Palermo x Catania

Enfim, para fechar em grande estilo essa semana especial da Calciostoria, falaremos de um clássico não tão famoso aqui no Brasil, mas que possui bastante relevância em solo italiano. Sobretudo, principalmente na parte sul do país. Jogadores que hoje fazem sucesso em outros grandes clubes da Itália, já duelaram no famoso Derby di Sicilia, entre Palermo x Catania. Uma rivalidade que vai além das quatro linhas, e ultrapassa as fronteiras das províncias da ponta da bota do país. Enfim, saiba mais sobre esse duelo, onde as duas equipes hoje, se encontram em situações bem complicadas e também, uma entrevista com o ex-meio-campista Fabio Simplício, que atuou com a camisa rosanera.

LEIA MAIS:

Juventus e Torino no histórico Derby della Mole

Derby della Capitale: o clássico da cidade eterna

ENTREVISTA COM FÁBIO SIMPLÍCIO

O ex-meio-campista Fábio Simplício, que foi revelado no São Paulo e teve grande passagem pelo futebol italiano, passando por equipes como Parma e Roma, teve seu melhor momento quando atuou pelo Palermo. Dessa forma, teve destaque com a camisa rosanera e atuou em alguns confrontos do Derby di Sicilia. O ex-jogador concedeu entrevista exclusiva para o repórter Caíque Ribeiro, do Futebol na Veia, falando um pouco sobre o duelo entre Palermo x Catania.

Qual é o clima da rivalidade na região da Sicília entre os jogadores e os torcedores. Como você sentiu isso na época?

“Bom, o Derby na Sicília é bem quente né, a rivalidade é muito grande. A sensação é a mesma coisa de estar jogando aqui um São Paulo x Palmeiras, um São Paulo x Corinthians, tem as provocações antes, a torcida vai no centro de treinamento dar o apoio, fogos…é bem excitante de se jogar. Uma coisa bem maravilhosa que eu tive o prazer de sentir, que é Palermo x Catania”, comentou Fábio.

Qual foi seu Derby di Sicilia mais marcante?

“O jogo mais marcante foi o meu primeiro né, que ganhamos de 5 x 3. Eu tive o prazer de fazer um gol nesse clássico, mas a infelicidade de também ser expulso. Ao mesmo tempo um momento de alegria e um momento de tristeza. Mas foi um jogo marcante, que nos apresentamos na Sicília eu, o Amauri, que eram os brasileiros que estavam ali na época, e fizemos uma boa campanha e foi uma passagem memorável com a camisa do Palermo”, completou.

https://twitter.com/fnvbr/status/1264371366633013248?s=20

HISTÓRIA DO DERBY DI SICILIA

O primeiro confronto entre as duas equipes, aconteceu quando ambas ainda possuíam outros nomes. Assim, no natal de 1935, Palermo x Catania se enfrentaram com o mando Elefanti. Assim, os donos da casa venceram por 1 x 0, pela Coppa Italia. No ano seguinte, o duelo debutante na capital da região foi realizada, em ligas, sendo pela Serie B 1936-37. Enfim, os dois clubes duelaram pela primeira vez na Serie A na temporada 1961-62.

O confronto sempre acontece em datas especiais, por se tratar de um clássico muito importante da região da Sicília. Geralmente, a partida sempre acontece, no primeiro turno, no Natal, ou no Ano Novo, para as pessoas do local se divertirem no momento de festas. Entretanto, pela questão de que várias vezes, Palermo e Catania não estão na mesma divisão do calcio. Não houveram muitos duelos ao decorrer da história. Porém, mesmo sem um número enorme de jogos entre eles, a rivalidade foi sempre quente, gerando episódios históricos.

EPISÓDIOS HISTÓRICOS DO DERBY

Primeiramente, podemos citar o duelo entre rosaneros e elefantis pela Coppa Italia de 1959. Na ocasião, o Palermo venceu por 1 x 0, mas um detalhe curioso marcou a partida: os jogadores do Catania deixaram o estádio e decidiram não continuar a partida, alegando que a iluminação do campo não era suficiente para o confronto continuar. Entretanto, outros episódios também estão registrados na história do Derby di Sicilia, mas negativamente.

Devido a grande rivalidade entre Palermo e Catania, assim como em várias partes do mundo, lamentavelmente alguns duelos passam do controle, entre torcedores, e entra em jogo a questão da violência. Na Serie B de 1981-82, o Palermo venceu em casa, no estádio Renzo Barbera por 2 x o. Entretanto, o confronto ficou marcado negativamente, porque torcedores rosaneros arremessaram uma garrafa no zagueiro do Catania, Renato Miele, antes da bola rolar. Resultado: o atleta não conseguiu entrar em campo.

