Passaporte Rússia – Águias Polacas anseiam retornar aos anos dourados da década de 70

- Conheça o retrospecto da Polônia em Copas do Mundo

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o primeiro de sete textos sobre a Seleção Polonesa desta edição. Confira como é a história dos Alvi-rubros.

A Polônia carimbou seu passaporte para mais uma Copa do Mundo. Os polacos, vão disputar seu oitavo Mundial, e estão de volta ao torneio da FIFA após ficarem ausentes em 2010 e 2014. Nas eliminatórias, a seleção contou com o trabalho sólido do técnico Adam Nawalka e com os muitos gols do artilheiro Robert Lewandowski para se classificar em um grupo que teve muito equilíbrio na parte de cima, mas que viu as Águias Polacas terminarem na primeira colocação na reta final. Para este ano, o objetivo é apagar os vexames recentes, como as não-classificações nas duas últimas edições de Copas e as eliminações ainda na primeira fase dos Mundiais de 2002 e 2006. A última participação digna da Polônia foi em 1986, quando chegou à oitavas de final. Na Copa do mundo seus melhores resultados foram dois terceiros lugares nas edições de 1974 e 1982.

PASSAPORTE RÚSSIA – A HISTÓRIA DA SELEÇÃO POLONESA EM COPAS DO MUNDO

1938

A trajetória dos polacos teve inicio no mundial de 1938, que foi sediado na França. A edição tinha um formato bem diferente das demais, iniciando diretamente nas oitavas de final, no qual os poloneses foram eliminados pelo placar de 6 x 5 diante da Seleção Brasileira.

Copa do mundo FIFA de 1938, Polônia 5 x 6 Brasil / Old Football Shirts

1974

A Polônia retornava à Copa 36 anos depois, desta vez na Alemanha Ocidental. A equipe polaca, que naquela época tinha os craques Grzegorz, Lato e Boniek, caiu no “grupo da morte”: o grupo D daquela edição contou também com a Argentina, a estreante Haiti e a então vice-campeã mundial, a Itália. O jogo de estréia foi contra os sul-americanos, com uma vitória polonesa por 3 x 2. Em seguida, aplicou uma goleada sobre o Haiti por 7 x 0, como era de se esperar. Já qualificados para a próxima fase, derrotam a Azzurra por 2 x 1. Na segunda fase, caíram em um grupo difícil, com a Suécia, Iugoslávia, e a Alemanha Ocidental. Contra os suecos, a vitória por 1 x 0. A extinta Iugoslávia deu mais trabalho, mas foi abatida por 2 x 1. O último jogo era contra os donos da casa. Os alemães vieram de resultados mais expressivos, com placares de 2 x 0 sobre a Iugoslávia e 4 x 2 sobre os suecos. Se a Polônia vencesse, iria enfrentar outra sensação da Copa na final, os Países Baixos (Holanda). Caso perdesse, enfrentaria o Brasil, então campeão mundial, e que já estava sem sua maior estrela, o Pelé. No primeiro tempo, a chuva atrapalhou o jogo, que teve de ser paralisado até que a chuva acabasse e a grama secasse. Com o retorno da partida, a Alemanha Ocidental teve mais facilidade e venceu por 1 x 0, acabando com o sonho do título polonês e posteriormente erguendo a taça de campeão de 1974. Na disputa de 3º colocado, as Águias Polacas venceram o Brasil pelo mesmo placar que as tirou da final. Uma curiosidade foi que a Polônia enfrentou Brasil e Itália, os finalistas da copa anterior, e venceu os dois.

Seleção Polonesa em 1974 / Getty Images

1978

Em 1978, na Copa do Mundo sediada na Argentina, os Polacos protagonizaram o Grupo 2, conquistando a primeira colocação diante das seleções da Alemanha Ocidental, Tunísia e México. Os Alvi-Rubros empataram por 0 x 0 na estreia contra os alemães, venceram a Tunísia por 2 x 1 e, para finalizar a primeira fase, venceram os mexicanos por 3 x 1. Já na segunda fase, os poloneses formaram grupo com Argentina, Brasil e Peru. A Polônia foi derrotada por 2 x 0 pela futura campeã, Argentina, no primeiro confronto, venceu o segundo contra os peruanos pelo por 1 x 0, e, por fim, foram eliminados da competição ao perderem por 3 x 1 diante da Seleção Brasileira.

