Ele é habilidoso, cobrador de faltas, camisa 10 de um dos maiores times da Europa… Por isso, nesta segunda-feira (8), a coluna Parabéns ao Craque homenageia Hakan Çalhanoglu, que está completando mais uma primavera. Fundamental no time de Stefano Pioli, o meia do Milan encanta com seu estilo de jogo, e os torcedores do clube esperam que ele continue dando alegria por muito tempo com a Maglia Rossonera.

Início de carreira

De família turca, mas nascido na Alemanha, Çalhanoglu começou jogando em três clubes de Mannheim, sua cidade natal. Após passagens por Turanspor, Polizei SC e Waldhof Mannheim, o menino chegou às categorias de base do Karlsruher em 2009. Promovido ao time principal em 2011 com apenas 16 anos, Hakan esteve presente no rebaixamento do clube para a terceira divisão no ano seguinte.

Mesmo assim, o Hamburgo demonstrou interesse por ele e o contratou, antes de emprestá-lo novamente ao Karlsruher. Finalmente, Çalhanoglu pôde estrear pelos Rothosen em 2013, onde marcou 11 gols e ajudou a equipe a não ser rebaixada para a segunda divisão, o que seria inédito em sua história. Apesar de ter contrato até 2018, o turco-alemão se transferiu para o Bayer Leverkusen em 2014. Por lá, jogou talvez o melhor futebol de sua carreira.

Çalhanoglu chegou ao Leverkusen após se destacar no Hamburgo (Foto: Divulgação/Leverkusen)
Çalhanoglu chegou ao Leverkusen após se destacar no Hamburgo (Foto: Divulgação/Leverkusen)

Em 115 jogos, ele anotou 28 gols e deu 29 assistências. Durante esse tempo, impressionou com sua visão de jogo, lançamentos precisos, além da batida privilegiada na bola. Inclusive, quando ainda estava no Hamburgo, o meia marcou um golaço de falta do meio de campo contra o Borussia Dortmund, impressionando Jurgen Klopp, técnico dos Aurinegros na época.

Especialista

Em suma, dos 91 gols na carreira de Çalhanoglu, 26 foram cobranças de falta. Por isso, sempre que um goleiro o vê se preparando na bola parada, é melhor ele estar bem atento, pois a chance do lance virar gol é grande.

Ademais, o jogador tem como ídolo Mesut Özil, ex-Arsenal e atualmente no Fenerbahçe. Além de terem a mesma origem, o jeito de jogar dos dois é muito parecido, e, por esse motivo, as comparações existem. Entretanto, enquanto o meia aniversariante aparenta ter mais espaço para evolução, Özil já passou de seu auge. Outra diferença é que o primeiro resolveu defender a Turquia, onde participou de divisões de base e estreou na seleção principal em setembro de 2013.

Novos ares

Depois de várias temporadas se destacando no Leverkusen, o Milan decidiu que Çalhanoglu merecia uma nova casa. Assim, em julho de 2017, os Rossoneros compraram o atleta por pouco mais de 23 milhões de euros. Chegando com altas expectativas, no que parecia uma nova era do clube que desejava voltar aos seus tempos de glória, o meia não correspondeu em um primeiro momento. Talvez por dificuldades na adaptação ao clube ou ao país, mas fato é que o jogador não apresentou tudo que a torcida esperava.

Porém, desde a chegada de Stefano Pioli no final de 2019, a história mudou. Isso porque o turco se beneficiou da ideia de jogo do técnico italiano e, ao invés de atuar pelo lado esquerdo, começou a comandar a parte central do ataque milanista. Dessa forma, voltou a mostrar todo seu talento e, mais do que isso, se tornou decisivo e insubstituível na equipe.

Enfim, o meia conseguiu brilhar quando Pioli chegou ao clube italiano (Foto: Reprodução/Marco Luzzani/Getty Images)
Enfim, o meia conseguiu brilhar quando Pioli chegou ao clube italiano (Foto: Reprodução/Marco Luzzani/Getty Images)

Momento-chave da temporada

Um dos símbolos da importância de Çalhanoglu para Il Diavolo se deu quando a Lazio visitou o time em San Siro. Em um jogo difícil que parecia terminar em empate, o camisa 10 teve um escanteio para bater quase no último lance da partida. Com a qualidade de sempre, ele colocou a bola na cabeça de Theo Hernández, que marcou o gol da vitória do Milan.

Alguns dias depois, a Serie A elegeu o atleta como ‘Jogador do Mês’ por suas ótimas performances em dezembro. Na ocasião, Paolo Maldini, lenda rossonera e atual diretor técnico do clube, foi o responsável por entregar o prêmio. Que honra, hein?

Rumo ao topo

Atualmente, o clube de Milão tenta levantar um Scudetto novamente, o que não acontece desde a temporada 2010/11. Assim, se ao final das 38 rodadas o título realmente ficar com os Rossoneros, pode ter certeza que muito do mérito da conquista passa por Çalhanoglu.

Mesmo sem começar sua trajetória na equipe da maneira desejada, o meia seguiu trabalhando e hoje pode ser considerado um dos principais jogadores da Serie A. Porém, o '10' não quer parar por aí. Completando 27 anos nesse oito de fevereiro de 2021, o turco quer seguir jogando em alto nível e, quem sabe, levantar muitas taças pelo Milan. Qualidade para isso já sabemos que ele tem. Sendo assim, parabéns, Hakan Çalhanoglu!

Foto destaque: Reprodução/Light Rocket/Getty Images

Rafael Sant'Ana
Rafael Sant'Ana
Escolhi o jornalismo porque sou apaixonado por informação e esportes desde sempre. Enquanto estudante, já escrevi textos sobre esportes americanos para alguns sites. Tenho o sonho de exercer a profissão no exterior. Dedicação e interesse por estudar são algumas de minhas marcas.