Em 2001, pela Serie C, o duelo realizado no estádio Angelo Massimino terminou empatado em 1 x 1. Entretanto, a partida ficou marcada curiosamente por outro fator. O ônibus do Palermo foi invadido, e a equipe rosanera teve seus uniformes roubados. Com isso, a equipe teve que jogar com o kit de treino e a numeração dos atletas foi feita com fita adesiva. Enfim, em 2007, negativamente, os torcedores do Catania entraram em duelo com a polícia local antes do jogo, e a confusão terminou com a morte de um oficial. A FIGC após o confronto, tomou duras medidas sobre o Derby.

JOGOS HISTÓRICOS ENTRE PALERMO E CATANIA

Podemos citar alguns duelos importantes por copas. Primeiramente, além do citado anteriormente pela Coppa Italia de 1959, também tivemos o embate nas quartas de final da extinta Coppa Italia da Serie C em 1990, quando no estádio Renzo Barbera, o Palermo derrotou o Catania por 3 x 1. No jogo da volta, um empate por 1 x 1 classificou o Rosanero para as semifinais do torneio, e chegaria até a final, mas ficaria com o vice-campeonato, perdendo para o Lucchese.

Também podemos citar o grande duelo de ambos pela temporada 2006-07, pela Serie A. Era a primeira vez após 44 anos que Palermo e Catania voltariam a se enfrentar novamente na primeira divisão do futebol italiana. Sendo assim, não podia ser diferente. A partida foi uma chuva de gols. 5 x 3  para o Rosanero, que já possuía nomes conhecidos hoje, como o brasileiro Fabio Simplicio, Amauri, o ex-técnico do Brescia, Eugenio Corini, e o recém-aposentado zagueiro da Juventus, Barzagli.

Pelo lado rlefanti, duas goleadas marcaram muito o confronto. Primeiramente, um 0 x 4 em pleno estádio Renzo Barbera, com destaque para o gol de Mascara, do meio-campo, encobrindo o goleiro. Além disso, mais recente, em 2011, no estádio Angelo Massimino, o Catania voltou a golear o Palermo por 4 x 0 . Enfim, o último Derby di Sicilia foi realizado pela Serie A 2012-13, e terminou empatado por 1 x 1. Hoje, o Rosanero se encontra na Serie D italiana, após decretar falência, enquanto seu maior rival está na Serie C.

JOGADORES QUE PASSARAM POR PALERMO E CATANIA

Pelo lado do Catania, podemos citar dois nomes conhecidos, ambos argentinos. Maxí Lopez, que no Brasil jogou por Grêmio e Vasco e também, Papú Gomez, que hoje, é um dos grandes jogadores da excelente equipe da Atalanta, mas que jogava no Elefanti, antes de se transferir para Bérgamo. Além disso, o técnico Diego Simeone treinou a equipe da Sicília, em 2011.

Pelo lado rosanero, a lista de personagens é enorme. Talvez, os mais conhecidos sejam o ítalo-brasileiro Amauri, o brasileiro Fábio Simplício, o ex-zagueiro Barzagli, o goleiro da Itália da Copa do Mundo 2014, Sirigu, Ilicic, craque da Atalanta, junto inclusive de Papu Gómez, que jogou no Catania, entre outros. Além disso, a safra sul-americana traz nomes como Cavani, e Pastore, e a estrela da Juventus, Paulo Dybala, que começaram a sua jornada europeia no Palermo.

DADOS DO CONFRONTO

Ao todo, devido a várias vezes os times não estarem nas mesmas divisões, Palermo e Catania se enfrentaram apenas em 84 oportunidades, ao longo de 75 anos. Dessa forma, o Rosanero leva a melhor com 25 vitórias, contra 20 triunfos do elefanti. Além disso, o maior artilheiro do Derby di Sicilia é o italiano Giuseppe Mascara, que anotou quatro gols. A equipe do Renzo Barbera anotou ao todo 97 tentos, enquanto o time do Angelo Massimino colocou 89 bolas na rede.

Foto destaque: Reprodução/Sky Sports

Caíque Ribeiro
Olá, eu sou Caíque Ribeiro, tenho 20 anos e a paixão por esportes corre em minhas veias, sobretudo, o futebol. Um amante do futebol tanto brasileiro, quanto europeu e ainda sim, do alternativo. Tendo como maior jogador que vi jogar, Ronaldinho Gaúcho e grandes memórias futebolísticas. Estou cursando jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi. Quando criança,sonhava em ser jogador de futebol,mas a vida me planejou outros rumos. Desde então, decidi juntar duas paixões: a paixão por escrever e a paixão pela pelota, e seguir nessa jornada,sempre disposto a trazer a informação de forma correta e apurada ao público. Além de futebol, escrevo e sou comentarista sobre basquete na Rádio Poliesportiva. Instagram: @caiqueribero, Twitter: @CRSousa5

Artigos Relacionados