A partir das 21h45 (horário de Brasília) desta quarta-feira (31), Palmeiras e Boca Juniors se enfrentam pelo jogo de volta da Libertadores. Na semana passada, a equipe argentina venceu o Verdão por 2 x 0 em casa e já chega em campo com a vantagem do empate e poder perder por um gol de diferença.

Por outro lado, a equipe de Felipão tem o grande desafio de reverter essa derrota e mostrar a sua força em sua própria casa. Três ou mais gols de diferença segue à final, se marcar dois, decisão vai para os pênaltis, mas qualquer outro placar dá a vaga aos hermanos.

Para o confronto que será no Allianz Parque, mais de 38 mil ingressos foram vendidos. Torcida alviverde em peso na certeza de tirar o proveito dos argentinos e chegar à final da comopetição.

PALMEIRAS

Precisando pelo menos de dois gols para levar a decisão aos pênaltis ou marcar três gols de diferença, a situação do Verdão é complicada, mas não impossível. Desde a sua chegada, Felipão mostra eficiência: foram 16 vitórias, cinco empates e três derrotas, que representam um aproveitamento de quase 75%, além de ficar oito jogos sem sofrer gols. A tática foi colocar os volantes mais à frente da zaga e laterais que se revezam para subir, sem expor a defesa.

Mas o que está em jogo agora é o estilo de jogo da equipe que tem como objetivo errar sempre o menos possível e o Palmeiras precisa sair da zona de conforto para vencer, sem depender apenas de suas jogadas tradicionais e apostar na troca por atitudes mais ofensivas e busca incessante por gol. Para enfrentar o Boca, o técnico fez mudanças em sua equipe titular, promovendo duas novidades: Lucas Lima no lugar de Moisés e Deyverson no de Miguel Borja. Além de fazer a manutenção da dupla de zaga, Luan e Gustavo Gómez, que atuou no jogo passado.

Provável Escalação: Weverton; Mayke, Gustavo Gómez, Luan e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Moisés), Bruno Henrique e Lucas Lima; Willian, Dudu e Deyverson (Borja). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

BOCA JUNIORS

Darío Benedetto, responsável pela vitória da equipe argentina por marcar os dois gols, não começará o confronto em campo. Na semana passada, o jogador entrou na segunda etapa e essa estratégia deve ser mantida para amanhã também. Sendo assim, Abila fica no comando do ataque do Boca no início do jogo.

Lesionados, Frank Fabra e Esteban Andrada são os desfalques contra o Palmeiras. O técnico Guillermo Barros Schellotto definiu a escalação de seus titulares e fez apenas uma mudança: Villa no lugar de Zárate.

Para o confronto, o técnico não estará presente em campo junto aos jogadores após ser suspenso, na manhã de hoje (30), pela Conmebol. Schelotto não poderá nem mesmo se comunicar por celular com o seu irmão e auxiliar Gustavo Schelotto, que estará à frente da equipe argentina. Isso é devido ao fato do técnico ter atrasado a volta do Boca para o segundo tempo no jogo de ida. Além da suspensão, terá que pagar uma multa de cerca de R$ 5,5 mil (US$ 1,5 mil), assim como o próprio clube argentino, que não receberá o valor próximo a R$ 85 mil (US$ 23 mil) de seus patrocínios e direitos de TV repassados pela Conmebol.

https://twitter.com/BocaJrsOficial/status/1056977294294740992

Provável Escalação: Rossi, Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios e Pablo Pérez; Villa, Abila e Pavón. Técnico: Guillermo Barros Schellotto.

RETROSPECTO

Palmeiras e Boca Juniors já se enfrentaram quatro vezes no passado. O primeiro encontro foi em um amistoso em 2010, com vitória do verdão por 3 x 2. Já os outros três foram pela Copa Libertadores e todos em 2018: foi um empate por 1 x 1, uma vitória para a equipe brasileira por 2 x 0 e outra para a argentina pelo mesmo placar.

Beatriz do Vale
Beatriz do Vale
Comunicativa desde pequena, graduada em Rádio e TV e também em Jornalismo pela FIAM, e pós-graduada pela Cásper Líbero. Tudo o que envolva pesquisa, escrita, locução, entrevista e criação, busco me aprimorar e fazer o melhor. Futebol na Veia surgiu sem qualquer pretensão e, hoje, me proporciona uma verdadeira imersão neste mundo esportivo, com ensinamentos pessoais e profissionais a cada dia. Sou paulistana, 30 anos, não sou parente do Luciano, mas vou experimentando...

Artigos Relacionados