Pachuca: O único campeão sul-americano de fora da CONMEBOL

A Coluna Papo Azteca volta nesta semana, contando a história da Copa Sul-Americana de 2006, conquistada pelo Pachuca. Dessa forma, o caneco levantado pelos mexicanos, tem o ineditismo de ser a primeira vez em que uma equipe de fora da CONMEBOL, conquistando uma competição do continente. Além disso, outro clube do México fez boa campanha no certame de 2006. Assim, Los Diablos Rojos de Toluca chegaram nas semifinais.

A Cuna del Futebol Mexicano tem cinco títulos da Liga dos Campeões da CONCACAF e em sua estreia na Copa Sul-Americana, conseguiu um feito nunca alcançado por qualquer um dos grandes clubes mexicanos na história de suas participações em Libertadores da América e Sul-Americana. Certamente, um feito histórico para um país tão apaixonado por futebol.

A HISTÓRIA DO MÉXICO NAS COMEPTIÇÕES DA CONMEBOL 

Por conseguinte, os times mexicanos começaram a aparecer em torneios Sul-Americanos no de 1998. Desse modo, a estreia foi na Libertadores daquele ano, entrando na fase preliminar. Dessa forma, América e Chivas foram os representantes e avançaram para a fase de grupos. El Rebaño ficou no Grupo 2, com Vasco, Grêmio e América. Em contraste com o Rojiblanco, o Azulcrema foi eliminado nas oitavas de final, para o River Plate.

Já na Sul-Americana, o México debutou em 2005. Pumas UNAM e América representaram o país no certame. Nesse sentido, os mexicanos chegaram muito perto do título com o time Oro Y Azul. No entanto, a equipe perdeu nos pênaltis para o Boca Juniors da Argentina, no Estádio La Bombonera. Assim, chegamos ao ano de 2006.

ESTREIA DO PACHUCA NA COLÔMBIA

Los Tuzos estrearam na Sul-Americana de 2006, na Cidade colombiana Ibagué. O adversário seria o Deportes Tolima. Assim, John Charria inaugurou o placar para o El Vinotinto Y Oro, logo aos 2′. Posteriormente, Gabriel Caballero empatou para a Cuna Del Fútbol Mexicano, na marca 34′. Entretanto, já na segunda etapa, aos 17 minutos, Dúmar Rueda anotou o gol da vitória anfitriã.

PACHUCA GOLEIA EM TERRAS MEXICANAS

A partida de volta foi no Estádio Hidalgo, e o Pachuca passou por cima do Tolima. Desse modo, com 10′ Paul Aguilar inaugurou o marcador para os mexicanos com uma bela cabeçada. Depois, na segunda parte, no primeiro minuto Juan Cacho ampliou para 2 x 0. César Rivas Chará diminuiu para o time da Colômbia. Porém, os colombianos Mosquera e Andrés Chivita aumentaram para 4 x 1. Por fim, Marvin Cabrera fechou a goleada em 5 x 1.

NA TERRA DO TANGO, QUEM DANÇA É O LANÚS

Na fase de Quartas de final, Los Tuzos o argentino Lanús. Sendo assim, o primeiro confronto foi no Estádio La Fortaleza. No entanto, isso não intimidou o Pachuca, que aplicou uma goleada, mesmo jogando fora de casa. Dessa maneira, Juan Cacho inaugurou o marcador no início do jogo. Posteriormente, se aproximando do fim, Christian Giménez anotou o segundo e Juan Cacho novamente fechou a grande vitória por 3 x 0.

CLASSIFICAÇÃO GARANTIDA NO HIDALGO 

A volta no México, A Cuna del Fútbol Mexicano jogou tranquilo, visto que os argentinos precisariam de um milagre para avançar de fase. Todavia, após um primeiro tempo sem gols, o Lanús assustou no início da segunda parte. Diego Valéri fez 1 x 0. Porém, Christian Giménez empatou para os mexicanos. O Granate voltou a ficar em vantagem com Cláudio Graf. Por fim, Damián Álvarez deixou tudo igual pela última vez, com direito a um frangaço do goleiro Carlos Bossio. Assim, confirmando o Pachuca nas semifinais do torneio continental.

PACHUCA BATE O ATHLETICO-PR NA ARENA DA BAIXADA

Na fase Semifinal, o encontro era com um time brasileiro, o Athletico-PR. Em primeiro lugar, as equipes se enfrentaram da Arena da Baixada, em Curitiba. Após segurar a pressão Furacão, o Pachuca conseguiu engatar um contra-ataque para vencer os brasileiros. Desse modo, Damian Àlvarez arrancou pelo lado esquerdo e acertou um belo chute para dar a vitória fora de casa.

OUTRA GOLEADA NO HIDALGO E PASSAPORTE PARA A FINAL

Pela terceira vez consecutiva, os mexicanos fizeram a partida de volta em casa. Assim, o Furacão Paranaense abriu o marcador com colombiano Ferreira. O Resultado levaria a decisão para os pênaltis. Posteriormente, na segunda etapa, show dos mexicanos. Dessa forma, Christian Giménez marcou duas vezes e colocou o Pachuca na frente do marcador. No final, Damián Álvarez e Juan Cacho guardaram mais dois gols, fechando o placar em  4 x 1 e se classificou para uma decisão inédita. O adversário seria o chileno Colo-Colo.

EMPATE NA IDA E TÍTULO EM SANTIAGO DO CHILE

 Na Grande Final, Los Tuzos teriam pela frente a tradicional equipe chilena do Colo-Colo. A primeira partida foi disputada no Estádio Hidalgo. Assim sendo, a partida começou com as duas equipes buscando o gol, todavia foram os mexicanos que inauguraram o marcador. Na marca dos 27 minutos, após cruzamento da esquerda, Andrés Chivita tocou de cabeça e abriu o marcador. Depois, El Cacique passou a pressionar e conseguiu empatar com Humberto Suazo. Terminando o primeiro duelo.

No Estádio David Arellano, em festa com torcida do Rey de Copas. Os chilenos abriram o marcador com 35′ da etapa inicial, com um gol de Humberto Suazo. Entretanto, na segunda etapa, os mexicanos conseguiram a virada no placar. Aos 8 minutos da segunda parte, Gabriel Caballero recebeu um cruzamento da esquerda e empatou finalíssima. Posteriormente, Christian Giménez  marcou aos 28′, calando a torcida chilena e conquistando o primeiro título de um clube de fora da América do Sul.

Foto Destaque: Reprodução/Bola VIP

Amaury Ferreira
Amaury Ferreira
Escolhi o Jornalismo como profissão, porque desde a minha infância sempre fui fascinado pelos âncoras de telejornais e pelas transmissões esportivas no rádio e na televisão, a relação com meu time do coração também influenciou na minha escolha. Sou uma pessoa bem tranquila, mas que quando acredito em alguma coisa, sempre tento buscar correr atrás.

Deixe uma resposta