equipe na conquista da Ligue 1 2016-17. Também ganhou alguns prêmios individuais enquanto esteve por lá, como o jogador do mês de abril da primeira divisão, melhor jogador jovem e 8º melhor jogador da UEFA, além de 44º melhor jogador sub-21 de 2016 pela FourFourTwo. O bom desempenho chamou a atenção de um gigante nacional, o PSG, que o contratou por um verdadeiro caminhão de dinheiro. Ou seriam dois caminhões de dinheiro?

Em 2017, assinou empréstimo com opção de compra junto à equipe parisiense. Estima-se que o valor seria de 180 milhões de euros, transformando-o na segunda maior transferência da história do futebol, atrás apenas de Neymar, contratado também pelos Les Rouge-et-Bleu por um montante de 222 milhões de euros. Na Cidade-Luz, faz o trio de ataque “MCN” com Cavani e Neymar. Disputou 44 partidas, anotou 21 tentos e distribuiu 16 assistências até aqui, além de ter conquistado a Ligue 1, a Copa da França e a Copa da Liga Francesa, todos na temporada 2017-18. E, pelo visto, vem muito mais títulos para Donatello, como é carinhosamente chamado devido à semelhança com a tartaruga ninja do desenho animado. Em se tratando de conquistas individuais, foi o jogador do mês de março de 2018 e melhor jogador jovem, ambos pela primeira divisão francesa, além da conquista do Golden Boy de 2017 e ser eleito o 2º melhor jogador jovem pela FourFourTwo.

Debutou em março de 2017 pela Seleção Francesa em partida válida pelas eliminatórias europeias contra Luxemburgo, tornando-se o segundo jogador mais jovem a defender os bleus com apenas 18 anos e 95 dias. O primeiro gol veio na goleada por 4 x 0 contra a Holanda, no Stade de France. Com as características de um velocista, é excelente opção para contra-ataques, além de possuir bom drible, distribuir assistências e marcar gols em jogadas individuais.

Ousmane Dembélé (Barcelona-ESP): segundo mais jovem do elenco com 21 anos, atrás apenas de Mbappé, nasceu em Vernon e tem origem mauritana. Iniciou a carreira no Rennes II em 2014 e já em 2015 figurava na equipe principal, tendo marcado 12 gols e distribuído cinco assistências em 29 jogos disputados. Individualmente, foi eleito uma das 40 jovens promessas do futebol mundial pelo britânico The Guardian e melhor jogador jovem da Ligue 1 2015-16. As boas atuações chamaram a atenção do Borussia Dortmund, da Alemanha, que o contratou em 2016.

Pelos Die Schwarzgelben, marcou 10 gols e deu incríveis 22 assistências em 50 partidas, sendo um dos destaques da equipe na conquista da Copa da Alemanha 2016-17. Além disso, foi nomeado uma das 50 jovens promessas do futebol mundial pelo italiano La Gazzetta dello Sport em 2016 e 100º e 63º melhor jogador do mesmo ano por The Guardian e Marca, respectivamente. As atuações pelo BVB despertaram o interesse do gigante Barcelona, que buscava um substituto para Neymar após vendê-lo por um valor estratosférico para o PSG.

Em 2017, transferiu-se para o Barça por 115 milhões de euros, a segunda maior transferência da história até então, atrás apenas do brasileiro. Pela equipe da Catalunha, conquistou o Campeonato Espanhol e a Copa do Rei, ambos na temporada 2017-18. Inicialmente na reserva, foi conquistando espaço aos poucos e hoje já conta com quatro gols e oito assistências em 23 jogos. Pela França, estreou em 2016. Ao longo de 11 partidas, anotou dois tentos e deu uma assistência. Canhoto, possui muita velocidade, podendo ser bastante acionado em contra-ataques, além de bom drible.

Nabil Fekir (Lyon-FRA): com 24 anos, é um dos poucos de origem árabe no plantel, mais especificamente argelina. Nascido em Lyon, iniciou a carreira no time B da equipe da cidade em 2011 e já em 2013 estava no elenco principal. Ao longo de 153 partidas pelo clube da terceira maior cidade da França, anotou 57 gols e deu 37 assistências. Apesar de não possuir títulos, foi eleito melhor jogador jovem da Ligue 1 2014-15 e jogador do mês da primeira divisão francesa em outubro de 2017. Desde 2015 na Seleção Francesa, nunca conquistou status de titularidade, tendo disputado 11 partidas e anotado 2 gols. Canhoto, tem a finalização e o drible como características principais, além de boa técnica.

Florian Thauvin (Olympique de Marseille-FRA): nascido em Orleãns e aos 25 anos, iniciou a carreira no Grenoble, em 2010. Com apenas três jogos e nenhum gol, transferiu-se no ano seguinte para o Bastia, anotando 10 gols em 49 partidas e sendo eleito o melhor jogador jovem da Ligue 1 2012-13. As boas atuações o levaram para uma equipe de maior expressão na França, o Olympique de Marseille, em 2013. No clube da segunda cidade mais populosa do país, anotou 15 gols em 79 jogos. Eis que surge uma proposta estrangeira. Em 2015, assinou com o inglês Newcastle United. A passagem pela Terra da Rainha não foi tão boa, com apenas um gol e duas assistências em 15 jogos.

Já em 2016, retornou a Marselha por empréstimo e anotou 19 tentos em 65 partidas. Acabou sendo repatriado em definitivo pelos franceses em 2017 e, contando as duas passagens, possui quase 200 jogos disputados com 60 gols e 42 assistências. Ainda na volta aos Les Phocéens, foi eleito jogador do mês da primeira divisão francesa em março e novembro de 2017 e em janeiro de 2018. Não possui tanto histórico pelos bleus, com apenas 31 minutos jogados em quatro partidas, mas mesmo assim foi lembrado por Didier Deschamps. Canhoto habilidoso, pode ser boa opção para o segundo tempo, já que tem o drible, a finalização e o passe para gol como características principais.

Samuel Lima

Sobre Samuel Lima

Samuel Lima já escreveu 39 posts nesse site..

"O garoto que gostava de ficar na banheira quando jogava bola na 4ª série cresceu. A partir da 6ª série, passou a elaborar as jogadas, a ter uma melhor visão de jogo, uma melhor visão de mundo. A vida de jogar bola parou há algum tempo, mas a visão de jogo permanece. E é essa mesma visão que ajudará esse jovem de 21 anos a elaborar as ideias relacionadas a esse esporte que está muito além das quatro linhas convencionais de um campo de futebol. Da minha querida Inácio Monteiro para o mundo da bola, com prazer, Samuel!"

BetWarrior


Poliesportiva


Samuel Lima
Samuel Lima
"O garoto que gostava de ficar na banheira quando jogava bola na 4ª série cresceu. A partir da 6ª série, passou a elaborar as jogadas, a ter uma melhor visão de jogo, uma melhor visão de mundo. A vida de jogar bola parou há algum tempo, mas a visão de jogo permanece. E é essa mesma visão que ajudará esse jovem de 21 anos a elaborar as ideias relacionadas a esse esporte que está muito além das quatro linhas convencionais de um campo de futebol. Da minha querida Inácio Monteiro para o mundo da bola, com prazer, Samuel!"

    Artigos Relacionados

    Topo