Palmeiras sai a frente três vezes no placar e derrota Santa Cruz

Palmeiras vence Santa Cruz por 3×2 no Arruda e se isola na liderança do campeonato. O alviverde paulista detém agora uma sequência de 11 jogos invictos na competição. A torcida do clube pernambucano presente em Recife viu seu time se afundar na zona de rebaixamento, estando a 10 pontos da permanência na Série A.

O Palmeiras iniciou a partida com muita marcação, sem dar nenhum espaço para os donos da casa trocarem passes com tranquilidade. O Santa Cruz, mesmo sob tanta pressão, mostrou-se muito determinado a buscar o resultado. Em algumas ocasiões, determinado até demais, com os jogadores chegando com muita força nas divididas. A primeira grande chance veio na cobrança de Jean, aos 7, quando o chute do jogador palmeirense bateu na rede pelo lado de fora, causando a falsa impressão de gol aos torcedores visitantes. A equipe pernambucana surpreendeu o alviverde quando Keno chegou na área por trás da defesa adversária aos 19, mas chutou para fora. Roger Guedes deu trabalho ao goleiro do Santa Cruz, Edson Kölln, em dois lances: uma com um chute desviado passando perto da meta e outra em arremate a queima-roupa. Edson nada pode fazer aos 32, diante da categoria do mais que experiente Zé Roberto. O meia de 42 anos saiu livre na área ao tabelar com o atacante Erik, e com um sutil toque na bola encobriu o goleiro adversário. No final do primeiro tempo, os jogadores do time da casa ficaram irritadíssimos com a decisão do árbitro de não marcar um pênalti em Grafite, ao ser derrubado por Gabriel Jesus na área. Este foi o cenário do momento que o juiz encerrou os primeiros 47 minutos: muita reclamação e um cartão amarelo.

Grafite esclarece “polêmica”

Quase no último lance da primeira etapa, Grafite caiu na área, e, mesmo com todo o protesto de seus companheiros, negou a irregularidade: “Achei que não foi pênalti, tinha muita gente na frente, tentei bater, mas acho que não foi, não”, explicou o atacante.

Zé Roberto fala sobre o gol

No caminho do vestiário, o autor do gol palmeirense declarou, com muita “modéstia”: “Eu tive sorte de dominar na área, tentar um movimento, e a bola ter sobrado para mim. Naquela hora, você tem de ter tranquilidade. Concluí bem, foi um belo gol”. E como concluiu bem!

O Santa Cruz voltou melhor para os 45 minutos finais, pressionando o Palmeiras e obtendo alguns escanteios em sequência. Logo aos 5, o toque despretensioso de calcanhar do experiente Grafite parou nas mãos do goleiro Jailson. A postura ofensiva dos donos da casa deu resultado poucos minutos depois. O atacante Arthur recebeu livre de Allan na entrada da área e bateu colocado no canto esquerdo, sem chance para Jailson, deixando o marcador igual em Recife aos 10. Gabriel Jesus saiu escapou livre da defesa adversária e, cara a cara com Edson, carimbou o goleiro palmeirense aos 19. Apenas um minuto foi o tempo necessário para o líder do campeonato desempatar a partida. Moisés lançou na área, e a bola rebatida pelo zagueiro Neris sobrou limpa para Leandro Pereira chutar de primeira no gol vazio. A alegria do torcedor alviverde presente no Arruda durou pouco. Aos 23, Jean subiu muito na dividida com Artur e derrubou o atacante do Santa Cruz na área. Penalidade máxima assinalada. Grafite cobrou do jeito que o torcedor gosta: bola de um lado, goleiro para o outro. Com certo equilíbrio no jogo, Roger Guedes tratou de colocar o Palmeiras na frente de novo aos 34. Jean recebeu aberto na lateral, cruzou na área para o atacante alviverde sair por trás da defesa adversária e deslocar o goleiro adversário. Depois foi só sair para comemorar com todo o banco de reservas. Jailson impediu mais um empate aos 38, após tentativa de Grafite pela esquerda. A equipe pernambucana não conseguiu igualar o placar novamente, e vê a saída do Z4 cada vez mais improvável.

Com a vitória, o Palmeiras abriu três pontos de vantagem sobre o vice-líder, Flamengo. O próximo compromisso alviverde é apenas no domingo (09), contra o América Mineiro, às 17h. O Santa Cruz tem o difícil confronto diante do Flamengo na próxima rodada, também no domingo às 17h.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Papa
Guilherme Papa
Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

Artigos Relacionados

Topo