Passaporte Rússia – A melhor Seleção da CONCACAF

- Conheça o retrospecto da Seleção do México em Copas do Mundo

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o primeiro de sete textos sobre a Seleção Mexicana desta edição. Confira como é a história dos Tricolores.

Quando se fala em México, muitos brasileiros se lembram da Copa de 1970, vencida pelo Brasil em território mexicano. Aquela equipe comandada por Clodoaldo, Gerson, Rivelino, Tostão e o pior deles, Pelé, deixou os mexicanos apaixonados pelo Brasil. Fora o futebol, outro aspecto fez mexicanos e brasileiros se unirem de certa forma. Quem não conhece o “Chaves”?

Sim, o episódio televisivo criado na década de 70 é um dos programas de maior audiência na TV tupiniquim. Criado, e vivido, pelo escritor e humorista Roberto Bolaños, o seriado “Chaves” unifica o povo do Brasil com o do México.

Os mexicanos são muito queridos no Brasil e vice-versa. As belas praias de Cancún e Acapulco, deixam esses dois países próximos, já que os povos se parecem por sua irreverência. Com as duas seleções também não é diferente. Quando o Brasil atuou na Copa de 1970, os mexicanos apoiaram a seleção canarinho até a final.

A Seleção do México é a que melhor representa a região da CONCACAF, ou seja, é a única que ganhou torneios reconhecidos pela FIFA. Venceu os Jogos Olímpicos de 2012 e a Copa das Confederações, justamente contra o Brasil. Existe um clima de rivalidade, mas tudo dentro de uma disputa dentro das quatro linhas.

Agora que você já se familiarizou um pouco com a Seleção do México, vamos falar mais sobre a história nas Copas do Mundo. Conhecida como “El Tricolor”, os mexicanos têm uma bonita história no campeonato mais importante da galáxia. As cores verde, branco e vermelho, dão medo em diversas agremiações pelo mundo.

PASSAPORTE RÚSSIA – A HISTORIA DA SELEÇÃO MEXICANA EM COPAS DO MUNDO

1930

Sua primeira participação em Copa do Mundo foi no ano de 1930, no Uruguai. A seleção mexicana estava no grupo com a Argentina, França e o Chile. A campanha foi um fracasso total, sendo eliminados na fase de grupos com três derrotas. França 4 x 1, Chile 3 x 0 e Argentina 6 x 3.

Seleção Mexicana 1930 | Old Football Shirts

1950, 1954, 1958, 1962 e 1966

A sua segunda participação foi em 1950 e mais um fracasso, assim como em 30. Mais três derrotas e duas goleadas culminaram na eliminação dos mexicanos ainda na primeira fase. Brasil 4 x 0, Iugoslávia 4 x 1 e Suíça 2 x 1.

Seleção Mexicana 1950 | Globo Esporte

Em 1954, novamente no grupo do Brasil, tomaram 5 x 0 e depois 3 x 2 dos franceses, sendo eliminados. 1958 foi ligeiramente melhor, um ponto conquistado em três jogos. Perdeu de 3 x 0 para a Suécia, empatou em 1 x 1 com País de Gales e tomou 4 x 0 da Hungria. Em 1962, finalmente a primeira vitória veio. Pela terceira vez seguida caíram no grupo do Brasil, tomando 2 x 0. Perderam também para Espanha pelo placar mínimo e fechou sua eliminação com uma vitória por 3 x 1 sobre a Tchecoslováquia. Em 1966 não teve vitória, mas o número de derrotas diminuiu, uma apenas e dois empates. 1 x 1 com os franceses, 2 x 0 para os ingleses e 0 x 0 com os uruguaios marcaram mais uma eliminação.

Pinterest

1970

O México voltou a ter participação, e anfitriã, na Copa de 1970. A Itália foi o seu grande adversário, derrotando os donos da casa nas quartas de final. Na primeira fase se classificaram em 2º ao vencer El Salvador por 4 x 0, Bélgica por 1 x 0 e empatar com a União Soviética sem gols. Porém, como dito anteriormente, os italianos os bateram por 4 x 1.

Pinterest | MEXSPORT

1978

Ficaram de fora em 1974, não se classificaram. Mas em 1978 estavam de volta, mas para outra participação “limitada”. Três derrotas na primeira fase nos três duelos que disputou, custaram mais uma eliminação. Tunísia 3 x 1, Alemanha 6 x 0 e Polónia 3 x 1.

Azteca Deportes

1986

Os mexicanos também sediaram a Copa do Mundo de 1986, e também foram derrotados nas quartas de final, desta vez para a Seleção da Alemanha Ocidental. O placar foi de 4 x 1 para os adversários e os anfitriões deram adeus à competição. Coincidentemente, foi em sua casa os melhores resultados na história. Na fase de grupos se classificaram em primeiro sem nenhuma derrota. Venceram a Bélgica por 2 x 1, o Iraque por 1 x 0 e empataram com os paraguaios. Nesta Copa já tinha oitavas de final, fazendo com que pegassem a Bulgária e os batessem por 2 x 0, caindo então para os alemães.

Sports Illustrated

1994

Em mais uma Copa fora, 1990, retornou em 1994 para fazer parte de um seleto grupo E, junto a Irlanda, Itália e Noruega, onde todos ficaram com os mesmos números de pontos até o final, sendo o grupo mais equilibrado da história. Uma vitória, um empate e uma derrota para cada, com os mexicanos ficando em primeiros pelo número de gols marcados, pois até o saldo foi igual. 1 x 0 para a Noruega, 2 x 1 na Irlanda e 1 x 1 com a Itália. Nas oitavas, novamente a Bulgária, mas desta vez os rivais se vingaram e eliminaram os tricolores nos pênaltis, após 1 x 1 no tempo normal.

pinterest.es

1998, 2002, 2006, 2010 e 2014

Com dezesseis participações no torneio, seus melhores resultados foram de fato nos anos de 1970 e 1986. Nos anos de 1994, 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014, a Seleção do México foi eliminada nas oitavas-de-final. O México deixou de ser uma seleção coadjuvante. Na Copa do Mundo de 2006, os mexicanos foram escolhidos para ser um dos oito cabeças-de-chave com Argentina, Brasil, Inglaterra, França, Alemanha, Itália e Espanha.

Agora que, você curtiu um pouco, da história e do retrospecto do México em Copas do Mundo, fique ligado nas próximas edições do “Passaporte Rússia” sobre esta seleção que encanta mundo a fora.

Hasta Luego!

Ricardo Valente

Sobre Ricardo Valente

Ricardo Valente já escreveu 30 posts nesse site..

Meu nome é Ricardo Valente, paulistano, radialista formado e amante de futebol.A persistência é a marca da minha vida e o jornalismo está no sangue.Um eterno aprendiz, sempre!

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo Valente
Ricardo Valente
Meu nome é Ricardo Valente, paulistano, radialista formado e amante de futebol.A persistência é a marca da minha vida e o jornalismo está no sangue.Um eterno aprendiz, sempre!

    Artigos Relacionados

    Topo