Palestrinas entram para a história do Palmeiras

- Palmeiras e Santos feminino se enfrentaram pela primeira vez no estádio Palmeirense
Palmeiras

Na tarde da última quinta-feira (24), Palmeiras e Santos protagonizaram mais um clássico da Saudade. A história que marca esse embate é intensa e muito importante no cenário do futebol nacional. Neste dia, o Clássico da Saudade ganhou mais um capítulo e dessa vez, com o futebol feminino.

As Palestrinas enfrentaram as Sereias no Allianz Parque. Elas estavam em casa pela primeira vez e conseguiram uma virada sobre as adversárias que são muito fortes e tradicionais na modalidade. A coluna Rainhas da Bola de hoje irá contar um pouco do enredo dessa partida.

PALMEIRAS: AS PALESTRINAS TÊM HISTÓRIA

A primeira equipe feminina do Palmeiras surgiu em 1997 e ficou em atividade até 2012, período em que o clube sofria muito com as dívidas e problemas internos.

Alguns nomes importantes passaram por essa primeira formação do Palmeiras. Sendo assim, a camisa alviverde foi vestida por: Maravilha, Tânia Maranhão, Elane, Cidinha, Robertinha, Gisele Priscila, Sissi, Nilda, Formiga e Michele, donas de excelentes marcas e partidas. Até 2012, o Palmeiras venceu o Campeonato Paulista de forma histórica em 2001, e os Regionais em 2005, 2008 e 2010.

Atualmente, novos nomes surgem para fazer história na Sociedade Esportiva Palmeiras. Portanto, em 2019, o clube implementou um novo projeto para a modalidade, anunciando a contratação de nomes muito importantes no cenário. Desde então, o Palmeiras disputou a Série A2 do Brasileiro, o Campeonato Paulista. Além disso, venceu a Copa Paulista em cima das rivais Tricolores. Já em 2020, a equipe fechou uma parceria histórica com a fornecedora de materiais esportivos.

Além de um uniforme desenvolvido especialmente para elas, a Puma assinou contrato com 23 atletas. As meninas irão receber chuteiras para treinos, além de participar das ações estratégicas do marketing da marca. Portanto, é um marco para a história do futebol feminino no solo brasileiro.

Ademais, em 2020, as meninas Palestrinas puderam fazer parte da convocação para a Seleção feminina realizada pela técnica Pia Sundhage. Ary Borges, Camilinha e Isa foram as selecionadas.

DONAS DE MUITAS CASAS

Desde o início de sua história, o Palmeiras contava com parcerias em algumas cidades de São Paulo. Atualmente, a equipe mantém a parceria com a cidade de Vinhedo, a casa das Palestrinas. 

Contudo, a parceria entre o Palmeiras e a cidade paulista rendeu até melhorias. O Estádio Nelo Bracelente passou por reestruturações. Tudo com intuito de ter as condições necessárias para receber os jogos da Elite do Futebol Feminino Brasileiro.

No entanto, o Allianz nunca havia sido palco para elas. E se sentir em casa é importante. Se hoje o futebol estivesse em uma situação normal, as Palestrinas poderiam contar com a torcida, assim como foi nos dois jogos- treinos realizados pouco antes da paralização, ou seja, estaria cantando e vibrando nas arquibancadas.

Porém o jogo foi sem torcida, mas não silencioso. Marcos Costi cuidou da narração, essa, já conhecida por quem aprecia o futebol em campo. Além disso, cuidou também dos sons da torcida nos altos falantes e fez toda a diferença na partida.

https://twitter.com/Palmeiras/status/1309503530038964225?s=20

PALMEIRAS X SANTOS NO ALLIANZ PARQUE

O clássico tinha que ser protagonizado por reviravoltas e marcos históricos. A Sereias da Vila é uma das equipes a ser batidas no Brasileiro Feminino. A saber, o Santos figura no topo da tabela, e até a presente rodada era o líder da competição. Do outro lado, uma equipe em ascensão. Sob o comando de Ricardo Belli fazia jogos técnicos e taticamente muito bons. Apesar de sofrer em alguns momentos. Só por isso já existe um enredo que faz qualquer apaixonado por futebol querer acompanhar.

No entanto, mais elementos faziam dessa partida um ato histórico. Para isso, basta voltar uma semaninha no tempo. Ketlen pegou uma sobra na entrada da área do Minas e fez o seu 100º gol vestindo a camisa do Santos. Como resultado, a jogadora se tornou a maior artilheira de todos os tempos na equipe. Desse modo, Ketlen é a primeira mulher a entrar no hall dos 100 gols, ao lado de Pelé, Coutinho, Robinho e Neymar.

Contudo, no lado alviverde, Carla Nunes representava a artilharia. A camisa 10 tem 12 gols nos dez jogos em que participou. Também é a dona da melhor campanha do Campeonato Brasileiro Feminino de 2020.

VACILOU É GOL DA CARLA NUNES

Com uma média de 1,2 gol por partida, a artilheira do Palmeiras marcou o gol de empate. Além disso, foi a primeira mulher a balançar as redes no Allianz. Logo depois, Bianca marcou o gol da vitória alviverde em casa.

Entretanto, a emoção não acaba aí. Com o gol marcado na partida, Carla Nunes se tornou a maior artilheira da história do Palmeiras. A camisa 10 já havia superado Nildinha, destaque do futebol feminino no Brasil nos anos 90 e 2000. Isso quando marou dois gols na vitória alviverde sobre o Cruzeiro, algumas rodadas antes. Chegou, então, aos 26 tentos.

A artilheira do Palmeiras conta, hoje, com 34 gols e se emociona ao falar da marca:

“É um sentimento inexplicável. Ficamos muito felizes pela chance de jogar aqui, e eu ainda tive a oportunidade de marcar. Confesso que passou um filme na minha cabeça. Um milhão de coisas… tudo o que passei lá atrás. Acredito que essa oportunidade, acompanhada de uma vitória, dará ânimo à equipe para brigar pelas melhores posições na competição”, celebrou.

https://twitter.com/BRFeminino/status/1309223091705450499?s=20

Foto: Fabio Menotti/Palmeiras

Valéria Contado

Sobre Valéria Contado

Valéria Contado já escreveu 169 posts nesse site..

Eu sou a Val Contado, finalmente jornalista (uhul!), apaixonada por futebol há 24 anos, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

BetWarrior


Poliesportiva


Valéria Contado
Valéria Contado
Eu sou a Val Contado, finalmente jornalista (uhul!), apaixonada por futebol há 24 anos, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

    Artigos Relacionados

    Topo