Parabéns, Toni Kroos! Um dos carrascos do 7 x 1 completa 31 anos

- Meia alemão é ídolo do Real Madrid e da Seleção Alemã
A Parabéns ao Craque rende homenagem a Toni Kroos (Foto: Reprodução / Leonhard Foeger / Reuters)

E lá vem eles de novo… essa frase icônica dita por Galvão Bueno em pleno 7 x 1 ainda é sinônimo de dor no peito e lágrimas nos olhos, mesmo após quase sete anos. Mas dessa vez, não falaremos apenas do Mineiraço e, sim, de quem foi “” duas vezes e se tornou um dos principais jogadores alemãs dos últimos tempos. Isso porque, a Parabéns ao Craque rende homenagem aos 31 anos de vida de Toni Kroos, atualmente meia do Real Madrid.

Leia mais:

UM INÍCIO DIFÍCIL ENTRE BAYER(N)S

Assim, como muitos garotos que buscam entrar para o futebol, Toni Kroos fez seus primeiros passos no clube de sua cidade natal, Greifswald, no norte da Alemanha. No entanto, seis anos depois, já estaria fazendo as malas para Munique para atuar nas categorias de base do Bayern. Apesar da chegada rápida a um dos maiores clubes do mundo, a trajetória foi de espinhos até o estrelato.

Isso porque, apesar de ter sido, aos 17 anos, o jogador mais jovem a jogar uma partida profissional pelo Bayern de Munique, Toni Kroos sofreu para se firmar. Ainda na primeira temporada, em 2007-08, contribuiu com gols e assistências, especialmente para Klose, o futuro maior artilheiro de Copas do Mundo. No entanto, não teve muita sequência e atuou por apenas 20 jogos, com três gols e quatro assistências. Enquanto que no ano seguinte, entrou em campo ainda menos vezes e foi emprestado.

No Bayer Leverkusen, Kroos voltou a ter dificuldades para se inserir no time titular. Assim, mesmo com presença na final da Copa da Alemanha de 2009, o meia fez poucos jogos na temporada e retornou seu brilho à Munique. No entanto, não voltaria ao Bayern para compor elenco, o regresso simbolizaria uma nova fase na carreira e o início da idolatria no futebol.

A PARCERIA COM “SCHWASTAI

Em seu retorno ao Bayern de Munique, Toni Kroos estava determinado a jogar e provar que podia ser peça fundamental no elenco bávaro. Dito e feito. Pois, já na primeira temporada, ele se tornou titular frequente na Bundesliga, Liga dos Campeões e na DFB Pokal, concluindo o ano com 37 jogos à serviço da equipe, quase o dobro da primeira passagem.

No entanto, foi na temporada seguinte, a partir de 2011/12, que Toni Kroos formou uma das maiores duplas de meio-campo do Bayern de Munique com Bastian Schweinsteiger. Assim, outro dos carrascos do 7 x 1 que fez história com o mando bávaro e alemão. Logo, presença firme, com 51 partidas, o meia esteve em campo na final da Liga dos Campeões de 2012, a qual perderam para o Chelsea nos pênaltis.

Se 2012 não reservou títulos, em 2012-13, a parceria com Schweinsteiger faria dele um dos pilares do elenco campeoníssimo daquela temporada. Assim, com gols na Bundesliga e fazendo seu primeiro na Liga dos Campeões, Toni Kroos conduziu os Bávaros a mais uma final europeia. Dessa vez, uma lesão lhe tirou dos jogos finais da competição e não esteve em campo para levantar as taças da Champions League, Bundesliga e Copa da Alemanha.

A CONSAGRAÇÃO NO REAL MADRID

Dessa forma, com grandes atuações pelo Bayern de Munique e campeão mundial com a Seleção Alemã, Toni Kroos chegaria ao Real Madrid, maior campeão de Champions League. Assim, chegaria para aumentar ainda mais a coleção de troféus europeus dos Merengues. Em Madrid, se tornou um dos principais jogadores e líder em assistência na La Liga, já em seu primeiro ano, com 15 passes para gol. Assim, com naturalidade, dentro de uma engrenagem vencedora comandada por Zinedine Zidane e liderada em campo por Cristiano Ronaldo, empilhou troféus.

Já em 2015-16, conquistou a primeira das três Ligas dos Campeões em sequência, na final contra o Atlético de Madrid, e foi campeão do Mundial Interclubes. Em seguida, mais uma dobradinha, Champions League e Mundial, se tornando, ao lado de CR7, o maior vencedor do torneio com quatro títulos, à época. À época mesmo, pois, em 2017-18, conquistaria mais um torneio europeu e o Mundial Interclubes, aumentando o recorde para cinco taças desta competição.

O BRILHANTISMO TAMBÉM COM A CAMISA ALEMÃ

Figurinha carimbada na Seleção Alemã desde o Sub-21, Toni Kroos começou a ter sequência no time principal durante as Eliminatórias para a Euro 2012. Com 10 vitórias seguidas, o meia recebeu elogios do técnico Joachim Low: “Como Kroos distribui a bola, como ele recebe, é muito bom. Ele é tecnicamente excelente!Ele fez progressos nos últimos jogos, estou extremamente satisfeito com o jogador“.

No entanto, foi a partir da caminha do Tetra na Copa do Mundo de 2014 que Kroos escreveu seu nome na galeria dos grandes alemãs. Sendo apelidado pelos brasileiros de Garçom, o meia era responsável por deixar os companheiros em posição de gol durante o Mundial. Apesar disso, ainda chegava bem no ataque e foi dele dois dos sete gols na goleada contra os anfitriões em plena semifinal no Mineirão. Com a conquista da Copa do Mundo, nosso aniversariante se tornou também o único jogador a levantar a taça tendo nascido na então parte oriental da Alemanha.

Embora manteve-se como um dos principais nomes da seleção desde então, foi titular na histórica campanha de eliminação ainda na fase de grupos do Mundial da Rússia, em 2018. Apesar disso, foi dele o gol de falta contra a Suécia que deu ainda esperanças aos alemãs na terceira partida contra a Coréia do Sul. Além disso, Kroos ainda ficou marcado por deixar uma bola no travessão no derradeiro confronto. No entanto, uma ponta de fracasso diante de uma história de superação e conquistas que o colocam entre os maiores jogadores da atualidade.

Parabéns, Toni Kroos!

Foto Destaque: Reprodução / Leonhard Foeger / Reuters

Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

Artigos Relacionados

Topo