Passaporte Rússia – A surpresa de 2002 está de volta

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o primeiro de sete textos sobre o Senegal desta edição. Confira como é a história da Seleção Senegalesa.

A Seleção do Senegal é dessas equipes que dificilmente se apresenta como protagonista nas competições que disputa. O país não tem boa representatividade no futebol mundial e, mesmo no continente africano, não tem um histórico de conquistas.

A Seleção participou de nove edições da Copa das Nações Africanas, sendo que seu melhor desempenho foi o vice-campeonato em 2002, perdendo a final para o Marrocos.

Em Copas do Mundo, a única participação do Senegal ocorreu em 2002, na Coreia e no Japão, quando foi eliminada nas quartas de final pela Turquia, após assombrar o mundo na primeira fase, eliminando os campeões França e Uruguai.

Passaporte Rússia – A história da Seleção Senegalesa em Copas do Mundo

2002

O dia 31 de maio de 2002 ficará para a eternidade na história quase centenária das Copas do Mundo. A cidade de Seul sediava a abertura oficial da maior competição entre seleções do futebol mundial. O jogo era entre a campeã anterior, em 1998, França e a desconhecida estreante Senegal.

FOTO – Allsport: Seleção de Senegal em 2002. Papa Malick Diouf, Khalilou Fadiga, Papa Bouba Diop, Ferdinand Coly, Lamine Diatta, Tony Sylva, Salif Diao, El Hadji Diouf, Omar Daf, Henri Camara, Aliou Cisse

A França foi para o jogo sem o seu principal jogador, Zinedine Zidane, que se contundiu às vésperas da estreia. Já os africanos contavam com o eleito melhor jogador do continente em 2001, El Hadji Diouf.

A bola rolou e o que se viu foi uma equipe de Senegal sem tomar conhecimento da campeã mundial. Com um jogo rápido e envolvente, Diouf, Fadiga, Diop e companhia, pressionaram a equipe francesa e, aos 30 minutos, marcaram o único gol da partida que deu a vitória aos africanos. Neste dia, o Senegal aprontava uma das maiores zebras da história das Copas.

Foto – Uol – Comemoração do gol de Senegal contra a França, marcado por Diop

Campanha surpreendente

O Senegal seguiu sua surpreendente trajetória na Copa enfrentando a Dinamarca. Por isso, o mundo estava voltado para ver se a zebra da primeira fase seria um resultado isolado ou se a equipe africana realmente poderia ir mais longe em seu inédito mundial.

A Dinamarca sai na frente com um gol de pênalti de Tomasson, aos 16 minutos. Aos 7 minutos do segundo tempo, Salif Diao empatou o jogo e, a partir daí, Senegal buscava a todo momento a virada. Aos 35 minutos, o autor do gol, Diao, foi expulso. No fim, porém, o empate acabou sendo um bom resultado para o time da África.

No terceiro e decisivo jogo para o Senegal, contra o Uruguai, um novo empate já levaria os estreantes à fase de oitavas de final. E o primeiro tempo da partida parecia um sonho: Fadiga, aos 20 minutos, de pênalti, e Diop, aos 26 e 38 minutos, abriram 3 x 0 para os africanos. Porém, o segundo tempo parecia outro jogo e os uruguaios, portanto, chegaram a um improvável empate àquela altura. Morales, Forlán e Recoba marcaram, mas o Senegal segurou o resultado e garantiu a classificação.

Classificação em segundo do Grupo A

A República do Senegal estava em festa! Nem os mais otimistas dos torcedores esperavam que o time eliminasse dois campeões mundiais em sua estreia na Copa. Após o segundo lugar no Grupo A, Senegal deixou a Coreia do Sul e foi para o Japão, onde enfrentou a Suécia, primeira do Grupo F.

Os suecos abriram o marcador logo no início com Larsson e Senegal empatou com Henri Camara. A partida foi para a prorrogação e Camara marcou novamente, classificando, por fim, os senegaleses com o “gol de ouro” e igualando a melhor campanha africana da história das Copas, em 1990, quando Camarões foi eliminado pela Inglaterra nas quartas de final.

Eliminação

No dia 22 de junho, Senegal e Turquia se enfrentaram. Contudo, todos já esperavam mais um jogo surpreendente da equipe africana. Porém, os turcos conseguiram travar as jogadas de Diouf e companhia. O tempo normal acabou com o placar de 0 x 0. Logo no início da prorrogação, enfim, a Turquia fez o gol que eliminou os senegaleses.

Apesar de ter sido eliminada, aquela equipe de Senegal entrou para a história das Copas do Mundo. Surpreendentemente, terminou na 7ª colocação, mostrando ao mundo um futebol alegre e envolvente.

Assim, portanto, resume-se a história da Seleção de Senegal. O país, após 16 anos, enfim volta à Copa para sua segunda participação em mundiais.

Guilherme Bonissate
Jornalista desde 2008. Mineiro, natural de Ubá/MG. Botafoguense, apaixonado por esportes especialmente o futebol. Iniciou no jornalismo em jornal impresso, como estagiário. Passou por agência de publicidade, assessoria de comunicação e editora especializada. Na área esportiva atuou como colunista de site e revistas na cidade de Ubá. Foi repórter e apresentador no programa Resenha Uai, na Web TV Uai. Atualmente trabalha na TV Integração, afiliada Globo em Juiz de Fora/MG.

Artigos Relacionados