Bruno Henrique

Com uma história de vida linda e cheia de superação, Bruno Henrique completa mais um ano nesta quarta-feira (30). Contudo, a carreira do jogador começou em 2009, onde era apenas conhecido como “Bruninho” ou “mosquito”. Apelido dado pelos amigos, pois o jogador parecia levitar na frente dos zagueiros com tanta velocidade. No entanto, Bruno vem de uma família bastante humilde e precisou conciliar o futebol com os estudos e o trabalho. Nesse sentido, a coluna Parabéns ao Craque vem homenagear o atleta por toda sua trajetória. Além das conquistas dentro e fora de campo.

O INÍCIO

Nascido em Belo Horizonte, Bruno Henrique atuou apenas no futebol amador em sua juventude, sem fazer parte da categoria de base de qualquer clube profissional. Nessa época, ele já trabalhava como office boy. Ganhava dinheiro durante a semana e jogava aos domingos. Todavia, com 16 anos já demonstrava habilidade com a bola. Antes do sucesso, Bruninho precisou ouvir diversos “nãos”.

No início da carreira, foi recusado em peneiras do Atlético-MG e do América-MG. Por isso, não teve formação em categorias de base. Descoberto por Ronnie, passou a disputar a Copa Itatiaia, torneio promovido por uma rádio do estado e lá chamou atenção. No entanto, foi campeão da edição 2011/12 do campeonato, jogando pelo Inconfidência, equipe amadora do bairro Concórdia da sua cidade natal.

Bruno Henrique no Inconfidência
(Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

CURIOSIDADE

Uma curiosidade é que por R$ 200 reais, o jogador foi recusado pela equipe do Manaus. Pois o time queria pagar o salário de R$ 1.000 reais, enquanto Bruno Henrique havia pedido R$ 1.200 reais.

COMEÇO NO PROFISSIONAL

Após se destacar na copa Itatiaia, Bruno Henrique recebeu um convite para se juntar ao elenco profissional da equipe do Cruzeiro em meados de 2012. Porém, não teve oportunidade para demonstrar seu talento e acabou sendo emprestado para a equipe do Uberlândia. Contudo, no ano seguinte teve venda em definitivo e jogou o triângulo mineiro pela equipe desconhecida no futebol brasileiro.

Bruno Henrique no Uberlândia
(Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

GLÓRIAS EM GOIÂNIA

Bruninho desembarcou em Goiás primeiramente para jogar por empréstimo na equipe do Itumbiara que iria, na época, disputar a segunda divisão do estadual local. Uma curiosidade sobre sua passagem pelo Itumbiara aconteceu na partida contra o Social, no Estádio Louis Ensch, em Coronel Fabriciano. Nesta partida, Bruno Henrique teve que atuar como goleiro, já que o titular Glaysson foi expulso e a equipe já havia feito as três alterações. Bruno atuou por mais de 10 minutos na meta e tomou um gol. Entretanto, após marcar nove gols e ajudar seu clube a voltar à elite do estado, fechou com o Goiás no dia 7 de janeiro de 2015.

No Goiás, Bruno Henrique se apresentou aos olhares dos torcedores brasileiros e demonstrou sua velocidade e habilidade com a bola. Contudo, a equipe acabou sendo rebaixada para a série B do brasileirão. Porém, o jogador teve boas atuações, sendo o destaque do time. Nesse sentido, se tornou uma das revelações do campeonato. Pelo Goiás, BH disputou 57 jogos, marcando 12 gols e também produzindo sete assistências para gol.

Estrelando no Goiás
(Foto: Reprodução/Gazeta Press)

BRUNO HENRIQUE RUMO A EUROPA

Em janeiro de 2016, Bruno Henrique teve sua venda em cerca de 4,5 milhões de euros. Nesse sentido, passou atuar pela equipe alemã de Wolfsburg. Porém, o jogador não teve bom proveito pelo treinador. Entretanto, quando tudo parecia perdido, o atleta conseguiu fazer uma partida de almanaque contra o Real Madrid pela UEFA Champions League.

O jogador simplesmente destruiu com Casemiro, Marcelo e Sérgio Ramos. Nesse sentido, a grande atuação foi coroada com uma assistência para o segundo gol da equipe alemã que venceu o jogo por 2 x 0. Porém, no jogo de volta, a equipe de Madrid conseguiu reverter o placar vencendo por 3 x 0 com show de Cristiano Ronaldo.

Entretanto, em um ano jogando na Alemanha, Bruno Henrique disputou 17 jogos, dando duas assistências e não conseguiu marcar nenhum gol. Tendo passagem vexatória no exterior. Porém, pode-se colocar na conta do treinador que não deu muitas oportunidades para o atleta.