Polônia x Argentina 1978 / Getty Images

1982

Na Copa do Mundo sediada na Espanha, a Polônia contava com alguns remanescentes de 1974 e uma nova estrela: Boniek. Mesmo com outro terceiro lugar, aquela equipe não teve o brilho e a força da equipe da década passada, lembrada até hoje como a melhor seleção polonesa de todos os tempos e uma das maiores que a Europa já viu.

Na primeira fase, tudo ocorreu como planejado para os polacos. Integrando o Grupo A, composto pelas seleções da Itália, de Camarões e do Peru, a Polônia iniciou a competição empatando pelo placar de 0 x 0 contra a Azzurra. Na segunda rodada, outro empate por 0 x 0, desta vez contra os camaroneses. Por fim, pra fechar o grupo A com chave de ouro e como líder, venceu os peruanos por uma goleada de 5 x 1.

Na segunda fase, os polacos enfrentaram a extinta União Soviética e a seleção da Bélgica. Venceram a primeira os belgas por 3 x 0 e empataram com os soviéticos por 0 x 0, avançando para a semifinal.

Nas semifinais caíram para a Seleção Italiana, pelo placar de 2 x 0. Talvez o placar tivesse sido outro se o grande craque polonês da época, Boniek, tivesse jogado. O jogador sequer entrou em campo pois havia sido expulso contra  a União Soviética.

Na disputa pela terceira colocação da competição, a seleção polonesa enfrentou os franceses, que vinham de derrota nos pênaltis para a Alemanha Ocidental. Os polacos venceram a França por 3 x 2 e pela segunda vez terminaram um mundial ocupando o posto de terceiro melhor.

Imagem relacionada

1986

No mundial sediado no México, a Seleção Polonesa teve campanha irregular, sendo eliminada ainda na primeira fase. Na estreia contra o Marrocos, o placar foi de 0 x 0. Já na segunda partida, venceu Portugal por 1 x 0, e, em seu último jogo da Copa, foi derrotada por 3 x 0 pela Inglaterra.

Polônia em 1986 / Getty Images

2002

Na Copa de 2002, edição especial sediada na Coréia do Sul e Japão, a seleção polaca foi eliminada ainda na primeira fase, amargando a última colocação do Grupo D, composto por Polônia, Coréia do Sul, Estados Unidos e Portugal.

No primeiro confronto, contra os donos da casa, as Águias Polacas foram derrotadas por 2 x 0. Em seguida, uma goleada por 4 x 0 diante dos lusitanos já ia encaminhando a eliminação polonesa. Para se redimir, na terceira e última partida de sua participação na Copa venceu os Estados Unidos por 3 x 1, o que não evitou a eliminação e a “lanterna” em seu grupo.

Seleção Polonesa na copa de 2002 / Getty Images

2006

Na Copa de 2006, na Alemanha, assim como na edição anterior, a Seleção Polonesa foi novamente eliminada na primeira fase, ficando em terceiro lugar do Grupo A, diante de Equador, Costa Rica e a Alemanha.

Logo na estreia, os polacos foram derrotados pelos equatorianos pelo placar de 2 x 0. Contra a equipe alemã, perderam por 1 x 0, e encerram sua participação no mundial vencendo a Costa Rica por 2 x 1.

Seleção Polonesa na copa de 2006 / Getty Images

BetWarrior


Poliesportiva


Nando Morais
Nando Morais
Nando Morais, 22 anos , estudante de Jornalismo na Faculdade Promove, Praticante assíduo de esportes , o principal deles o Futebol onde tentei me profissionalizar , o que não foi possível , mas até hoje continuo praticando e estreitando cada vez mais os laços no meio, uma vez que tenho como objetivo exercer a função de jornalista esportivo. Sou imparcial e eficiente em meus textos e análises.

    Artigos Relacionados

    Topo