Parabéns, divindades Alviverdes

- Parabéns! Ademir e Gabriel Jesus, ídolos alviverdes, fazem aniversário nesta sexta-feira (03)
Ídolos Alviverdes fazem aniversário

Sexta-feira, 03 de abril de 1942, Rio de Janeiro, nascia o Divino. Ademir da Guia, camisa 10 do Palmeiras, que mais tarde encantaria os Alviverdes com sua classe e desempenho com a bola no pé. Muitos trazem Ademir como um dos melhores meias já vistos no futebol brasileiro.

Também, pudera! Com elegância e técnica, fazia carinho na bola e levantava torcida e até os adversários. Dessa forma, firmou-se titular no gigante Palmeiras em 1963, aos 21 anos, e conquistou muitos títulos, deixando o clube apenas em 1977. Enquanto atuou pelo Palmeiras, viu seu maior rival amargar uma seca de títulos. O Corinthians jamais foi campeão enquanto o Divino tinha a bola nos pés.

-Um gênio! Mirabolante! Elegante! Talentoso! Maravilhoso! – seus ex colegas falam por ele.

Além de Regular e artilheiro, em um dos únicos times que paravam o imparável Santos. Divino brilhou em uma época em que os camisas 10 dos maiores clubes brasileiros eram, nada mais, nada menos que: Pedro Rocha, Rivelino, e o dono da 10 na Seleção, Pelé. Contudo, não teve tantas chances na canarinha. Se fosse em outra época, Divino….

Gabrieeeeeeeeeeel

Quinta-feira, 03 de abril de 1997, São Paulo. Depois de 55 anos nascia outra divindade para o Alviverde. Gabriel Jesus, o menino do Jardim Peri que conquistou o Palmeiras e hoje conquista a Inglaterra.

Cria da base, assinou contrato com o Verdão em 2013. Depois disso, em 2015, a torcida gritava e clamava nos estádios “ GABRIEEEEEEEEEEL, GABRIEEEEEEEEEEEL” pedindo sua entrada. O garoto tinha potencial. O camisa 33, atacante. Dessa forma, finalmente ganhou uma chance. Alegria nas pernas, os dibles e a chance de ir para a Europa. Quem não iria? Deixou o Verdão.

Além disso, nos deu a Copa do Brasil e o Brasileiro de 2016, em tempos que precisávamos de uma injeção de moral. Aguentou, ainda muito novo, as críticas e a pressão. Na Seleção de Tite ainda não brilhou como esperado. Entretanto, não deixa de ser figura certa nas convocações. Corre, marca. Disputa a posição com ótimos atacantes.Sendo assim, lá na Inglaterra é Rei.

Histórias Alviverdes

Duas gerações diferentes, separadas por anos de glórias palmeirenses. Dois jogadores que marcaram sua passagem no clube. Ademir, longínquo ganhou inúmeros títulos, contribuindo muito para que o Palmeiras se tornasse o maior campeão brasileiro.  Gabriel Jesus, teve uma passagem mais rápida, no entanto, vitoriosa. É amado pelos torcedores do Brasil, que torcem pelo seu crescimento e sempre apoiam o menino Jesus.

No entanto, os dois têm mais em comum do que se imagina. Além de comemorarem a mesma data de aniversário, e de terem passados por tempos gloriosos do Palmeiras, carregam no coração as cores verde, branco e vermelho. Carregam na história traços e passos que se confundem aos do próprio Verdão. E torcem, por nós e como nós.

O Futebol na Veia, e os torcedores, desejam feliz aniversários aos craques Alviverdes.

Foto destaque: Reprodução

BetWarrior


Poliesportiva


Valéria Contado
Valéria Contado
Eu sou a Val Contado, finalmente jornalista (uhul!), apaixonada por futebol há 24 anos, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

    Artigos Relacionados

    Topo