O RENASCIMENTO DE BRUNO HENRIQUE

Em janeiro de 2017, o Santos acertou a compra de Bruno Henrique junto ao Wolfsburg por cerca de 4 milhões de euros. Entretanto, no começo, Bruno ficou no banco de reserva. Porém, em um jogo contra o São Bernardo, o jogador teve uma oportunidade e não decepcionou marcando um hat-trick. Nesse sentido, desde a partida, o ponta não saiu mais do time praiano.

Bruno foi o principal jogador do time na temporada de 2017, jogando em alto nível fez uma dupla muito boa com Ricardo Oliveira. Tendo disputado 53 jogos em sua primeira temporada e fazendo 18 gols, ainda conseguiu distribuir 13 assistências. Tendo até então, sua melhor temporada como jogador. Porém, no ano seguinte uma grave lesão iria deixar Bruno longe do futebol por alguns meses.

LESÃO NO OLHO

No dia 17 de janeiro, em um jogo contra o Linense, BH sofreu cinco lesões no olho direito, após levar uma bolada em seu rosto. Foi um momento bem difícil para Bruno que poderia até mesmo perder a visão do lado direito. Entretanto, seu tratamento nos Estados Unidos foi feito com sucesso. Sendo assim, retornou aos treinos em 16 de fevereiro para voltar a sua forma da temporada anterior. Porém, o jogador só voltou a jogar no dia 21 de abril, usando, inclusive, um óculos no estilo “Edgar Davids”.

Bruno Henrique treinando após lesão
(Foto: Reprodução/Gazeta Press)

Sua segunda e última temporada com a camisa do Santos não foi boa. Sendo mero coadjuvante no time, que tinha como craques Gabigol e Rodrygo. Em 2018, com a camisa do Santos, Bruno Henrique disputou 34 jogos, fazendo apenas dois gols e dando três assistências.

Seus números foram muito ruins na temporada. Porém, devemos lembrar da lesão do jogador que o deixou um pouco traumatizado para disputar uma jogada brusca, por exemplo. Ao todo, com a camisa do Santos, Bruno disputou 88 jogos, marcou 20 gols e deu 16 assistências para gol.

DA VÁRZEA A HERÓI DO FLAMENGO: BRUNO HENRIQUE VIRA O REI DOS CLÁSSICOS

Em 22 de janeiro de 2019, o jogador chegou ao Flamengo. Dessa forma, a equipe carioca pagou cerca de 23 milhões de reais para tirar Bruno do Santos e ainda emprestou Jean Lucas para o time praiano. Em sua chegada, o atacante disse estar feliz pelo acerto e, quanto à expectativa no novo clube, foi mais breve ainda: “Títulos”.

Estreou no clássico contra o Botafogo e saiu da reserva para fazer os dois gols da vitória do time. Desde o jogo, não saiu mais do time titular da equipe. E por falar em clássicos, Bruno é o terror dos “antis” do Flamengo no Rio, tendo marcado contra todos os rivais da equipe rubro-negra.

Rei do Rio
(Foto: Reprodução/Cesar Sales/AM Press)

Sendo conhecido como o Rei dos Clássicos, ele se tornou o primeiro nome na história do Flamengo a fazer dois gols em Fluminense, Botafogo e Vasco da Gama no mesmo ano e em um único jogo (contra cada um). Contudo, Bruno também conseguiu se sagrar campeão carioca e artilheiro da competição. No entanto, o jogador tem uma garra incrível, além de ser um jogador muito habilidoso e que joga muito bem coletivamente. Foi muito importante também nas quartas da Libertadores, eliminando o Internacional e levando o Flamengo a uma semi depois de 35 anos.

Entretanto, como desejo de rei é uma ordem, Bruno Henrique conseguiu o que tanto queria: TÍTULOS. Nesse sentido, com o manto rubro-negro, conquistou a Taça Rio 2019; Campeonato Carioca 2019/2020; Libertadores 2019; Campeonato Brasileiro 2019; Supercopa do Brasil 2020; Taça Guanabara 2020 e Recopa Sul-Americana 2020.

Em suma, Bruno Henrique é um grande exemplo de superação. Todavia, fez da dificuldade sua motivação e consagrou-se campeão de sua própria história. Parabéns, craque. Obrigada por tanta inspiração!

Foto Destaque: Reprodução/Alexandre Vidal/Flamengo

Thamirys Abreu Vieira
Sou carioca, graduada em Jornalismo pela Universidade Salgado de Oliveira (Universo). Pretendo me especializar na área esportiva e vivenciar a cada dia a magia do futebol. Exigente e de temperamento forte, mas sempre disposta a aprender. Apaixonada pela leitura e o mundo futebolístico.

Artigos Relacionados